a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 646, referente ao período de 19 a 25 de novembro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 19 de janeiro de 2013

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO


AS PIRUAS 2013 -  Contagem regressiva para o dia 03 de fevereiro: As Piruas,  ao som do autêntico Frevo! ***** Valor do kit:  R$ 30,00 , à venda na CD 1000. ***** As Piruas, 22 anos de irreverência! 

*****



UM FATO EM FOCO / CINE TEATRO RECREIOS BENJAMIN - Continua a lenta agonia do Cine Teatro Recreios Benjamin, cuja parte da estrutura desabou na semana natalina. O Sr. Roberto Carneiro, técnico da Fundarpe, esteve na manhã de sexta-feira, 18, em Timbaúba, colhendo subsídios para apresentar ao Sr. Severino Pessoa, presidente da instituição, visando uma ação emergencial para proteger o que resta do histórico prédio. ***** Por ocasião, em entrevista à Rádio Nova Timbaúba FM, o Sr. Roberto Pereira voltou a tocar no assunto que é a espinha dorsal do imbróglio: o prédio é tombado pelo Patrimônio Histórico, mas não foi desapropriado. ***** Até quando vai durar a lenta agonia do Recreios Benjamin? ***** Por diversas vezes, PASSARELA CULTURAL esteve sensível à grave situação, como mostram as reportagens postadas nos dias 07/05/2011 e 13/08/2011, ainda online. Basta clicar nos links abaixo:
http://passarelacultural.blogspot.com.br/2011/08/de-timbauba-para-o-mundo-seccao-em_13.html

*****


MEMÓRIA TIMBAUBENSE / ALTO DO CRUZEIRO - A propósito da imagem acima, postada na semana passada, agradeço as pessoas que se manifestaram através dos comentários abaixo. 
-----
Djalma Almeida disse:  
          Dos dezoito aos vinte e um anos namorei uma menina que morava no topo do Alto do Cruzeiro. Na maioria das vezes, à noite, quando nos despedíamos, eu ficava lá em baixo observando ela subir até sua imagem sumir. Observava também que as pessoas que subiam  faziam seu traçado em ziguezague, para diminuir o desgaste provocado pela subida. Todas às vezes essas imagens me lembravam uma música de Alceu Valença que diz: 

“Eu lembro daquela menina subindo ladeiras,/ ladeiras de frevo e preguiça da velha Marim. / Ladeiras tão carnavalescas, escorregadeiras / Que na terça-feira jogaram você sobre mim./ Ladeiras sugerem saudade, minha companheira. / Ladeiras que só interessam a ti e a mim. 
/// 
Eu subo e descubro/ que a vida é feito ladeiras/ no seu sobe e desce contínuo, / princípio e o fim./ Perdi um amor tão bonito naquela ladeira / que vai dar no Alto da Sé, / no Bar Querubim.
 /// 
E hoje a saudade me aperta de toda maneira. / Ladeira da Misericórdia tem pena de mim. / Ladeira da Sé, ladeira preguiçosa. Ladeira do Amparo, da Misericórdia. / Ladeiras, ladeiras...”

          Embora, como diz a música, eu também tenha perdido um amor tão bonito naquela ladeira, hoje nenhuma saudade me aperta, de nenhuma maneira, mas sim uma lembrança boa que trouxe uma consciência de que essa vida feita de ladeiras tanto nos obriga a descer como nos ajuda a subir, alcançar pontos mais altos e evoluir.
-----
Ana Lygia disse: 
         "...quanto a foto do Alto do Cruzeiro creio que seja do final da década de 60 e inicio de 70, talvez quando da visita da americana Nancy e sua equipe, que fundaram a ONG-UPAC. Não posso informar muita coisa, mas quem pode lhe ajudar muito é Celma Lucia (a secretária da cidade) pois ela é amiga de Nancy, acompanhou o projeto e sabe tudo de Timbaúba e ... me desculpem as mulheres,  mais inteligentes e cultas  iguais a ela e Tia Zed Gueiros não conheço. kkkkk... Queria eu ter 1% da capacidade delas.
-----
Celma Lucia Vasconcelos disse: 
          A foto no Passarela Cultural representa o monumento ao Cristo Redentor, no morro do Cruzeiro, no final da década de 50, início dos anos 60. O morro ainda não era tão povoado como hoje e a subida era bastante íngreme. Subi até lá muitas vezes na minha juventude e a fotografia me remeteu àquela época.
-----
Lady disse : 
No cruzeiro, a fé se renova, Cada vela que acende, uma ponta de esperança brota do coração do povo. É luz que vence as trevas. É vida que vence a morte.

*****


ROTEIRO POÉTICO DE TIMBAÚBA / MISTÉRIOS DA MEIA-NOITE - Na noite deserta do verão timbaubense, os faróis de um carro destacam as placas de trânsito de uma esquina. Estacionamento proibido. A placa verde aponta para as rotas do bairro Coronel  Maranhão, Barragem do  Tiúma, São José do Livramento, Catucá e Mirador. ***** Um poeta que vem no carro se benze e vai para casa cantando em silêncio uma música de Zé Ramalho que começa assim: “Mistérios da Meia-Noite que voam longe, que você nunca, não sabe nunca se vão, se ficam, quem vai, quem foi...
*****

Nenhum comentário: