a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 633, referente ao período de 20 a 26 de agosto de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

FELIZ ANO NOVO TODOS OS DIAS !

"É dentro de você que o Ano Novo 
cochila e espera desde sempre"
----------

RECEITA DE ANO NOVO


Para você ganhar belíssimo Ano Novo 

cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, 

Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido 
(mal vivido talvez ou sem sentido) 
para você ganhar um ano 
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, 
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; 
novo 
até no coração das coisas menos percebidas 
(a começar pelo seu interior) 
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, 
mas com ele se come, se passeia, 
se ama, se compreende, se trabalha, 
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, 
não precisa expedir nem receber mensagens 
(planta recebe mensagens? 
passa telegramas?) 


Não precisa 

fazer lista de boas intenções 

para arquivá-las na gaveta. 
Não precisa chorar arrependido 
pelas besteiras consumadas 
nem parvamente acreditar 
que por decreto de esperança 
a partir de janeiro as coisas mudem 
e seja tudo claridade, recompensa, 
justiça entre os homens e as nações, 
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, 
direitos respeitados, começando 
pelo direito augusto de viver. 


Para ganhar um Ano Novo 

que mereça este nome, 

você, meu caro, tem de merecê-lo, 
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, 
mas tente, experimente, consciente. 
É dentro de você que o Ano Novo 
cochila e espera desde sempre.


- Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), poeta mineiro.

*****

sábado, 24 de dezembro de 2016

"A hora que passou não volta mais"

          
       
      Você já sentiu alguma vez aquela sensação de que foi apenas espectador do momento?  De que se calou e teve receio de continuar, enquanto uma voz silenciosa pedia para interagir com a situação?  Tenho certeza, leitor, leitora, que suas respostas foram sim. As minhas também, dezenas de vezes.

     Por não termos sido parte ativa do cenário, um calafrio percorre nossos corpos e nossas almas. Não ouvimos a voz que gritava em silêncio dentro de nós. 
       E hoje, quando uma sombra invisível passa perguntando pelo tempo que se foi, tentamos ressuscitar sons e cores do passado, mas não conseguimos e nos apegamos a recordações que só fazem aumentar nossas emoções inacabadas.

       O título desta crônica é a tradução de uma citação do poeta romano Ovídio (43 a.C.- c. 18 d.C.), Nec quae praeterit hora redire potest, enquanto a ilustração é uma pintura de André Kohn, pintor russo contemporâneo. Os caminhos dos dois nunca se cruzaram, mas há uma relação estreita na arte de ambos. Na pintura de André Kohn, figuras caminham embaixo da chuva, vivendo o momento, não esperam pela estiagem. Ovídio canta a hora que passou e que não volta mais, jamais, nunca mais.

*****
REFLEXÃO
"A vida não tem mais do que duas portas: uma de entrar, pelo nascimento; outra de sair, pela morte."
- Rui Barbosa (1849-1923), escritor, orador e político baiano.

*****

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Atitude, gente fina, noitada, beleza e Bodas de Esmeralda


ATITUDE“Ser feliz é ser suporte um na vida do outro, porque tudo passa e só o amor permanece”, diz Andréa, ao lado do seu amado Sérgio Silva. Bodas de Trigo, três anos de relacionamento celebrados na sexta-feira, 23.
----------

GENTE FINAAna Caroline Pedroza e o dr. André Rafael de Paula Batista Elihimas, um dos casais mais estimados da sociedade timbaubense.
----------

NOITADA Sérgio e Edna Vilar circulando pelas noites da região, aqui na AABB, em Timbaúba, uma noite para recordar.
----------

BELEZA - Claudia Oliveira, Miss Timbaúba 2000, e Cleber Souza celebraram dois anos de casados no dia 1º de setembro.
----------

BODAS DE ESMERALDA - Reginaldo Gonçalves da Silva e Marizalva da Costa Gonçalves, quarenta anos de amor e cumplicidade.  

*****

SESSÃO NOSTALGIA - Recordando Anísia Gasparina da Fonseca, Miss Brasília 1967

          Em clima natalino, convido os leitores e leitoras para recordar a  trajetória da vida de Anísia Gasparina da Fonseca, Miss Brasília e quarto lugar no Miss Brasil 1967. Eis uma história com todos os ingrediente de um delicioso conto de fadas.  Basta clicar nos links abaixo mencionados. 
                  Um abraço e Feliz Natal todos os dias ! 

