a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 633, referente ao período de 20 a 26 de agosto de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sexta-feira, 9 de abril de 2010

SESSÃO NOSTALGIA - NO TEMPO DO CONCURSO MISS SUÉTER

Daslan Melo Lima

ANTES DO SILICONE

.....Nas décadas de 1950 e 1960, um concurso despertava muita atenção, embora sem o glamour idêntico ao que existia no Miss Brasil. Tratava-se do Miss Suéter, um certame que procurava destacar as jovens que aparentavam ter bustos bem proporcionados. Ninguém falava naquela época em silicone. Os únicos truques permitidos, e que todos sabiam que existiam, eram os de as concorrentes usarem sutiãs de boas marcas que destacavam suas silhuetas, sutiãs cujas propagandas podiam ser vistas nas maiores revistas brasileiras, como os da marca Magic-Form e De Millus. Para usar no concurso, o ideal era o sutiã no estilo denominado bullet, que deixava os seios pontiagudos.


Elegante! Confortável ! Saudável ! Quaisquer que sejam as proporções de sua silhueta, Você encontra o MAGIC-FORM exato para suas medidas, porque V. pode escolher entre três tamanhos diferentes de conchas: a) para busto pequeno; b) para busto médio: e c) para busto cheio!
(Revista O Cruzeiro, 09/07/1955)


Este é o fabuloso De Millus, feito para favorecer a sua beleza. ERGUE, PRENDE E REALÇA com naturalidade. Desenhado anatomicamente, não comprime o seio, não deforma o busto, não sai do lugar. 40 modelos exclusivos – um para cada tipo. Conheça o seu modelo... e tenha o busto que você quer! (Revista Manchete, 22/10/1955)

LEILA FELIPE, MISS SUÉTER 1955

.....Tal como nos certames de beleza de maior prestígio, o Miss Suéter era composto de garotas consideradas fortes e fracas concorrentes, assim como de satisfação e insatisfação por parte do público, quando os resultados eram anunciados.

A morena Leila Felipe, disputando com uma loura, foi escolhida Miss Suéter de 1955. O concurso, realizado em São Paulo com grande interesse do público, foi patrocinado por Moinho Santista, Mappin, Tricot-Lã e Max-Factor. O seu encerramento foi realizado na “boite” Bambu, na capital paulista, com o Baile das Suéteres.


A loura Vilma Chandler, representante da TV-Record, deu um grande exemplo de espírito esportivo. Franca favorita, inclusive por parte da maioria das demais competidoras, desde os desfiles preliminares do concurso (quando foi sempre a mais votada), derrotada no final apenas por um voto, foi a primeira a abraçar a adversária vitoriosa.


O Sr. Simon Lierner, diretor de Tricot-Lã, entrega a taça à vitoriosa Leila Felipe, Miss Suéter de 1955. (Revista Manchete, 02/07/1955)



VERA LÚCIA E MARIA ELIZABETH, DAS PASSARELAS DO MISS SUÉTER PARA AS DO MARACANÃZINHO


.....Nos anos 60, duas garotas que ostentaram o título de Miss Suéter ficaram famosas nas passarelas do concurso Miss Guanabara: Vera Lúcia Couto, Miss Guanabara 1964, e Maria Elizabeth Ridzi, vice-Miss Guanabara 1966.


Ano de 1961. Vera Lúcia Couto dos Santos, eleita Miss Suéter do Clube Renascença, ladeada por duas candidatas do Miss Guanabara 1961, Miss Satélite Clube e Miss Associação Atlética Banco do Brasil. Detalhe: A Miss AABB, Associação Atlética Banco do Brasil, é Zaira Pimentel, Miss Pernambuco 1957, que morava no Rio de Janeiro na época e foi convidada para representar a AABB no concurso Miss Guanabara 1961, onde foi uma das mais fortes candidatas, embora não tenha obtido classificação entre as semifinalistas. (Foto: Revista Manchete, 17/06/1961)


Vera Lúcia Couto, da passarela do Miss Suéter 1961 para as do Maracanãzinho e Long Beach, onde foi vice-Miss Guanabara, vice-Miss Brasil e terceira colocada no Miss Beleza Internacional 1964.(Foto: Revista fatos & Fotos, 11/07/1964)


Maria Elizabeth Ridzi, da passarela do Miss Suetér, no concurso promovido pelo Social Clube de Meriti, em São João do Meriti, RJ, para a do Maracanãzinho, onde foi eleita vice-Miss Guanabara 1966. (Foto: Revista Manchete, 25/06/1966)

