a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 649, referente ao período de 11 a 17 de dezembro de 2017. ***** Grato por sua atenção.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

SESSÃO NOSTALGIA - Vitória Fausta, Miss Congresso 1960

Por Daslan Melo Lima

          Todas as semanas, aqui, na secção Sessão Nostalgia, focalizo grandes misses do passado, garotas que marcaram época e que foram notícias nas páginas dos grandes jornais e revistas nacionais e internacionais. Nesse nosso imenso Brasil, país de dimensões continentais, a Miss focalizada desta semana teve um passado mais modesto, em termos de visibilidade nacional, mas foi uma das mais queridas rainhas da beleza de uma região. Ao resgatar sua história, sei que estou contribuindo com a preservação da memória da cidade onde vivo, imbuído do propósito de Leon Tolstói (1828-1910): "Canta tua aldeia e cantarás o mundo".

          No final dos anos 50 e início dos anos 60, Timbaúba, município situado na zona da mata norte do estado de Pernambuco, então com 20.000 habitantes, vivia o período áureo das indústrias de calçados. E foi naquela época que uma jovem meiga, educada, inteligente, era apontada por todos como a mais bela moça de Timbaúba. Seu nome: Vitória Fausta Queiroz Moura, filha de Manuel Gomes de Moura e Ana Queiroz Moura, pais de outras duas jovens: Alba Glória e Rosalinda.


Vitória Fausta com o traje de formatura do curso de professora (antigo curso pedagógico) do tradicional educandário timbaubense Colégio Santa Maria, hoje com a denominação de Escola Santa Maria. (Foto: Álbum da Família Queiroz Moura)


          Vitória Fausta tinha todos os predicados da menina da fina flor da sociedade pernambucana da zona da mata norte: era aluna da Escola Santa Maria, dirigida por freiras alemãs, estudava piano e acordeon e dirigia a ala feminina do Movimento Estudantil. Seu pai era poeta, jornalista, industrial, um dos donos da grande empresa Indústria de Calçados Criança, vice-prefeito da cidade e proprietário da Fazenda Santa Ana, terra onde hoje está situado o bairro de Santa Ana.


Vitória Fausta, Miss Congresso 1960. (Foto: Revista do Interior, Ano 2, junho de 1960 – Acervo Vitória Fausta).

          Em maio de 1960, Timbaúba sediou um Congresso de Jornalistas no Cine Teatro Recreyos Benjamin. Para se ter uma idéia da grandiosidade do evento, uma das empresas patrocinadoras foi a Nestlé, que lançou nacionalmente alguns produtos. Vitória Fausta foi aclamada Miss Congresso e saiu na capa da Revista do Interior, uma publicação que, guardando as devidas proporções, era tão importante para Pernambuco como as revistas O Cruzeiro, Manchete e Mundo Ilustrado eram para todo o Brasil.


Muito emocionada, ao posar segurando o conservado exemplar da Revista do Interior, onde aparece na capa, Vitória Fausta me disse:
“Daslan, tanto tempo já se passou. O que há de mim nesta velha foto?”
Respondi:
“Tanta coisa... Tanta história de vida... O tempo deixa suas marcas no corpo físico de todo ser humano, mas em compensação aprimora o que há de mais importante: nossa essência.”

Vitória , o esposo Luiz Carlos e os filhos Erika (de branco), David, Flávia (de preto) e Andréa (de lilás).  Fototela de Gilmar Maccagnan.
                 
          No sábado passado, 19 de setembro, fui apresentado à Vitória Fausta de Queiroz Nóbrega (o Nóbrega por conta do casamento), no Recife. Ela mora numa residência belíssima no bairro do Hipódromo. É casada com o médico pediatra Luiz Carlos Pires da Nóbrega, natural de Caicó, Rio Grande do Norte. Vitória conheceu seu grande amor quando ele era ainda estudante de medicina e vinha jogar voleibol em Timbaúba. Dentro do clima romântico que reinava nos anos 60, Vitória Fausta desistiu de cursar Arquitetura para dedicar-se inteiramente ao lar. Seu casamento, realizado na capelinha da Jaqueira, foi um grande acontecimento social no Recife. A sólida e feliz união com Luiz Carlos gerou os seguintes frutos: Erika (advogada), David (radiologista), Flavia (pediatra intensivista) e Andréa (pediatra).


Poetisa e artista plástica de muito talento, Vitória Fausta não se considera uma mulher vaidosa, mas adora se apresentar bem. Na foto, ao lado de várias telas de sua autoria. (Foto: DML/Passarela Cultural)

          Nascida em um 14 de outubro, Vitória Fausta, Miss Congresso 1960, é uma pessoa muito espiritualizada. Acredita em vidas passadas e aposta na educação e no amor como as maiores armas para a construção de um mundo melhor.