 - Daslan Melo Lima

----------


Sessão Nostalgia, 09 de agosto de 2008
Anísia Gasparina, Miss Brasília, um conto de fadas dos anos 60
>>>>>>>>>> 
Sessão Nostalgia, 10 de julho de 2010
Anísia Gasparina da Fonseca, Miss Brasília 1967, e o menino da rua do Bagaço

*****

domingo, 18 de dezembro de 2016

A um passo do Natal



        Volto a afirmar o que já disse em outras ocasiões, tenho a impressão de que os movimentos de rotação e translação da terra estão girando muito rápido. Parece que o ano começou ontem, mas já estamos no último mês de 2016. 
      O tempo é eterno, atemporal. Somos nós que passamos rápidos pelo planeta, aprendendo com os encantos e desencantos da caminhada. Por falar nisso, é tempo do meu pé de acácias amarelas promover o seu festival de ouro, uma pequena demonstração do poder de Deus. A cor amarela está relacionada ao otimismo e à coragem, ferramentas perfeitas para continuarmos a caminhada, cumprindo com sabedoria nossa missão no conturbado planeta Terra.
      Para você, prezado leitor, prezada leitora, o meu desejo é que possamos, através de pequenos gestos que se tornam grandes, fazer com que o Natal seja um estado de espírito de todos os dias. Amém! Assim Seja!
----------
Daslan Melo Lima, em Timbaúba, PE, a um passo do Natal.

*****

REFLEXÃO


"Aproveite bem as pequenas coisas, algum dia você vai descobrir que elas eram grandes."
- Robert Brault, tenor americano.

*****


DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - De repente, Lua de dezembro



DE REPENTE, a chuva forte surpreendeu o intenso calor da tarde, espalhando cheiro de terra molhada e renovando sonhos adormecidos. Enquanto isso, o vento trouxe de longe lembranças que não envelheceram: cheiro de café e pão torrado na manteiga, após banhos alagoanos sob a chuva da infância em São José da Laje. 
De repente, o silêncio da praça grita mais alto, mas não anula as emoções inacabadas de quem foi garoto às margens do rio Canhoto. 
----------
Daslan Melo Lima, na praça José Lins do Rego (praça de Timbaubinha), Timbaúba, PE, na tarde da terceira quinta-feira de dezembro de 2016.

----------


LUA DE DEZEMBRO - Sem o alarde da mídia, a Lua desfila solitária, linda, soberana, majestosa e nua. Parece querer se aproximar para saborear as mangas-rosas do meu quintal. 
Quero esta Lua de dezembro nas canções de todos os meses que virão, antes que a incerteza do que virá espalhe cinza no meu coração. 
---------- 
Daslan Melo Lima. Timbaúba, PE, 13/12/2016.

*****

SESSÃO NOSTALGIA – Denise Rocha de Almeida e Vanja Nobre Jacob, belas na Quinta da Boa Vista

Daslan Melo Lima



      Maio de 1959.  A carioca Denise Rocha de Almeida, Miss Flamengo, e Vanja Nobre Jacob, Miss Botafogo. amazonense residente há quatro anos na rua Barata Ribeiro, em Copacabana,  foram fotografadas por Indalécio Wanderley (1928-2006) na Quinta da Boa Vista. Apontadas como fortes concorrentes ao título de Miss Distrito Federal (Rio de Janeiro), Denise conquistou o segundo lugar, perdendo para Vera Ribeiro, Miss Vila Isabel, enquanto Vanja obteve o quarto lugar.

Denise Rocha de Almeida
----------

Vanja Nobre Jacob
----------
       Elas fazem parte daquelas misses inesquecíveis que desejaram muito o título de Miss Brasil. Vanja voltou às passarelas no ano seguinte, concorrendo ao Miss Brasil na condição de Miss Amazonas, onde conquistou o quarto lugar. Denise retornou em 1963, disputando o Miss Brasil como representante de Brasília, obtendo a quarta colocação.

O Cruzeiro, Ano XXI, Nº 30, 09 de maio de 1959
----------

       A capa de O Cruzeiro daquele 09 de maio de 1959, que circulou com a matéria sobre o encontro das duas beldades na Quinta da Boa Vista, não poderia ser mais emblemática. Mostrava Denise Rocha de Almeida na capa com o braço direito apoiado numa imagem menor de Adalgisa Colombo (1940-2013), Miss Distrito Federal, Miss Brasil e vice-Miss Universo 1958. Isso passava a impressão que a revista, uma publicação pertencente aos Diarios e Emissoras Associados, cadeia nacional de órgãos de comunicação, promotora do concurso Miss Brasil, apostava em sua vitória.

       Imagino que, de vez em quando, em alguma tarde ensolarada de domingo, Denise e Vanja conduzem seus pensamentos para a Quinta da Boa Vista, onde reencontram os sonhos e as mais doces recordações de um tempo que se foi.

*****            

sábado, 10 de dezembro de 2016

HISTÓRIA HUMANA - Que o meu canto seja a extensão dos sonhos dos meus amigos


HISTÓRIA HUMANA - Enquanto faço um selfie diante do meu pé de acácias, que nesta época do ano se veste de ouro, sorrio para o vento, tentando tirar meu pensamento do conturbado momento político brasileiro. 
      Lembro-me de uma citação do poeta Ferreira Gullar, que fez domingo, dia 04, a Grande Viagem: 
A história humana não se desenrola apenas nos campos de batalhas e nos gabinetes presidenciais. Ela se desenrola também nos quintais, entre plantas e galinhas, nas ruas de subúrbios... O canto não pode ser uma traição à vida, e só é justo cantar se o nosso canto arrasta consigo as pessoas e as coisas que não têm voz. 
      Sou parte da história humana que se desenrola na tarde pernambucana que morre. Nada peço a Deus no momento, a não ser que o meu canto seja a extensão dos sonhos dos meus amigos e espalhe a beleza da minha amada árvore dourada. 
----------
- Daslan Melo Lima. Timbaúba, PE, a um passo do Natal de 2016.

----------


SEM CHORO E SEM ESPANTO - Na segunda cidade mais arborizada do mundo, pausa para um clique na frente da escultura da ave que simboliza a força. Em silêncio, declamo um dos meus versículos favoritos: 
Os jovens se cansam e se fatigam e os moços de exaustos caem, mas os que confiam no Senhor renovam suas forças, voam com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam. (Isaías, 40:31). 
      A figura de um gorila também faz parte do cenário, lembrando que estou mais próximo do continente africano, no extremo oriental das Américas, onde o sol nasce primeiro. 

     “E se a águia criasse vida e levasse você para longe do mar de Tambaú?“ Pergunta o menino que um dia eu fui. Respondo firme para acalmá-lo: “A confiança no Senhor do Universo me daria a tranquilidade necessária para atravessar o oceano sem choro e sem espanto."
----------
- Daslan Melo Lima, na manhã ensolarada de João Pessoa, Paraíba, 06/12/2016.
******

REFLEXÃO

"Eu não sei bem por que tantas queixas da vida, se há dias de sol alegrando caminhos."
- Carlos Alberto Ferreira Braga, o Braguinha (1907-2006), compositor carioca.
*****

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Coronel Carlos Lyra, um orgulho timbaubense

Carlos Lyra, Delmiro Gouveia, e Gustavo Paiva constituíram o trio pioneiro da industrialização em Alagoas.


         O Coronel Carlos Benigno Pereira de Lyra, industrial, filho do capitão João Alves C. Pereira de Lyra e de Feliciana Maria de Araújo Pereira de Lyra, nasceu em Timbaúba, no dia 13/02/1859, e faleceu em São José da Laje, AL, em 11/06/1924, onde foi sepultado.  A foto que ilustra esta matéria está afixada na sacristia da Igreja Matriz de São José, em São José da Laje, AL. 
       Carlos Lyra implantou em 1894 a Usina Serra Grande e em 1897 concluiu a implantação da Usina Apolinário, ambas em São José da Laje, além de outras obras relevantes naquela cidade: a hidroelétrica, uma ponte sobre o rio Canhoto, o imóvel da Prefeitura e a Igreja Matriz, cuja construção foi concluída após sua morte.
     Com o seu falecimento, as usinas, as fazendas e o jornal Diario de Pernambuco, também de sua propriedade desde 1913, não sofreram solução de continuidade, permaneceram para perpetuar a obra de um grande timbaubense.
    Abaixo, trechos do questionário publicado no “Timbaúba Chic”, de 30/12/1922.
Sua impressão sobre TimbaúbaA melhor possível. Seria a terra ideal se houvesse mais água e menos mosquitos.
Sua verdadeira vocaçãoCriar zebus
Sua maior felicidadeTer vivido
Sua maior desventura – É pensar que morro
Que terra desejaria habitar?A terra onde nasci
E em que época?Época do milho
Seus planos futurosViajar, ao céu de preferência
Como desejaria morrer - De maneira alguma
Sua divisão – Ser timbaubense.
---------

Fonte de pesquisa: Timbaúba Ontem e Hoje, volume II,  Lusivan Suna. Edições A Província, 1996.

