a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 624, referente ao período de 18 a 24 de junho de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 99612.0904 (Tim) e (81) 99277.3630 (Claro) ***** WhatsApp: +55 81 99612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 10 de julho de 2010

SESSÃO NOSTALGIA - Anísia Gasparina da Fonseca, Mss Brasília 1967, e o menino da rua do Bagaço



Daslan Melo Lima


PRÓLOGO


        No dia 09/08/2008, a secção Sessão Nostalgia foi dedicada a Anísia Gasparina da Fonseca, Miss Brasilia 1967. A matéria continua on-line e é uma das várias postagens antigas que você poderá rever em PASSARELA CULTURAL. A bela Anísia voltou a ser focalizada nesta semana por um motivo poético. Vale a apena conferir.


ANÍSIA GASPARINA, UM CONTO DE FADAS DOS ANOS SESSENTA

 Anísia Gasparina da Fonseca (Revista Manchete, 1º/07/1967)


         Anísia Gasparina da Fonseca, natural da cidade de Patos de Minas, Estado de Minas Gerais, morava em Taguatinga, cidade satélite de Brasília, Distrito Federal, trabalhava como empregada doméstica, vivia num barraco de madeira de chão de barro e teto de zinco com Dona  Raimunda, a mãe lavadeira, três irmãos e uma irmã, quando foi convidada para disputar o título de Miss Clube da Área Alfa. Anísia foi a vitoriosa. Venceu em seguida o Miss Brasília e foi a preferida do público e a mais aplaudida das concorrentes ao título de Miss Brasil 1967, onde obteve apenas o quarto lugar. Sua derrota foi atribuída à falta de escolaridade, pois Anísia tinha apenas o terceiro ano primário. Quando o saudoso apresentador Paulo Max, na hora da entrevista, perguntou a Anísia se lhe fosse permitido fazer três pedidos ao Presidente da República que coisas pediria, ela respondeu: “Pediria uma casa para minha mãe morar, conforto para meus irmãozinhos e um emprego para mim.”




Anísia Gasparina da Fonseca (Revista O Cruzeiro, 15/07/1967)
  
     O título de Miss Brasília mudou para sempre a vida de Anísia. O prefeito do Distrito Federal deu a ela uma casinha de presente num bloco construído pelo Banco Nacional de Habitação, em Taguatinga; conseguiu um emprego no Departamento de Turismo de Brasília, com um salário muito bom em moeda da época, 400 cruzeiros novos; ganhou uma casa pré-fabricada da Cinasa-Construção Industrializada Nacional; conheceu Valdomiro de Souza, um milionário de origem pobre, com quem casou e foi morar em Goiânia; conseguiu terminar os antigos cursos ginasial e científico e fez um curso de Educação Física.


JOSÉ DE ANCHIETA BATISTA, O MENINO DA RUA DO BAGAÇO

     Em 27/05/2009, navegando na Internet, o Sr. José de Anchieta Batista encontrou PASSARELA CULTURAL e a Sessão Nostalgia dedicada a Anísia Gasparina. Na ocasião, ele deixou um comentário no espaço apropriado do blog afirmando que ...sua beleza era indubitavelmente inigualável. Eu, naquela época morava em Brasília e tive a satisfação de conhecê-la em uma das festas lá do clube da Marinha - o Área Alfa. Na mesma noite, lembro-me de haver comentado com um amigo: - Como pôde Deus exagerar tanto na beleza dessa mulher?"


 José de Anchieta Batista (Foto: Blog do Anchieta)


     O Sr. José de Anchieta Batista é nordestino de Teixeira, PB, e está radicado no Estado do Acre desde o início da década de 1980. É Bacharel em Ciências Contábeis pela UFPB-Universidade Federal da Paraíba e possui Complementação Pedagógica pela UFAC-Universidade Federal do Estado do Acre. Lecionou por várias anos na ETCA-Escola Técnica de Comércio Acreana. Em 1994, aposentou-se como Auditor Fiscal do INSS-Instituto Nacional do Seguro Social, quando instalou escritório de consultoria e assessoria contábeis. A partir de 1999, exerceu diversos cargos no Governo do Estado do Acre, como presidente de diversas estatais e Secretário de Estado da Administração. Desempenha atualmente a função de Diretor-Presidente do Instituo de Previdência do Estado do Acre e edita o blog www.blogdoanchieta.blogspot.com/.