Comida: Gosto do trivial, mas não desprezo lagostas
Bebida: Vinho
Sobremesa: Quindim
Fruta: Graviola
Filme: Zorba, o Grego. Um filme que transmite muitas lições de vida.
Atores e atrizes internacionais: James Dean, Robert Redford, Marilyn Monroe e Ingrid Bergman
Atores e atrizes nacionais: Procópio Ferreira, Bibi Ferreira, Fernanda Montenegro e Fernanda Torres
Uma Miss Pernambuco: Zayra Pimentel, Miss Pernambuco 1957
Uma Miss Brasil: A baiana Marta Rocha, Miss Brasil e vice-Miss Universo 1954
Uma Miss Universo: A baiana Martha Vasconcellos, Miss Brasil e Miss Universo 1968
Uma mulher bonita: Demi Moore
Um homem bonito: Montgomery Clift


Vitória Fausta e os netos Ana Sofia e Eduardo Henrique. (Foto: DML/Passarela Cultural)

Programa de TV: Os de notícias
Escritor preferido: Bernard Shaw
Cidade dos seus sonhos: Paris
Virtude: Paciência
Defeito: Exigir que as pessoas ajam sempre com o coração
Um motivo de orgulho: Os catorze anos de estudos realizados em Timbaúba, na Escola Santa Maria, educandário dirigido pelas freiras alemãs da Congregação Franciscana de Maristella
Cor: Grenat
Dia ou noite: Dia
Frevo ou samba: Frevo
Viver é... Respirar arte
Morrer é... Mergulhar em outra dimensão em estado de graça
Um ponto turístico de Pernambuco: Oficina Brennand
Uma estação do ano: Verão
Santo de devoção: São Francisco de Assis
Animal de estimação: Cachorros. Já tive dezesseis e atualmente tenho nove
O que mais admira em um ser humano: O caráter
O que não suporta em um ser humano: A ingratidão
As palavras mais belas da língua portuguesa: Amor e saudade
A última vez que chorou: Eu me emociono muito. Sou uma chorona. Choro com facilidade.
Clube de futebol: Minhas irmãs torcem pelo Sport Clube do Recife e meu esposo e filhos pelo Clube Náutico Capibaribe. Para evitar confrontos, digo que sou Santa Cruz Futebol Clube, mas meu coração é do Náutico


As irmãs Queiroz Moura: Alba Glória, Vitória Fausta e Rosalinda, legítimas representantes da fina flor da sociedade pernambucana dos anos 60. (Foto: DML/Passarela Cultural)

          Depois do Miss Congresso 1960, o pai de Vitória Fausta não admitiu por hipótese alguma que ela participasse de nenhum outro concurso. “Foi uma pena. Vitória Fausta poderia ter sido Miss Pernambuco”, dizem alguns dos seus conterrâneos-contemporâneos.

          Timbaúba não tem um histórico de fortes candidatas ao título de Miss Pernambuco e poucas foram as vezes que o município marcou presença no concurso estadual. A candidata que mais se aproximou do título de Miss Pernambuco foi a loura Mégene Eliane Nunes de Freitas, terceira colocada no Miss Pernambuco 1973. Mégene perdeu para Enilda de Sá Barreto (Miss Associção Universitária para o Trabalho, primeira colocada) e para Cleusa Adelaide Durant (Miss Sport Clube do Recife, vice-Miss Pernambuco e Miss Objetiva de Pernambuco 1973).

          Um título de Miss é para toda vida, já disse alguém. Com tal afirmação, concordam os timbaubenses contemporâneos de Vitória Fausta, Miss Congresso 1960. Um título de Miss é para toda vida, dirão todos os timbaubense da nova geração quando lerem esta história.

*****

7 comentários:

Rosa Linda disse...

Daslan, amei a reportagem, rica em detalhes, onde abordasses esse episódio da vida da nossa irmã, em que foi eleita, pelos congressistas, a Miss Congresso 1960. Esse Congresso de Jornalistas foi um evento muito importante naquela época, para uma região tão próspera quanto Timbaúba. Parabéns pela bela matéria! Rosa Linda Queiroz de Moura. Recife, 26/06/2009.

KAKÁ CAVALCANTI disse...

Daslan...a sensibilidade é ,sem dúvida,sua marca registrada...ao ler a reportagem um trecho em especial,me fez refletir:"O tempo deixa suas marcas no corpo físico de todo ser humano, mas em compensação aprimora o que há de mais importante: nossa essência.”
Vc é um poeta sensível...um GENTLEMAN...raríssimo de se encontrar!

DASLAN MELO LIMA disse...

Comentário de Celma Lúcia Vasconcelos, via e-mail.
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Daslan,

Estou encantada com as notícias do Passarela Cultural sobre Vitória Fausta. Fomos contemporâneas. A família morava na minha rua
e eu conheci todos, desde Seu Manoel Moura e Dona Naninha, como chamávamos, e as meninas Alba e Rosalinda.

Fiquei muito feliz por vê-las depois de tantos anos passados nas fotos do Passarela e por saber que estão bem e felizes.