*****


TÚNEL DO TEMPO – Carnaval timbaubense de 1969.  Em pé, da esquerda para a direita:  Terezinha Maranhão, Tiana de Arruda Severo (médica ginecologista conceituada no Recife). Na primeira fila, ajoelhadas, da esquerda para a direita, Terezinha Guerra, Marizé Souza e Nilza Simões. ***** Naquele ano, uma das mais músicas mais tocadas foi “Casa de Bamba”, de Martinho da Vila, que dizia“Na minha casa / Todo mundo é bamba / Todo mundo bebe / Todo mundo samba. (...) / Se tem alguém aflito / Todo mundo chora / Todo mundo sofre / Mas logo se reza pra São Benedito / pra Nossa Senhora / e pra Santo Onofre (...) / Mas se tem alguém cantando / Todo mundo canta / Todo mundo dança / Todo mundo samba / E ninguém se cansa / Pois minha casa/É casa de bamba...” ***** (Imagem: acervo de Nilza Simões).

*****

SESSÃO NOSTALGIA – Eu e Roberto Macêdo, encontro em João Pessoa com Patrícia Moreira, Miss Paraíba 1985, e sua irmã Roberta Moreira, Miss Paraíba 1986


Daslan Melo Lima
     
          Desloquei-me de Timbaúba, PE, para João Pessoa, PB, às 07h30min da terça-feira, 06, menos de 100 Km, viagem tranquila, uma hora e trinta minutos de percurso. O objetivo inicial, programado há dias, era chegar na capital paraibana apenas para abraçar o Roberto Macêdo, que estaria vindo de Natal, RN, para um city tour. No entanto, o que seria um breve encontro, acabou se constituindo em horas inesquecíveis. 
        O Roberto estava na capital potiguar há poucos dias, tendo saído de Salvador, BA, para a celebração dos cinquenta anos de idade do seu amigo Clodualdo Bahia, um dos maiores nomes do segmento de decoração de eventos do Rio Grande do Norte.  
         Conhecer os principais pontos turísticos de João Pessoa e retornar ainda na terça-feira, esse era o alvo do Roberto, só que Patrícia Moreira Rabello (Miss Paraíba, semifinalista e Miss Simpatia do Miss Brasil 1985) convidou meu amigo para dois eventos nos quais minha presença também estava incluída. 
            Roberto chegou no nosso ponto de encontro, o Camarão Grill, às 13h40min, onde almoçamos, depois de ter visitado a Igreja de São Francisco e o Cabo Branco. Após a refeição, rumamos para o Hardman Praia Hotel, onde ele se hospedaria.   

Eu e Roberto Macêdo, no Hardman Praia Hotel, com as credenciais para os eventos da terça-feira, 06.

  Embalado pelo sol paraibano, de vez em quando Roberto cantarolava Maluca por Sivuca, uma música do baiano Walter Queiroz gravada pelo autor e Elba Ramalho. Walter é filho de Luz da Serra, a Relações Públicas do Hotel da Bahia que hospedou Martha Vasconcellos quando ela voltou eleita Miss Universo 1968.
             

Ó Paraíba, meu amor
Eu vim te ver
Trazendo um cheiro da Bahia
Eu vim te ver

Itapuã manda um abraço em Manaíra
Cabo Branco, Cabedelo
Jacumã e Tambaú
E pede um beijo
Um cordão de caranguejo
Uma rede preguiçosa
E um doce de caju

Se lembra o dia que você ficou maluca
Ouvindo um disco de Sivuca
E danou-se pra chorar
Eu prometi que nunca mais eu te esquecia
Que eu voltava, que eu fazia
Um cafuné pra te agradar
  
----------

                                    Chá Solidário no Hotel Globo  
   
              
          O Hotel Globo, construção datada de 1929, está localizado no Centro Histórico de João Pessoa e foi reaberto há quatro meses, no dia 05 de agosto, quando a capital completou 431 anos, após obra de reestruturação que custou 712 mil reais.  
           O Chá Solidário teve o objetivo de arrecadar donativos para instituições que ajudam pessoas carentes, iniciativa da primeira-dama Maísa Cartaxo, promoção da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), cujo prefeito, Luciano Cartaxo, foi reeleito nas últimas eleições.

