a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 616, referente ao período de 23 a 29 de abril de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 99612.0904 (Tim) e (81) 99277.3630 (Claro) ***** WhatsApp: +55 81 99612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 20 de outubro de 2012

SESSÃO NOSTALGIA - Dilene Maria Roberto de Araújo, Miss Pernambuco 1971

Daslan Melo Lima
                                                                         
PRÓLOGO

        
        O primeiro concurso de Miss Pernambuco que assisti ao vivo foi o realizado no ano de 1971, na noite de 12 de junho, no amplo espaço do Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães Melo, o Geraldão, palco da eleição da mais bela pernambucana de 1971 a 1979. Tudo no Geraldão remetia às imagens mágicas do Maracanãzinho que eu só conhecia através das revistas O Cruzeiro, Manchete e Fatos & Fotos
       Transmitido pela Rádio Clube de Pernambuco, empresa pertencente aos Diarios e Emissoras Associados, promotores do Miss Brasil, a apresentação da festa foi conduzida por  Carmen Towar e Albuquerque Pereira.

      Jerry Adriani, um dos maiores ídolos da Jovem Guarda, e  Valdick Soriano (1933-2008), um dos mais queridos intérpretes da música popular romântica, foram as grandes atrações musicais.  A coordenação do evento estava entregue a Carmen Towar, Antonio Colhado e Odacir Costa. Na comissão julgadora, nomes famosos da sociedade que eu só conhecia através das colunas sociais:  José de Almeida Castro, Dulcinha Gueiros, Niedja Cunha, Mécia Oitica Thurton, Miriam Hazin, Juarez Xavier e o pintor alagoano Pierre Chalita (1930-2010).

AS CANDIDATAS

          Por ordem alfabética das entidades e instituições, as concorrentes ao Miss Pernambuco 1971 foram: 

Miss Araripina - Maria do Carmo Modesto Lira 
Miss Associação dos Servidores Civis - Joseneide Castro Barreto 
Miss Atlético Clube de Amadores - Valdete Cristina Ventura 
Miss Escada - Maria do Socorro de Mesquita 
Miss Garanhuns - Dilene Maria Roberto de Araújo 
Miss Goiana -  Dolores Maria Lima 
Miss Jaboatão - Edineide Monteiro Farias 
Miss Limoeiro - Hebe Gomes da Silveira Sobrinha 
Miss Olinda - Rosângela Carvalho Monteiro 
Miss Petrolina - Maria do Socorro Nogueira Tavares (nome como constou em matéria do Jornal do Commercio, mas que em outro meio de comunicação foi escrito como Maria do Socorro Barbosa dos Santos) 
Miss Salgueiro -  Maria Lucrécia de Araujo Roza 
Miss Santa Cruz Futebol Clube - Stella Maria Silva

       As três misses que despertaram de imediato a minha atenção, quando do desfile em traje de gala, foram as representantes do Santa Cruz Futebol Clube, Olinda e Garanhuns, nessa ordem. No desfile de maiô, por ordem de preferência, as minhas favoritas passaram a ser as Misses Garanhuns, Olinda e Santa Cruz. Lembro-me de ter visto o estilista Marcílio Campos (1930-1991), sentado em cadeiras privilegiadas perto da passarela, levantar-se várias vezes para aplaudir Stella Maria, Miss Santa Cruz, uma mulata que se destacava pela cor da pele e pela segurança ao desfilar, e que fazia parte da sua equipe de manequins, termo designado para o que hoje chamamos de modelos. Por sua vez, ninguém se referia a Marcílio Campos  como estilista. Era costureiro ou figurinista. Muito aplaudida de vestido, Stella Maria desagradou em traje de maiô, pois era muito magra para os padrões da época .  
                                                           
   
                                                          O TOP 3

Da esquerda para a direita: Stella Maria Silva, Miss Santa Cruz Futebol Clube, terceiro lugar; Maria do Socorro, Miss Petrolina (semifinalista); e Ana Almeny, Miss Surubim, Miss Pernambuco 1970, recebendo a coroa de uma assistente de palco para colocar na cabeça da sua sucessora Dilene Maria Roberto de Araújo, Miss Garanhuns, eleita Miss Pernambuco 1971. (Foto: Jornal do Commercio-Recife).
----------
Rosângela Carvalho Monteiro, Miss Olinda, terceira colocada. (Foto: Arquivo/Fernando Machado).
----------    
O TOP 3 DO MISS PE 1971 - Programa Misses na Passarela, apresentado pela TV Rádio Clube de Pernambuco. Da esquerda para a direita: Stella Maria Silva, Miss Santa Cruz Futebol Clube; Dilene Maria Roberto de Aráujo, Miss Garanhuns; Carmen Towar, jornalista, apresentadora do programa; e Rosângela Carvalho Monteiro, Miss Olinda. ***** Foto: Acervo de Carmen Towar.   


