a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 641, referente ao período de 15 a 21 de outubro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 14 de junho de 2008

SESSÃO NOSTALGIA – SANDRA GUIMARÃES DE OLIVEIRA, MISS BRASIL 1974, A ANTIMISS.

Daslan Melo Lima

Sandra Guimarães, Miss São Paulo, Miss Brasil 1974


          Na noite do concurso Miss Brasil 2004, quando da homenagem às Miss Brasil , uma linda senhora com jeito de garota travessa, sorridente, de cabelos curtos presos no estilo “rabo de cavalo”, era uma das que mais se destacava pelo ar jovial. Seu nome : Sandra Guimarães de Oliveira, Miss Brasil 1974.

          Sandra Guimarães, quando eleita Miss São Paulo e Miss Brasil, morava em Ribeirão Preto. A filha do dentista Wilson Oliveira, na época gerente da Caixa Econômica Federal daquela cidade , e de D. Glícia,  nasceu em 24/07/1955, tinha dois irmãos, Dario e Silvana, cursava o 1º ano de Psicologia na PUC, na capital, e namorava João Bosco, médico cardiologista da Beneficência Portuguesa. Loura de olhos verdes, Sandra Guimarães tinha 1,72 de altura,59 Kg, 88 cm de busto, 62 de cintura e 88 de quadris e formou o Top 3 de 1974 ao lado de Janeta Eleomara Hoeveler (Miss Rio Grande do Sul, segunda colocada,) e de Marisa Sommer (Miss Brasília, terceira colocada, a favorita do público, semifinalista no Miss Mundo). O Miss Brasil 1974 foi realizado no Ginásio Presidente Médici, em Brasília, perante um público estimado em 25 mil pessoas, e são de Fatos & Fotos as imagens acima.

          O cirurgião plástico Marcos Szpilman, impressionado com a beleza de Sandra Guimarães, declarou à revista Fatos & Fotos, de 17/06/1974:

Na minha opinião, a Miss Brasil deste ano apresenta uma bela combinação de cor de olhos com a dos cabelos.Ela me pareceu bastante graciosa ,feminina e com medidas que qualquer mulher gostaria de possuir. Além disso, as características principais da face,como nariz,boca, queixo etc.,são bem proporcionais e se encaixam perfeitamente uma com a outra.Mas,como perfeição só existe nas obras de arte,eu dou 9 para ela, porque a acho quase perfeita.

          Sandra Guimarães não figurou entre as 12 semifinalistas do Miss Universo , realizado em 19/07/1974, no Folk Arts Theater, em Manilha, Filipinas, cuja vencedora foi Amparo Munoz, Miss Espanha. Na sua volta ao Brasil, descontraída, sem maquiagem alguma e com o cabelo amarrado num rabo- de -cavalo, trajando uma camiseta onde se lia “Benice Tome. I’ve Ahard Day”, Seja Legal Comigo, Tive Um Dia Difícil, deu a declaração abaixo, publicada em FATOS & FOTOS, de 12/08/1974.

A viagem valeu pela curtição. Sou a antimiss. Voltei com saudade de tudo e todos. Adorei as Filipinas. Logo que cheguei lá, fui "adotada" por uma família de Manilha. Ganhei presentes, inaugurei um hospital e fui a muitas festas. Teve uma, no Baran Gay Day, que foi um “barato”: eu estava com calor e mil pessoas vieram me abanar. Parecia ate que eu estava num daqueles filmes de Bagdá.A candidata da Inglaterra era bonitinha. A da Holanda também, mas logo que vi a da Espanha, achei que ela seria a nova Miss Universo.

Perdi. Só isso. Não fui a primeira e não serei a última. Perdi, porque perdi e não liguei. Não tinha paciência de ficar sorrindo o tempo todo, depois de ter ensaiado 12 horas. Teve um jornal de lá que me colocou entre as 12 finalistas, mas os juízes não pensaram com o os repórteres. É claro que minha mãe, minha companheira de vigem, me achava a mais bonita de todas as candidatas, mas foi ela quem ganhou um titulo: o de Miss Mãe.

          Ao ser indagada quanto aos compromissos como Miss Brasil, ela falou em tom de brincadeira :

Vai ser um escândalo total. Não sou a Miss tradicional. Em Brasília, num dia muito frio, vesti um camisão e apareci para o pessoal. Não gosto de usar maquiagem e sempre fiz questão de ser o que sou.