Eu e o Roberto pisamos no tapete vermelho que dava para o pátio do imóvel, com vista privilegiadíssima para o pôr do Sol do rio Sanhauá, depois das 16 horas. Patrícia Moreira já nos aguardava e nos apresentou a várias personalidades paraibanas. 

            Com sua  simpatia, simplicidade e docilidade, nossa anfitriã nos apresentava desta forma: Este aqui é Roberto Macêdo, jornalista da Bahia, autor da biografia de Martha Vasconcellos, a última brasileira eleita Miss Universo há 48 anos. Este é Daslan, de Pernambuco. Eles são missólogos. Você sabe o que é missólogo?  

Roberto, Maísa Cartaxo, Patricia, eu e Thereza Madalena, apresentadora de televisão.
----------
Roberto, Patrícia Moreira, Patricia dos Anjos (Miss Paraíba 2013) e eu.
----------
Patricia dos Anjos é um tipo que impressiona. Moro em Nova Iorque, falo inglês com fluência e  sou modelo. Minha preparação para o Miss Brasil 2013 foi muito pouca. Só despertei para a importância e responsabilidade de uma Miss quando passei o título para minha sucessora. Agora é que me sinto  preparada e gostaria de voltar ao mundo Miss, confessou.
----------
O pôr do sol por testemunha. Roberto, Thereza Madalena, Patrícia Moreira e eu. 
Eu e Patricia Moreira
----------

Na programação, show com um conjunto folclórico e a cantora Renata Arruda.

      Na hora do pôr do sol, a música que se ouvia era Ave Maria Sertaneja, que ficou famosa na voz do inesquecível Luiz Gonzaga


 Quando batem as seis horas
De joelhos sobre o chão
O sertanejo reza a sua oração.

Ave Maria Mãe de Deus Jesus
Nos dê força e coragem
Pra carregar a nossa cruz.

Nesta hora bendita e santa
Devemos suplicar à Virgem Imaculada
Os enfermos vir curar.

Ave Maria Mãe de Deus Jesus
Nos dê força e coragem
Pra carregar a nossa cruz.

       ----------

Noitada na Pìnk Elephant



         Chegamos na boate Pink Elephant, espaço de categoria internacional, localizada no bairro Altiplano, às 21 horas, local da entrega do Chapéu de Ouro, o maior prêmio da publicidade paraibana; e do lançamento da edição número 40 da revista Premium, publicação da qual Gerardo Rabello, esposo de Patrícia Moreira, é diretor-editor.   Na ocasião, a satisfação de estarmos ao lado da nossa anfitriã e da sua irmã Roberta Moreira (Miss Paraíba e quinta colocada no Miss Brasil 1986).  

Roberto Macêdo ladeado por Patrícia Moreira, Miss Paraíba 1985, e sua irmã Roberta Moreira, Miss Paraíba 1986. *****  Patrícia e Roberta Moreira (que está viúva) possuem graduação em Odontologia pela Universidade Federal da Paraíba. Revelação de Patrícia: Durante muitos anos não dava importância quando mencionavam que eu tinha sido Miss. Focada na minha carreira, fiz Mestrado e Doutorado e nunca comentava sobre o assunto com meus alunos da Universidade. Agora, não me incomoda quando falam que sou a Miss Paraíba 1985, ao contrário, adoro.
----------

Roberta, eu e Patricia Moreira.
----------

Uma noite para recordar.
----------
            Enquanto no palco acontecia a entrega do Chapéu de Ouro, a jornalista Bruna Borges entrevistava Roberto e eu para a RCTV. Detalhe: gostaria de ter encontrado duas personalidades, Gina São Thiago e Luiza Rabello. Gina, Miss Amazonas 1986, estava hospedada na casa de Roberta, mas foi acometida de uma indisposição e preferiu se resguardar. Luiza, filha de Gerardo e Patrícia, famosa em todo o Brasil por conta daquele comercial de televisão que dizia “só faltou a Luiza que está no Canadá. ” 

----------

----------
Eu, Bruna Borges e Roberto Macêdo.
----------
A revista Premium atingiu a marca dos 7 anos e de 40 edições. Na capa, Luciano Cartaxo, prefeito reeleito de João Pessoa, a primeira-dama Maísa Cartaxo e os filhos Matheus e Caio

----------

            O relógio marcava quase 23 horas quando retornei para Timbaúba, enquanto o Roberto Macêdo ficava para usufruir mais da noitada.  
            Foi um encontro mágico com sabor de sonho, tanto que só me dou conta que não foi sonho por causa das fotos que ilustram esta Sessão Nostalgia.