     No dia 02/12/2009, José de Anchieta Batista lançou o livro Menino da Rua do Bagaço, editado pela Publit Soluções Editoriais, do Rio de Janeiro. Recentemente, ele enviou-me um exemplar do referido livro. Foi com muita emoção que, ao chegar na página 45, deparei-me com o poema Versos para Anísia, escrito pelo autor no Bar Caravelle, então situado na W3 Sul, em Brasília, em julho de 1967. Adiante, os lindos versos do poeta dedicados a Anísia Gasparina.


VERSOS PARA ANÍSIA


 Anísia Gasparina da Fonseca (Manchete, 15/07/1967)


Parai tudo, tudo quando,
Anísia com seu fulgor,
Luzindo o seu resplendor,
Fôr pela rua passando!

Recebei-a com carinho,
Vede só o quanto é bela,
jogai flores da janela,
Perfumando o seu caminho!

Oh! Daí ouvidos a mim,
Somente por um segundo:
- Bebida pra todo mundo,
Seu moço do botequim!

Guardas, agora parai
Todos os carros da rua,
Pois tão bela quanto a lua,
Anísia passando vai!

Contemplai sua beleza,
Soberana e irradiante...
Comparai-a neste instante,
Com a própria natureza!

Jogai-lhe flores cantando,
Retirai vossos chapéus,
Brilhai estrelas dos céus,
Pois Anísia vai passando!

Seu moço do violão,
Seu coração não palpita?
- Sole uma valsa bonita!
- Cante uma bela canção!

Poetas, versos falai!
Não vos inspirais bastante?
Fazei versos neste instante,
Que Anísia passando vai!

Tangei, sinos da Matriz!
Cantai, pardais, com fulgor!
Exala perfume, ó flor,
Que esta rua está feliz!

Abre alas, minha gente,
E, silêncio! – por bondade,
Porque Sua Majestade
Vai passando à nossa frente!
 
Anísia Gasparina da Fonseca (Fatos & Fotos, 08/07/1967)


A MISS E O MENINO DA RUA DO BAGAÇO


     Em dezembro de 1975, vivendo entre Brasília e a capital de Goiás, dona de mansões e fazendas com aeroportos particulares, Anísia Fonseca, uma das mulheres mais ricas do planalto central, deu um depoimento a Marlene Anna Galeazzi, publicado na revista Fatos & Fotos, de 29/12/1975, onde entre outras coisas afirmou:

              Quando lembro as coisas que passei para sobreviver, penso que é um sonho. Acho que hoje não teria condições de enfrentar, sempre sorrindo, as dificuldades dos anos passados. Graças a Deus, aos brasilienses e ao meu marido, que é também um pai para mim, pude ajudar a minha família. 

            Engraçado, às vezes sinto saudades daquela época, sabe o que é? A lembrança da educação que minha mãe, com toda sua humildade, nos deu. O carinho que ela dedicava aos filhos, dentro de um mísero barraco, me ajudou muito, principalmente agora. Graças a isso, não virei uma dondoca sem objetivos. Como agradecimento pelo que a vida me deu, procuro ajudar aos outros, através do Asilo São Cotolengo, no interior de Goiás, onde pessoas de todas as raças e idades vão procurar um pouco de paz.


          No livro Menino da Rua do Bagaço tem um poema homônimo que diz:


Que bom voltasse tudo uma outra vez...
A rua, a vida, o tempo e o mesmo espaço...
Meninos lá da Rua do Bagaço,
Neste momento, onde é que estão vocês?

Dispersos pela vida amarga e crua,
Na vã procura da felicidade!
Oh! Como dói saber que na verdade
Ela morava ali na nossa rua!

Esse tempo distante é como um vulto
Que me segue na rota da velhice...
E agora eu vejo o quanto era tolice
O sonho pertinaz de ser adulto.