Se (e/ou quando) você tiver oportunidade de encontrar Vitória ou uma das irmãs, transmita minhas recomendações. Não sei se ainda se
lembrarão de mim, mas quero tentar. Vitória era e ainda é um doce de pessoa. Eu sempre admirei seus pais e me sinto gratificada por ter convivido com pessoas tão finas, gentis e educadas.

Um abraço,

Celma

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

DASLAN MELO LIMA disse...

Comentário de Vitória Fausta, via Orkut:
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Daslan, sensibilizada agradeço por sua reportagem e ao fotógrafo.
Sobre esta minha amiga de longa data, aprendemos tanto palmilhando os mesmos caminhos. Ela e eu somos a mesma pessoa.
Muito aprendi nesta nobre cidade que me serviu de berço e que tanto trás boas recordações.
Tive uma infância linda e uma adolescência ainda melhor onde fui participante sempre neste lugar querido. Graças à educação familiar, colegial e religiosa do Colégio Santa Maria com orientação das freiras alemãs da OSF(Ordem de São Francisco).
Lembro-me das colegas e professoras, lembro-me das pessoas mais cultas, às mais simples; muito importantes pelas suas funções em todos os graus de conhecimento e competência; dos mais abastados aos mais simples cidadãos desta amada Timbaúba, minha cidade, minha saudade e meu amor aos meus conterrâneos! Vitoria Moura
28/9/2009
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Flavia disse...

Daslan
Agradeço em nome dos filhos , a reportagem que fez sobre minha amada mãe. Sempre digo: "pode haver mãe igual a minha, mas melhor, não!" Minha mãe é uma mulher à altura dos que iluminam, aconchegam, equilibram, ensinam, encaminham; ou seja, é uma alma de luz em amor e generosidade. Você acertou! A beleza continua na nobreza das rugas, na sabedoria das atitudes, na certeza de um sorriso tímido que só o tempo traz somado à maturidade vivenciada ano a ano. Essência palpável e sustentável aos olhos de quem sabe ver. Um grande beijo e o meu agradecimento a Deus por ter-me presenteado com Vitória Fausta, uma mãe em todos os aspectos, uma mulher em toda plenitude, uma MISS que fez história. Flávia Moura da Nóbrega, uma filha abençoada por Deus.

Flavia disse...

DONA VITORIA ....

É ASSIM QUE A CHAMO EM SINAL DE RESPEITO E ADMIRAÇÃO . SOU , APESAR DA DISTANCIA FÍSICA , UMA DAS FILHAS POSTIÇAS DE DONA VITORIA : AMIGA , IRMÃ E COLEGA DE PROFISSÃO DAS MENINAS FOI COMO A CONHECI,FREQUENTANDO O SEU LAR PELA AMIZADE QUE ESTABELECI COM SUAS FILHAS CUJA EDUCAÇÃO E CARÁTER RECEBIDOS DE DONA VITÓRIA FEZ LOGO COM QUE NOS APROXIMASSEMOS EU, FLÁVIA E ANDRÉA. HÁ QUEM CONTRADIGA, MAS OS FILHOS E PRINCIPALMENTE AS FILHAS REFLETEM A CRIAÇÃO E O AMOR QUE RECEBERAM E O EXEMPLO QUE AS MESMAS SEMPRE TRAZEM DE HOMBRIDADE, DIGNIDADE, HUMANIDADE E AMOR AO PRÓXIMO ENTRE OUTROS É FRUTO DESTE AMOR DE MÃE,ARTISTA , PEDAGOGA, POETISA SÓ SENSIBILIDADE E MISS LINDA E ETERNA QUE É DONA VITORIA . BEIJOS NO CORAÇÃO E QUANDO EU PUDER IREI TOMAR AQUELE CAFEZINHO E PROVAR DAQUELE DOCINHO NO FIM DA TARDE EM SEU LAR . ADOREI A REPORTAGEM QUE NOS LEVOU DE VOLTA A UM TEMPO ONDE OS SONHOS VALIAM A PENA SER VIVIDOS . UM CHEIRO NA SUA ALMA . CARLINHA BRAGA .

DASLAN MELO LIMA disse...

Comentário de Rosa Linda, via Orkut:
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Daslan,
tu realmente és uma pessoa ímpar! De repente, num passe de mágica, tu fizesses com que a minha querida irmã, Vitória Fausta, aquela Miss Congresso 1960, menina ainda, um botão de rosa a desabrochar, filha daquela próspera cidade do interior, da Mata Norte do Estado, novamente aparecesse no mundo da beleza; desta vez, com a sua beleza madura, serena, tranquila que se encontrava voltada apenas ao reduto da sua linda família e à sua arte!
Obrigada por tudo e por fazer fazer a nossa família ainda mais feliz.
Saudade de ti amigo.
Eu te guardarei sempre em meu coração!
Beijo grande de Rosa Linda.
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>