a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 641, referente ao período de 15 a 21 de outubro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 22 de novembro de 2008

SESSÃO NOSTALGIA - Mara de Carvalho Ferro, "A namorada que sonhei"

Daslan Melo Lima


       Mara de Carvalho Ferro, Miss São Cristóvão Imperial, não estava na lista das favoritas ao título de Miss Guanabara 1969. Era Maria Helena Leal Lopes, Miss Telefônica, que tinha o nome citado, de norte a sul do país, como futura Miss Guanabara, quiçá Miss Brasil, mas uma determinação do juizado de menores impediu sua participação no concurso, pelo fato de ter 18 anos incompletos. Mara de Carvalho Ferro despertou atenção ao desfilar de maiô na passarela do Miss GB, com seu tipo louro distribuído em 1,66m de altura, 86 cm de busto, 93 de quadris e 61 de cintura.



      No concurso Miss Brasil 1969, as duas primeiras colocadas agradaram em cheio: Vera Fischer, Miss Santa Catarina, primeiro lugar, e Maria Lúcia Alexandrino dos Santos, Miss São Paulo, segundo lugar. Para o terceiro e quarto lugares, outros nomes eram esperados, como Sueli Veras, Miss Amazonas, e Ana Maria Côrtes, Miss Minas Gerais. Mas a comissão julgadora decidiu contemplar Ana Maria Rodrigues, Miss Rio Grande do Sul, com o terceiro lugar, e Mara de Carvalho Ferro, Miss Guanabara, com a quarta colocação.

A contagem final dos jurados outorgou 54 pontos para Miss Santa Catarina, 32 para Miss São Paulo, 17 para Miss Rio Grande do Sul e 12 para Miss Guanabara. O quarto lugar foi, de todos, o mais duramente disputado, pois quando surgiram as oito finalistas, Miss Minas Gerais tinha 13 pontos, e Miss Amazonas empatava com a carioca. Se uma parte do público se pronunciava, a certa altura, mais pela amazonense do que pela Miss Guanabara, uma coisa deve ser dita em favor de Mara Carvalho Ferro: ela desfilou em estado de tensão, preocupada com a saúde do pai, que sofrera um enfarte há poucos dias. As demais candidatas tomaram conhecimento do ocorrido e prestigiaram-na. Como quarta classificada, ela representará o Brasil no novo concurso Maja Internacional, na Espanha(Revista Manchete)

“Olha, o mais difícil mesmo foi ser Miss Guanabara”, disse Mara Carvalho Ferro. Antes e depois de ser eleita a mais bela carioca, ela já tinha um futuro promissor à sua disposição: fazer cinema. Parafernália, sua estréia diante das câmaras, vai ser lançado em breve. Depois, fará o papel principal de Helena, Helena. (Revista Fatos & Fotos).



      Mara Carvalho atuou com Jece Valadão no filme Memórias de um Gigolô, de Alberto Pieralisi, mas não foi longe na carreira de atriz. A Miss GB 1969 também foi protagonista da fotonovela colorida A Namorada Que Sonhei, na revista Sétimo Céu, de fevereiro de 1970, ao lado do cantor Nilton César. O argumento foi inspirado na letra da música homônima, composta por Osmar Navarro e gravada por Nilton César, um dos maiores sucessos populares românticos brasileiros de todos os tempos.



      Na ficção, Mara era casada com um homem rico, uma união sem amor e mantida por interesses, a fim de evitar a ruína da família. Sua vida se cruzou com a de um jovem compositor e cantor humilde, protagonizado por Nílton César, que inscreveu a música A Namorada Que Sonhei em um concurso. No final feliz, o rapaz venceu a competição, a família da moça voltou a enriquecer, seu casamento terminou em desquite e ambos partiram para morar nos Estados Unidos.

      Nas imagens dos quadrinhos da fotonovela, conforme algumas cenas aqui reproduzidas, uma Mara Carvalho de cabelos soltos incentivava a fantasia de quem via nela a verdadeira musa da canção. Até hoje, ao ouvir a música, meu pensamento voa para Mara de Carvalho Ferro, Miss Guanabara, quarta colocada no Miss Brasil 1969, A Namorada Que Sonhei.




Receba as flores que lhe dou 

E em cada flor um beijo meu
São flores lindas que lhe dou
Rosas vermelhas com amor
Amor que por você nasceu 

Que seja assim por toda vida 
E a Deus mais nada pedirei 
Querida, mil vezes querida, 
Deusa na terra nascida 
A namorada que sonhei 

No dia consagrado aos namorados 
Sairemos abraçados por aí a passear 
Um dia, no futuro, então casados 
Mas eternos namorados 
Flores lindas eu ainda vou lhe dar 

Que seja assim por toda vida 
E a Deus mais nada pedirei 
Querida, mil vezes querida, 
Deusa na terra nascida 
A namorada que sonhei


*****

Um comentário:

Nilande Ribeiro Filho disse...

Obrigado Daslan por me proporcionar reportagens através do seu Blog, da época em que Mara de Carvalho Ferro foi eleita Miss do então Estado da Guanabara em 1969 ( atual Estado do Rio de Janeiro ). Estas reportagens me levaram a minha adolescência meus 15 anos naquele ano. Pena que não possui-se reportagens atuais da referida miss, mas o que vale são as boas lembranças de um tempo que jamais voltará.Obrigado Daslan !