EPÍLOGO


     Há mil ruas do Bagaço por esse Brasil afora, com suas mil Anísias e mil meninos. Quantas Anísias e quantos meninos mudarão de vida? Quantas Anísias e quantos meninos se perderão nos caminhos da ilusão? Quantas garotas lindas terão o destino de glória de Anísa Gasparina da Fonseca, Miss Brasília 1967? Nem o vento frio de julho que agora sopra em alguma rua do Bagaço saberá responder.


*****

7 comentários:

ANCHIETA BATISTA disse...

No último fim de semana, domingo (11/07/2010), fui agraciado com um valioso presente: - Uma matéria sobre o "Menino da Rua do Bagaço" foi inserida num dos Blogs mais interessantes que tive a oportunidade de descobrir e acessar. Trata-se do PASSARELA CULTURAL, editado por DASLAN MELO LIMA.
Como nordestino, nascido lá em Teixeira - Paraíba, e residindo em Rio Branco, no Acre, tocam-me deveras os conteúdos ali inseridos. Embora não conheça Timbaúba, o Blog traz-me a sensação de passear por suas ruas, em meio a conhecidos, inclusive o próprio Daslan.
Como apaixonado por nosso Nordeste, mergulho sempre numa saudade indescritível desses ares nordestinos. É que em meu Nordeste todos os recantos se assemelham. O Daslan é, indiscutivelmente, um magnífico poeta. Sabe dar alma aos assuntos que lhe tocam a alma. Fotografa com palavras os fatos e o ambiente. O seu jeito de abordar as coisas transporta-me para junto de minha maravilhosa gente. E tudo tem um cheiro especial das terras do meu Nordeste.
Ali se descortinam cenários inesquecíveis do agreste, da caatinga, da zona da mata, das praias e de seus coqueirais...
Ali estão, o juazeiro, o xiquexique, o avelós, a macambira, a jurema, a flor de muçambê...
Ali se saboreia uma buchada de bode com pinga... numa farta mesa com pão de milho, feijão verde e carne de sol...
Ali, a fé de minha gente sobe aos céus com o calor de uma fogueira de São João, ao som da concertina, de um triângulo e de um zabumba...
Ali se ouve o cantar da asa branca, do galo-de-campina, do sabiá, do assum preto, do juriti... Ali está o caboclo forte, um lutador incansável que nunca esmorece...
Ali está a cabocla, a sertaneja, a agrestina, a mulher brejeira, com sua beleza inconfundível e peculiar...
Ali está, o sonho, a esperança, a bravura, um jeito diferente de ser feliz, e, sobretudo, o AMOR... Tudo isto ao ritmo maravilhoso de um xaxado, de um xote, de um baião, de um forró.
O PASSARELA CULTURAL traz sempre um cheirinho especial da terra e da gente nordestina. É bem mais que um espaço literário. Visite-o e verá!
http://passarelacultural.blogspot.com/


Meu caro DASLAN,


Parabéns por seu Blog!
Meus agradecimentos por ter a honra de merecer uma referência sua a respeito de minha humilde pessoa e de meu “MENINO DA RUA DO BAGAÇO”.


A ANÍSIA GASPARINA talvez nem saiba que eu exista, mas ela mereceu meus humildes versos, sendo, portanto, personagem que desfilou e ainda desfila, não só nas passarelas dos concursos de beleza, onde foi injustiçada, mas, também, na passarela de minha juventude, além de, mui merecidamente, ainda desfilar em sua exuberante PASSARELA CULTURAL.


A seguir, orgulhosamente, transcrevo a matéria postada pelo DASLAN :

ANCHIETA BATISTA disse...

Caro daslan,

Abraço.

