a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 649, referente ao período de 11 a 17 de dezembro de 2017. ***** Grato por sua atenção.

domingo, 4 de maio de 2008

SESSÃO NOSTALGIA - Marta Garcia, a primeira Miss Brasília

Por Daslan Melo Lima

Marta Garcia, Miss Brasília 1959

           Sábado, 23 de maio de 1959. O Rio de Janeiro estava perdendo a condição de Distrito Federal, capital do Brasil, para Brasília, que seria inaugurada em 21 de abril do ano seguinte. Na noite daquele sábado, no Palace Hotel, Brasília vivia uma das primeiras grandes festas da sua história. Um público estimado em 3.500 pessoas aguardavam o desfile de 16 jovens que disputariam o cobiçado histórico primeiro título de Miss Brasília, num grande evento patrocinado pelos Diários e Emissoras Associados. Eram quatro goianas, duas amazonenses, três fluminenses, quatro cariocas, uma baiana, uma gaúcha e outra sergipana. Na comissão julgadora, figuras expressivas como: Edílson Cid Varela, gerente de O Jornal e Diário da Noite; Ziraldo, Chefe do Departamento de Promoções da revista O Cruzeiro e Milton Dávila, Chefe do Departamento Artístico de O Cruzeiro.

          As candidatas desfilaram em trajes de baile e maiô, penteadas por Hermílio, ao som de “blues” cadenciados executados pelo conjunto de Ari Mesquita. Eis o resultado do primeiro concurso Miss Brasília:

Da esquerda para a direita: Marcli Rosseti dos Guimarães, segundo lugar; Marta Garcia, primeira colocada; e Ivone Preussler, terceiro lugar.

Primeiro lugar: Marta Garcia, natural do Rio de Janeiro, professora particular de inglês, morena de olhos verdes, 1,70 de altura, 20 anos, praticante de vôlei e ballet e que já tinha passado uma temporada nos Estados Unidos. Marta foi muito aplaudida e recebeu a faixa das mãos de Carlos Medeiros, Procurador Geral da República. Ganhou de presente um maiô verde Catalina e um isqueiro de ouro. Posteriormente, o Dr.Israel Pinheiro, comandante dos trabalhos de construção de Brasília, que gostou muito da sua vitória, anunciou um espetacular prêmio para Marta Garcia : um terreno, onde seria construído um palacete com projeto de Oscar Niemeyer.
Segundo lugar: Marcli Rosseti dos Guimarães, uma das favoritas, morena, 1, 60 de altura, cabelos longos, corpo perfeito, professora de francês. Ela e Marta Garcia tinham disputado o Miss Clube Militar, no Rio de Janeiro, ocasião onde Marcli foi a primeira colocada e Marta a segunda. Depois do Miss Brasília, Marcli foi capa da revista Mundo Ilustrado como candidata do Clube Militar ao título de Miss Distrito Federal.
Terceiro lugar: Ivone Preussler, aeromoça, loura, gaúcha de Caxias do Sul;
Quarto lugar: Magda Renate Prfimer, loura,natural de Anápolis, Goiás, que teve o apoio da torcida local. Magda Prifmer tinha sido Miss Goiás no ano anterior. Em 1960, na condição de Miss Brasília , voltou a disputar o Miss Brasil e conquistou o segundo lugar, tendo sido nossa primeira representante em Long Beach, no recém criado Miss Beleza Internacional;
Quinto lugar: Eline Teresinha Contreiras Rangel,baiana.

...................
....................

          Marta Garcia tinha uma personalidade muito forte. A revista Querida, da Rio Gráfica Editora, uma das maiores publicações femininas da época, outorgou-lhe o título de Miss Personalidade, em sua edição da segunda quinzena de julho de 1959. Sabem o porquê desse título? Após o Miss Brasil, a revista perguntou a várias concorrentes se tinha valido a pena ter sido Miss, se elas tinham concordado com o resultado e se tinham alimentado esperança de ter sido eleitas. Marta Garcia foi a única a admitir que esperava ganhar pelo menos o segundo lugar.


