a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 641, referente ao período de 15 a 21 de outubro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 20 de dezembro de 2008

SESSÃO NOSTALGIA - AQUELE DEZEMBRO INESQUECÍVEL DE MARLUCE MANVAILLER

17 de dezembro de 1966. A revista MANCHETE, uma das mais importantes publicações brasileiras da época, circulava nas bancas de todo o país trazendo na capa a bela morena MARLUCE MANVAILLER ROCHA, Miss Mato Grosso, segunda colocada no concurso Miss Brasil e quarta colocada no Miss Mundo 1966.



No Miss Brasil, ela tinha perdido para Ana Cristina Ridzi, Miss Guanabara, e no Miss Mundo para Reita Faria, Miss Índia, primeira colocada; Mikica Marinovic, Miss Iugoslávia, segunda, e Sefi Plumbi, Miss Grécia, terceira colocada.



Marluce Manvailler foi uma das misses brasileiras dos mágicos anos 60 a encher de orgulho os corações brasileiros. Pela ordem dos fatos, ei-las :

Vera Maria Brauner, vice-Miss Beleza Internacional 1961;
Maria Olívia Rebouças Cavalcanti, quinto lugar no Miss Universo 1962;
Ieda Maria Vargas, eleita Miss Universo 1963;
Vera Lúcia Couto, terceira colocada no Miss Beleza Internacional 1964;
Maria Isabel Avelar Elias, quarto lugar no Miss Mundo 1964;
Sandra Rosa, quinto lugar no Miss Beleza Internacional 1965;
Marluce Manvailler, quarta colocada no Miss Mundo 1966;
Marta Vasconcelos, eleita Miss Universo 1968;
Maria da Glória Carvalho, eleita Miss Beleza Internacional 1968.



Marluce Manvailler vivia em Ponta Porã, onde estudava para se tornar professora. Descendente de uma índia guarani, tinha 1,71 de altura, 57 quilos e a juventude dos seus 18 anos de idade. Com o destaque que ganhou em Londres, voltou ao Brasil determinada a ser manequim profissional e posou para a MANCHETE de 17 de dezembro de 1966, vestindo modelos da Sabrina Modas.

20 de dezembro de 2008.
E assim se passaram 42 anos.
Dentro desta atmosfera natalina, fico pensando numa bela senhora, realizada e feliz, chamada Marluce Manvailler, evocando aquele dezembro inesquecível de 1966.

**********

6 comentários:

Anônimo disse...

Fiquei muito emocionada ao ler tal referência à minha mãe Marluce. Realmente ela continua um ícone da beleza sul matogrossense. Mesmo tendo passado tantos anos, continua mantendo sua beleza e elegância.

afonso disse...

realmente marluce foi uma das misses mais belas qque ja surgira.Assisti esse concurso ao vivo.tinha eu 18 anos.Inesquecivel...

Anônimo disse...

Ela só não ganhou o Miss Brasil ,creio que porque era Mato Groos, que alias também tivemos a Marilene Rocha de oliveira Lima, que tbem merceu o titulo, mas a Natalia também perdeu para a japonesa , pois existem outros interesses nesse concurso.

LAIUNY disse...

DONA MARLUCE, CONTINUA LINDA, FINA, UMA MULHER DESLUMBRANTE, E É PARA NOS SUL MATOGROSSENSES DA FRONTEIRA, MOTIVO DE ORGULHO.

Anônimo disse...

Marluce é uma prima distante. Lembro do tempo em que ele morou no Rio de Janeiro com meu tio Aires, antes de ser Miss, mas já lindísima.

Anônimo disse...

Quando eu à conheci, eu tinha 4 anos. Morávamos em Vila Piloto. Meu pai tinha um Ford COP, ano 39 cor verde conversível na época. Ela ganhou como miss mato grosso e desfilou neste carro com meu pai motorista e eu e minha irmã sentadas no banco dá frente.foi tiradas fotos, mas quando meu pai foi comprar não tinha mais. Se alguém tiver essa foto, entrar em contato. Queremos uma cópia da foto.celialmeida48@hotmail.com