A seguir transcrevo a postagem que você fez em sseu Blog, a respeito de mim e da Anísia:
------------------
"No último fim de semana, domingo (11/07/2010), fui agraciado com um valioso presente: - Uma matéria sobre o "Menino da Rua do Bagaço" foi inserida num dos Blogs mais interessantes que tive a oportunidade de descobrir e acessar. Trata-se do PASSARELA CULTURAL, editado por DASLAN MELO LIMA.
Como nordestino, nascido lá em Teixeira - Paraíba, e residindo em Rio Branco, no Acre, tocam-me deveras os conteúdos ali inseridos. Embora não conheça Timbaúba, o Blog traz-me a sensação de passear por suas ruas, em meio a conhecidos, inclusive o próprio Daslan.
Como apaixonado por nosso Nordeste, mergulho sempre numa saudade indescritível desses ares nordestinos. É que em meu Nordeste todos os recantos se assemelham. O Daslan é, indiscutivelmente, um magnífico poeta. Sabe dar alma aos assuntos que lhe tocam a alma. Fotografa com palavras os fatos e o ambiente. O seu jeito de abordar as coisas transporta-me para junto de minha maravilhosa gente. E tudo tem um cheiro especial das terras do meu Nordeste.
Ali se descortinam cenários inesquecíveis do agreste, da caatinga, da zona da mata, das praias e de seus coqueirais...
Ali estão, o juazeiro, o xiquexique, o avelós, a macambira, a jurema, a flor de muçambê...
Ali se saboreia uma buchada de bode com pinga... numa farta mesa com pão de milho, feijão verde e carne de sol...
Ali, a fé de minha gente sobe aos céus com o calor de uma fogueira de São João, ao som da concertina, de um triângulo e de um zabumba...
Ali se ouve o cantar da asa branca, do galo-de-campina, do sabiá, do assum preto, do juriti... Ali está o caboclo forte, um lutador incansável que nunca esmorece...
Ali está a cabocla, a sertaneja, a agrestina, a mulher brejeira, com sua beleza inconfundível e peculiar...
Ali está, o sonho, a esperança, a bravura, um jeito diferente de ser feliz, e, sobretudo, o AMOR... Tudo isto ao ritmo maravilhoso de um xaxado, de um xote, de um baião, de um forró.
O PASSARELA CULTURAL traz sempre um cheirinho especial da terra e da gente nordestina. É bem mais que um espaço literário. Visite-o e verá!
http://passarelacultural.blogspot.com/

Meu caro DASLAN,
Parabéns por seu Blog!
Meus agradecimentos por ter a honra de merecer uma referência sua a respeito de minha humilde pessoa e de meu “MENINO DA RUA DO BAGAÇO”.

A ANÍSIA GASPARINA talvez nem saiba que eu exista, mas ela mereceu meus humildes versos, sendo, portanto, personagem que desfilou e ainda desfila, não só nas passarelas dos concursos de beleza, onde foi injustiçada, mas, também, na passarela de minha juventude, além de, mui merecidamente, ainda desfilar em sua exuberante PASSARELA CULTURAL."
---------------
A seguir, orgulhosamente, transcrevo a matéria postada pelo DASLAN :
----------------
(transcrição da matéria em http://blogdoanchieta.blogspot.com/com fotos)
----------------

ANCHIETA BATISTA disse...

Daslan.

Desculpe-me. Na realidade, meu comentário anterior, iniciei-o sem muita clareza. Meu propósito era, em primeiro lugar, dizer que estava ali, agradecendo sua postagem, para depois transcrever a referência feita em seu Blog sobre mim. Misturei as coisas.

Abraço.

Anchieta

Anônimo disse...

Gasparina era a melhor opção!!!!!!!!Comentava-se na época que lhe deram o 4° lugar pois não queriam uma MB com pouca escolaridade.Mas é linda!!!!!!!!todos a queriam MB.A classificação ficaria assim:1°)Brasília,2°)SP,3°)PR e 4°)Pará.Abraços, Japão

Divonice Ines Ramos disse...

Sou a Divonice Inês Ramos 3ºlugar 1967, saudades de todos,hoje moro em Birigui-sp,estou aposentada como professora, mãe de 2 filhos,2 netos e 1 neta, contato 0xx18 96065746.


Jorge Dom disse...

Nunca mais esqueci Anisis , Miss Brasilia 1967. Realmente linda.

João Cordeiro disse...

toda vez que acesso esta página me emociono e às começo a chorar devido a simplicidade desta criatura pois nesta época eu estava com 17 anos e estava torcendo pela Anisia ganhar o concurso pois ela foi a melhor candidata porém, o Altissimo estava preparando a sua trajetória de vida em função de ajudar a sua família. Parabéns Anisia pelo seu caráter e personalidade.