MISS SUÉTER NA TV GLOBO


Na novela O Profeta, produzida e exibida pela Rede Globo, no horário das 18 horas, de outubro a maio de 2007, a atrz Carol Castro fez o papel de uma jovem ambiciosa dos anos 50 que foi eleita Miss Suéter. (Foto: Divulgação-Rede Globo)

DEPOIS DO SILICONE


.....Existe uma banda baiana chamada Miss Suéter, cujo nome é uma homenagem à dupla João Bosco e Aldir Blanc, autores da canção homônima. A banda toca samba, funk, rock, bolero e frevo. Fazem parte da Miss Suéter os seguintes artistas: Antenor Cardoso (percussão), Carlos “Ed” Veiga (baixo), Felipe Dieder (bateria), Lia Lordelo (vocal), Luciano “Pajé” Simas (guitarra e vocal), Pedro Santana (violão e vocal) e Ronei Jorge (vocal e guitarra). (Foto:www. festadasemana.pop.com.br).

.....O concurso Miss Suéter (suéter do inglês sweater, agasalho fechado feito de malha de lã), cujas candidatas recorriam aos sofisticados sutiãs, do francês soutien-gorge, desapareceram e perderam totalmente o sentido nos dias de hoje. Garotas lindas andam pelas ruas vestindo, com a maior naturalidade, blusas transparentes, decotes ousadíssimos e... nenhum sutiã. E quanto aos seios belos que ostentam, todos desconfiam que sejam de silicone.

.....Os pivots de que falam a letra da música Miss Suéter, de João Bosco e Aldir Blanc, chegaram a ser um símbolo de status nos anos de 1950. Era chique extrair um, dois ou mais dentes e substitui-los por outros de ouro, ou então colocar o metal precioso em pequena quantidade entre um dente e outro. A sigla INPS, também citada na música, era a sigla do Instituto Nacional de Previência Social, hoje INSS, Instituto Nacional de Seguro Social.

.....Os tempos mudam, as Misses mudam, mas a nostalgia de certas coisas mágicas, como o concurso Miss Suéter, ainda permanece. Pelo menos enquanto alguém em algum lugar cantarolar, como eu cantarolo agora, com o coração, a música de João Bosco e Aldir Blanc.

Miss Suéter

Composição de João Bosco e Aldir Blanc

Fascínio tenho eu por falsas louras
(aí, a negra lingerie),
com sardas, sobrancelha feita a lápis e perfume da Coty.
Na boca, dois pivots são graciosos entre jóias naturais
e olhos tais minúsculos aquários de peixinhos tropicais.
Eu conheço uma assim, uma dessas mulheres
que um homem não esquece.
Ex-atriz de TV, hoje é escriturária do INPS.
E que, dia atrás, venceu lá no concurso de Miss Suéter

Na noite da vitória, emocionada, entre lágrimas falou:
- "Nem sempre a minha vida foi tão bela, mas o que passou, passou...
Dedico esse título a mamãe que tantos sacrifícios fez
pra que eu chegasse aqui, ao apogeu, com o auxílio de vocês."

Guardarei para sempre seu retrato de miss com cetro e coroa.
Com a dedicatória que ela em letra miúda, insistiu em fazer:
"Pra que os olhos relembrem quando o teu coração infiel esquecer.
Com um beijo, Margot"

*****

3 comentários:

DASLAN MELO LIMA disse...

Comentário de Muciolo Ferreira, jornalista, Recife-PE, via e-mail
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Olá Daslan,

que belo resgate dos anos dourados, época em que os concursos de miss rivalizavam com as finais dos campeonatos de futebol no quesito torcida.

O prazer de rever Zaíra Pimentel, a antológica Miss Pernambuco 1957 disputando o Miss Suéter.
Tenho impessão de que nem a própria Zaíra sabe da existência dessa foto em que ela aparece ao lado da Vera Lúcia Couto dos Santos.

Um Show de Bola, digo de texto e imagens, dado pela Sessão Nostalgia desta semana.

Abraços em todos os que acessam a Passarela Cultural.

Muciolo Ferreira
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Anônimo disse...

Amei. Muito legal ver as candidatas.A MISS 55, Leila Felipe e a Vera Lucia sao realmente muito bonitas.
Depois do silicone as coisas mudaram!
Atenciosamente
Uma desesperada!

Adriana Gibo disse...

Zaira Pimentel que tive o prazer de conhecer! Continua lindíssima !!