“Sei que vou parecer muito vaidosa mas, se não pensasse ter uma chance, porque, afinal, entraria no concurso? Sim,eu esperava ganhar o segundo lugar e fiquei um pouco revoltada de não ter sido incluída nas finalistas. Mais incrível, ainda, é que Miss Espírito Santo não tenha sido incluída ! Sinceramente, é uma grande injustiça que fizeram ! Não posso compreender a razão. Meus fans ficaram revoltados ! No Maracanãzinho mesmo, eles vaiaram o júri. Sabe que eu gostei do público?“


“ Não posso dizer quem teria incluído na lista das finalistas: não fiz parte do júri e todas as Misses eram uns amores, realmente formidáveis. Mas, já que insiste tanto :Vera (ela está muito bem no lugar), eu (sinto muito...), Miss Pernambuco ,Miss Espírito Santo e Miss Maranhão. Apesar de tudo, não me arrependo de ter entrado no concurso. Valeu a pena, principalmente pelo fato de ter sido a primeira Miss Brasília eleita. Adorei a casa e o terreno que ganhei em Brasília. Pretendo morar lá, assim que a casa estiver pronta. No começo ,meus pais não queriam que eu me candidatasse. Só aceitaram quando consegui convencê-los de que não poria os pés fora sem que a minha mãe me acompanhasse. Meu namorado não fez nenhuma objeção. Em resumo, do concurso,só não gostei do resultado; o resto, foi tudo ótimo. Correspondeu ao que eu esperava.”

          Concluindo a reportagem, o jornalista da revista Querida escreveu :“Com respostas assim tão francas, decidimos dar à simpática Marta Garcia o título de Miss Personalidade”.

          Em 1959, a carioca Vera Ribeiro, Miss Distrito Federal, foi coroada Miss Brasil e ficou com o quinto lugar no Miss Universo. O segundo lugar ficou com a pernambucana Dione Oliveira, aplaudidíssima, a segunda brasileira a disputar o Miss Mundo (A primeira foi Sônia Maria Campos, em 1958, também pernambucana). O terceiro lugar coube à baiana Maria Euthymia Manso Dias; o quarto a Teresinha Rodrigues, Miss São Paulo; e o quinto a Vânia Beatriz Diniz Gotlibi, Miss Minas Gerais. Em alguns sites, o resultado das colocações está equivocado. Na realidade, pelas pontuações recebidas, as colocações corretas foram as que citei. A revista Manchete, de 04/07/1959, divulgou o número de pontos das cinco finalistas. Vera Ribeiro, primeiro lugar, 57 pontos; Dione, 2º lugar, 47 pontos; Maria Euthymia, 3º lugar, 31 pontos; Teresinha, 4º lugar, 24 pontos; e Vânia Beatriz, 5º lugar, 20 pontos.

          Caso o pessoal da coordenação do concurso Miss Brasília esteja lendo esta Sessão Nostalgia, suplico que localizem Marta Garcia para receber as devidas homenagens em 2009, ano do cinquentenário do concurso. 
      Seria fantástico ouvir o apresentador perguntar a Marta Garcia ” Valeu a pena ter sido a primeira Miss Brasília ? Você esperava ganhar o Miss Brasil 1959? “ 
      Já podemos antecipar sua resposta franca : “ Valeu a pena ter sido a primeira Miss Brasília eleita! Vera Ribeiro estava bem no lugar de Miss Brasil , mas eu esperava ganhar o segundo lugar. Sei que vou parecer muito vaidosa mas, se não pensasse ter uma chance, porque, afinal, entraria no concurso ?”

*****
Crédito das imagens: Indalécio Wanderley, revista O Cruzeiro.
__________

Observação: 
Encontrei no blog do Raimundo Jr, Misses em Manchete, www.missesemmanchete.blogspot.com , a nota abaixo, a propósito de uma jovem que ostentou a faixa de Miss Brasília 1957, mas que não participou do Miss Brasil.
....................


Em 1957, Brasília estava ainda sendo construída, quando uma goiana nascida na cidade de Formosa, de nome Annita de Sousa Lopes chegava com toda a sua família para viver na nova capital do Brasil, que só seria inaugurada em 1960. 

Sua família morava no Núcleo Bandeirante quando surgiu a oportunidade de um certame onde ganharia aquela que vendesse mais votos; o dinheiro arrecadado se destinaria à construção da capela de madeira "Dom Bosco". Duas candidatas concorreram para ganhar o concurso e Annita acabou vencendo, pois foi a que vendeu mais votos. Hoje ela está com 68 anos e teve seis filhas. 
Fonte e foto: Correio Brasiliense.Colaboração de Antonio Carlos Gomes de Castro.




*****

Um comentário:

Luiz Ricardo disse...

Muito interessantes as notas a respeito do primeiro concurso "oficial" de Miss Brasília, Daslan!
Obrigado!