*****

domingo, 4 de dezembro de 2016

Pela chuva de Chapecó


PELA CHUVA DE CHAPECÓ - As nuvens catarinenses de Chapecó choram, enquanto os corpos das vítimas da tragédia chegam à cidade. Diante da televisão, minh'alma chora, mergulhada nos mistérios da vida e da morte. 
      A chuva que cai em Chapecó é uma extensão das lágrimas de uma nação. 
----------
Daslan Melo Lima. Timbaúba, PE, 03/12/2016

----------


O TEMPO NECESSÁRIO - Ao acordar com a notícia da tragédia que tirou as vidas dos jogadores da Chapecoense, a emoção tomou conta de mim. Chorei diante da televisão. A perplexidade em torno do porquê daqueles jovens terem feito tão cedo a Grande Viagem, leva-nos a reflexões que esbarram em mistérios insondáveis. 
      O meu pé de "onze horas" amanheceu florido. A vida dessa espécie é fugaz, por isso a flor murchou antes das cinco horas da tarde. Nada que eu pudesse fazer reverteria o destino da minha rosa. Busquei alento lendo Fernando Pessoa, "tudo que é bom dura o tempo necessário para se tornar inesquecível." 
----------
- Daslan Melo Lima. Timbaúba, PE, 29/11/2016.

*****

REFLEXÃO


"Ninguém pode dar aquilo que não possui. Para dar amor, você deve ter o amor."
- Leo Buscaglia, (1924-1998), professor e escritor ítalo-americano.

*****

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Um reencontro vinte e oito anos depois

Turma de ex-alunos retorna à Escola Santa Maria para mergulhar num tempo que já se foi



        No dia 13 do mês passado, uma turma que começou na Escola Santa Maria em 1975, e concluiu em 1988 o período fundamental dos estudos, antes de ingressar no ensino superior, voltou ao tradicional educandário para relembrar o tempo de estudos. 
        O evento foi organizado por Gerluce Maciel, Vânia Barreto, Sandra Dias e Paulino Junior. Na programação, entre outras atividades, visita à capela e desfile com alguns alunos tocando e marchando na banda, concluindo com um almoço de confraternização. Lembrando que a celebração teve bolo, camisas e copos personalizados. 
      Sessenta pessoas confirmaram presença e cinquenta e quatro delas compareceram ao evento que contou, também, com a presença de dois ilustres educadores, José Guedes e Maria Florize.

----------
----------
----------
----------


​         No seu discurso emocionado, quando do começo da festa, o empresário Rodrigo Chaves Araújo mencionou que:


      Aqui vivemos a melhor fase de nossas vidas, isso não tem como ser explicado por palavras, só existe saudade de um tempo que não volta mais, além disso fizemos grandes amizades que até hoje permanecem em nossas vidas. Claro que, cada um seguiu seu caminho, seu rumo, mas são amizades eternas, que o tempo não destrói. Temos como exemplo esse nosso encontro, é plausível a alegria estampada em cada rosto, em cada sorriso. 
       O dia de hoje nos traz emoções, ansiedade daqueles dias de festas que vivemos aqui, como Dia das Crianças, as gincanas, jogos escolares (estrela branca, azul e amarela), festas juninas, danças... Quadrilhas com a menina ou o menino mais bonito da turma era a ostentação da época. Noite mariana, desfile... A banda marcial era tudo de bom, e as aulas de artes com irmã Glória e de canto com a professora Dulce Rodrigues. Assim vamos ter tempo hoje para compartilhar histórias e emoções. 
    Concluo com a mensagem que “o tempo não volta, o que volta é a vontade de voltar no tempo”. Então faça valer a pena tudo que está sendo vivido hoje nesse encontro. 

----------
Esse assunto é o destaque da página Comportamento da edição de novembro/2016 da revista TIMBAÚBA EM FOCO. 

*****