          A Miss Brasil 1974 reside hoje em Rio das Pedras-SP e tem um ateliê de decoração em Piracicaba. No dia 03/07/2004, em longa entrevista a João Umberto Nassif, no programa "Piracicaba, Histórias e Memórias", na Rádio Educadora de Piracicaba, Sandra fez as seguintes declarações:

EU ME ACHAVA UMA PESSOA FEIA - Eu fui me dar conta de que eu era uma pessoa bonita quando fui eleita a Miss Brasil. Ninguém acredita. Mas eu fui uma pessoa que cresci com muitos complexos. Demorei muito tempo para superá-los. Mesmo depois de ter sido eleita Miss Brasil ainda conservava os meus complexos. Eu me achava uma pessoa feia. Eu tive que usar aparelhos nos dentes, o que não era comum na época e hoje é moda. Eu dormia com esparadrapo na boca, não podia dormir com a boca aberta porque o dentista falava que o dente saia mais para fora. Eu tinha as pernas tortas. Tive que ficar com as pernas engessadas durante meses. Isso quando eu tinha nove anos. Depois, após tirar o gesso, tinha que dormir com aparelhos nas pernas, coisa que nenhuma amiguinha minha usava para dormir. Eu usava botina! Era um inferno a minha vida! A minha mãe sempre querendo que eu ficasse assim, bonita, bonita, bonita! E eu achando que eu era a pessoa mais feia do universo. Tive que fazer tudo para arrumar!

FUI INCENTIVADA PELO MEU PAI - Eu prestei vestibular para psicologia na PUC-SP e fui aprovada. Comecei a fazer a faculdade. Nesse ínterim meu pai aparece em São Paulo falando que todo mundo em Ribeirão Preto estava atormentando a vida dele e da minha mãe por que todo mundo queria que eu fosse candidata ao concurso para Miss Ribeirão Preto. Por incrível que pareça fui incentivada pelo meu pai. Geralmente é a mãe da Miss que a incentiva. Nesse caso foi o papai.
Eu nunca consegui falar não para o meu pai. Eu acabei concordando, falei : - "Ta bom papai! Eu vou me candidatar ao Miss Ribeirão Preto, depois acabou! Porque eu quero estudar!" Fui a Ribeirão Preto, participei do concurso, mas sem pensar em ganhar o concurso, queria só alegrar o meu pai. E acabei sendo eleita Miss Ribeirão Preto. Foi aquela festa, aquela alegria, aquela coisa toda que todo mundo sabe como é que é , ai eu disse ao meu pai: - "Já fiz o que o senhor pediu, o que todo mundo tava te amolando, agora eu volto para São Paulo." Ele me disse: - "Não! Não! Agora você tem que participar do concurso Miss São Paulo. Você continua fazendo a faculdade, você vai estar em São Paulo mesmo." Concordei com ele.

FALARAM O DIABO DE MIM - O concurso Miss São Paulo foi em Campinas. Era organizado pelos Diários Associados e o responsável era Raul Roulien. Foi o maior forrobodó, o maior “ forfait” pro meu lado.Eu estava hospedada num hotel em Campinas junto com outras misses. Era apartamento individual, onde eu ficava com a mamãe.Bom, eu estava lá, linda e loira, hospedada no hotel e ia haver um jantar, mas só para nós misses. Ia ter um pouco de imprensa. Nesse dia eu estava no meu quarto e resolvi dar uma clareada no cabelo Entraram no quarto meu cabeleireiro, minha cabeleireira e eles foram clarear meu cabelo. Foi o maior forrobodó naquele quarto.Tive que lavar o cabelo na banheira porque o chuveiro não funcionava, foi um rolo. E as misses lá embaixo, já no salão, todas esperando já sentadas para o jantar, falando o diabo de mim, que eu estava querendo chegar atrasada para ser notada pela imprensa. Falaram o diabo, não me recordo exatamente o que falaram, mas foi algo que eu fiquei tão brava, tão brava, que eu desci para o restaurante de camisola transparente e o cabelo em sopa, para cima, com tinta escorrendo, para provar que eu não estava fazendo nada do que todas estavam comentando. Foi ai a minha primeira aparição. Ai fiquei conhecida mesmo. Elas me tornaram conhecida. Conhecidíssima, eu diria.
Fui eleita Miss São Paulo. A apresentação foi do Walter Forster. Ai falei: - "Agora chega! Chega! Parei! Não dá mais para mim! Eu quero seguir a minha vida!" Diziam que eu tinha que concorrer para ser Miss Brasil. Eu na realidade só queria deixar meu pai contente. Ai tranquei a matrícula na PUC e lá fui eu para Brasília. Foi outro forrobodó!

SEMPRE FIQUEI NA MINHA - Eu não aprontei nada. As misses é que aprontaram. Eu ficava na minha. Sempre fiquei na minha. Elas ficaram incomodadas comigo. Porque elas acordavam com cinco centímetros de pancake , cílios postiços, baton. Produzidas. Montadas. Eu acordava, colocava minha calça jeans, meu tênis, minha camisetinha branca, bem básica, e descia para tomar café da manhã, bater papo, usando o cabelo preso tipo rabo-de-cavalo. E elas começaram a falar de mim, diziam que alguma coisa eu estava querendo: ” não é possível que essa mulher não se arrume”. Elas começaram a falar muito mal de mim porque eu andava de qualquer jeito.Para elas, calça jeans, tênis e camiseta era andar de qualquer jeito, para mim não. Elas começaram a falar muito de mim e isso chegou nos ouvidos da imprensa. A imprensa toda queria saber quem era essa fulana diferente. Era eu. Então eu me tornei mais conhecida ainda. Porque elas falaram muito mal de mim. A imprensa gostou bastante de mim.