DILENE, UMA LENDA DE SÃO JOÃO E GARANHUNS


      Dilene Maria Roberto de Araújo, Miss Garanhuns, eleita Miss Pernambuco 1971, nasceu na pequena cidade de São João, que fica a 236 km do Recife, mas seus pais tinham residência em Garanhuns, distante apenas 16 Km de São João. O município de São João, no ano em que Dilene  nasceu, 1953, era distrito de Garanhuns, tendo obtido sua emancipação política em 25/11/1958. Oriunda de família muito bem relacionada na região, filha de um casal de fazendeiros, Daniel Cezário de Araújo e Dulce Roberto de Araújo, a Miss Pernambuco 1971 era aluna do 1º ano científico do Colégio XV de Novembro, educandário tradicional de orientação presbiteriana, fundado em 1899.
----------
Beleza em dose tripla. Dilene Araújo, Miss Pernambuco; Marilena Vieira, Miss Santa Catarina; e Joana Vita Moraes de Sousa, Miss Roraima. O nordeste, o sul e o norte muito bem representados no concurso Miss Brasil 1971.
----------
Maracanãzinho, Rio de Janeiro, 13/07/1971. Vestindo maiôs Catalina, Lúcia Medeiros de Sousa, Miss Paraíba; Marize Meyer Costa, Miss Paraná, terceira colocada no Miss Brasil; Dilene Araújo, Miss Pernambuco; e Maria de Fátima Ferreira Macedo, Miss Piauí. 
---------- 

              Dilene Araújo levou para o Rio de Janeiro as esperanças de milhares de pernambucanos que não tinham dúvida que ela faria uma excelente apresentação no Maracãzinho, Rio de Janeiro. A mais bela pernambucana de 1971, no entanto, não obteve classificação entre as oito finalistas do Miss Brasil,  no ano em que a primeira colocada foi a mineira Eliane Guimarães (quinto lugar no Miss Universo) e a segunda foi a carioca Lucia Tavares Peterle (eleita Miss Mundo em Londres). Dilene Araújo é um dos nomes que honra a história do Miss Pernambuco.
           Após o seu reinado, ela continuou sua vida tranquila em Garanhuns, casou, teve filhos e seu nome virou sinônimo de  lenda em São João e Garanhuns, a lenda da garota morena, estudante do Colégio XV de Novembro, que um dia foi aplaudida de pé por 20 mil pessoas ao ser eleita Miss Pernambuco 1971.

----------

DETALHES


          O recorte do Jornal do Commercio, do Recife, de 13/06/1971, informava que a Miss Santa Cruz Futebol Clube foi a mais aplaudida durante os desfiles, quando na realidade os aplausos maiores foram para a Miss Garanhuns. Também dizia que as medidas de Dilene eram 1,72 de altura, 93 de busto, 65 de cintura e 100 de quadris, mas em outra publicação constava 1,71 de altura, 86 de busto e 98 de quadrisUma irmã de Dilene, Déa Lúcia, foi eleita Miss Garanhuns 1982 e classificou-se entre as semifinalistas do Miss Pernambuco. 
           Stella Maria, a vice-Miss Pernambuco 1971, ainda desfilou por algum tempo como manequim da equipe de Marcílio Campos e chegou a receber homenagens e ser citada nas colunas sociais como uma das jovens mais elegantes de Pernambuco. 
            Rosângela Carvalho Monteiro, Miss Olinda, terceira colocada, o mais belo rosto do concurso, recebeu a faixa de Miss Interior. Meses depois foi eleita Miss Objetiva de Pernambuco e conquistou em São Paulo o titulo de Miss Objetiva do Brasil 1971. 
            A Miss Petrolina, semifinalista, hoje  Sra. Maria do Socorro Santos Ramos, casou com o político José Muniz Ramos e foi primeira dama de Pernambuco, quando o seu esposo governou o estado no período de 1981 a 1983.

----------

EPÍLOGO

          As primeiras coisas das nossas vidas ninguém esquece. A frase é um chavão que encerra uma grande verdade. Transcorridos 41 anos depois daquele 12 de junho de 1971, fecho os olhos e revivo todo aquele desenrolar das imagens do meu primeiro concurso Miss Pernambuco. 
        Cenas inesquecíveis trazem de volta para esta minha noite do penúltimo sábado de outubro de 2012  a beleza, a simpatia, a classe, a elegância e o sorriso  de Dilene Maria Roberto de Araújo, eterna Miss Garanhuns , eterna Miss Pernambuco 1971.  

                                      *****

3 comentários:

Anônimo disse...

Que delícia !
Eu me senti transportado para uma época que não vivi. Adorei! Que MISS maravilhosa!

C.Rocha de Floripa

Anônimo disse...

Daslan, 1971 também foi a minha primeira vez assistindo ao Miss Pernambuco. Fiquei numa cadeira atrás da comissão julgadora. Estava com minha mãe e meu irmão caçula.

Minha candidata era a Miss Santa Cruz, Stella Maria. Ela tinha uma passarela sensacional quando desfilou num esvoaçante modelo branco bordado com pedrarias, miçangas, criado pelo papa da moda Marcílio Campos. Parecia um cisne branco flutuando. A platéia delirava. Mas mudei de opinião quando ela surgiu de maiô.

Se Deise Nunes tivesse participado dos concursos de beleza nos anos 50/60 ou 70 jamais teria vencido. Porque a Stella, a bela mulata do tricolor do Arruda, tinha o corpo igual ao da Deise e levou a maior vaia das 12 mil pessoas que lotaram o Ginásio Geraldão durante a chamada "Hora da Verdade".

Venceu a melhor candidata. Mas eu colocaria a Miss Olinda (o mais belo rosto e corpo, embora fosse baixinha) na segunda colocação.

Valeu recordar o ano de 1971.

Abraços,

Muciolo Ferreira-Recife

Gabriela Roberta Araújo Morgado disse...

Fico orgulhosa e grata por minha mãe está sendo relembrada,afinal o que é belo é para ser relembrado."Quando realmente está escuro vemos as estrelas mais brilhantes."CHARLES A.BEARD.e minha mãe é sim uma grande estrela!