A VINGANÇA É UM PRATO QUE SE COME FRIO - Existem as aulas de etiqueta. Ensaios. As meninas ficavam possessas comigo porque nos ensaios elas iam maravilhosas, esplendorosas, punham até vestido longo para ensaiar. Eu punha uma calça bem grossa para ensaiar. Era um frio. Era mês de junho.Usava uma meiona bem grossa no pé. Eu desfilava descalça. Punha umas camisas bem grossas, que eram do meu pai. Assim eu ia ensaiar. Elas me achavam ridícula. Diziam: “Essa mulher veio do meio do mato!” Só que a mulher do meio do mato ganhou!

Ganhei um Fuscão branco no Miss São Paulo. No Miss Brasil, eu ganhei um Chevette branco, era o carro da moda.A vingança é um prato que se come frio. Sabe por que digo isso? Porque tinha um grupinho que só queria me prejudicar. Faziam tudo possível para ver se eu não ganhava. Isso é da época do maestro Herlon Chaves. Não fui ao programa de Flavio Cavalcanti. Tive o maior quebra pau com ele.Fui ao programa da Hebe Camargo, conheci Dina Sfatt uma mulher encantadora, nunca vou me esquecer dela.
Clodovil fez meus trajes todos. Tem um traje típico, que era a camisa 10 do Pelé. Ela tinha cinco camadas de lantejoulas amarelas, com todo bordado em verde. Esse traje foi luxuosíssimo, quando eu entrei tocou a música da seleção brasileira. O estádio veio abaixo. É como se fosse a camiseta da seleção brasileira, mas em formato de vestidinho, bem micro vestido. Uma meia três quartos com uma lingüinha, tipo cintinha, um sapato branco com fios dourados bárbaros.

MEUS CASAMENTOS - Meu primeiro casamento eu tinha 19 anos, permaneci um ano casada. Ele era médico. Ele não aceitava nem um pouco a minha condição de miss. Você já viu um homem aceitar bem a situação de uma mulher que é eleita Miss Brasil? Casei de novo quando estava com 24 anos. O meu segundo marido Fernando Walsberg, conheci no Rio de Janeiro, ele era um dos diretores da TV Globo, eu tinha acabado de entrar na Globo do Rio. Permanecemos sete anos casados. Tivemos nosso filho, Jonas Walsberg que acaba de se formar em Propaganda e Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Dia 19 de junho ele fez 23 anos.

          Sobre sua participação no quadro do Miss Brasil 2004, onde várias Miss Brasil foram homenageadas, Sandra falou :

Nossa! Meu coração parecia que ia sair pela boca. Fiquei muito emocionada. Eles tocaram o Hino das Misses . “ Os estados brasileiros se apresentam nesta festa de alegria e esplendor...” A parte mais bonita de toda essa história de Miss foi o Hino.

          Ao rever a cena das Miss Brasil no concurso Miss Brasil 2004, quando Ellen de Lima canta a "Canção das Misses", de Lourival Faissal, fico me perguntado o que Sandra Guimarães de Oliveira estaria pensando naquele instante. Será que em algum momento de sua vida ela se arrependeu de não ter cumprido o seu reinado como Miss Brasil e de ter renunciado ao título para casar ? Valeu a pena ter sido Miss Brasil? Como eu gostaria que Sandra Guimarães, a antimiss, respondesse essas perguntas.

                                                                                *****

2 comentários:

Dennie disse...

Daslan,
Adorei essa sessão nostalgia, cada palavra, cada informação, adoro a linda e loira Sandra Guimarães, uma das mais lindas misses! Bom, quero te adiantar que acabei de enviar seu texto p/ Sandra, sendo assim, em breve te envio algum comentário, ou ela mesmo o faz aqui! Muito obrigado!

MISS disse...

Daslan!!! Amei essa sessão nostalgia!! O tempo passa rápido, não? Já vou fazer 53 anos!!
Daslan, vou responder suas indagações!! Jamais me arrependi!! Nossos destinos já estão traçados, seja pela nossa própria consciencia universal, seja por Deus. Sabe lá!!
Sou feliz e super realizada! Tenho um filho maravilhoso e uma vida deliciosa!!
Muito obrigada pela nostalgia deliciosa com a qual vc me presenteou!!
Abraço grande e muita boa sorte.
Beijo
Sandra Guimarães