a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 624, referente ao período de 18 a 24 de junho de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 99612.0904 (Tim) e (81) 99277.3630 (Claro) ***** WhatsApp: +55 81 99612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 6 de março de 2010

SESSÃO NOSTALGIA - AS NORDESTINAS DO CONCURSO MISS BRASIL 1956

Por Daslan Melo Lima

          Hotel Quitandinha, Petrópolis, Rio de Janeiro, 16 de junho de 1956. Noite da eleição da Miss Brasil. Salões superlotados. Mais de 300 fotógrafos e rádio-repórteres registrando tudo. Eram 22 candidatas. A coroa, a faixa e o troféu de Miss Brasil 1956 ficaram com Maria José Cardoso, Miss Rio Grande do Sul, uma linda morena de olhos azuis, nascida em Santa Catarina e criada em Porto Alegre. Todos os Estados nordestinos tinham enviado suas representantes para disputar o título máximo da beleza brasileira. Quem foram as nordestinas do Miss Brasil 1956?

           Por ordem alfabética dos Estados, vamos conhecer aquelas moças maravilhosas que levaram o sotaque e o sol do Nordeste para o Quitandinha, em textos e fotos extraídos da revista A Cigarra, Ano XXXVII, nº 8, agosto de 1956.
--------------------

MISS ALAGOASMaria Teresa Melo foi candidata da Associação Teatral de Alagoas (ATA), entidade das mais prestigiosas de Maceió. O desfile que a proclamou Miss Alagoas foi uma encantadora festa, sendo a decisão do júri aplaudida com entusiasmo. Como sua colega de Pernambuco, Teresa também adora as praias e acha que as de Maceió são as mais bonitas do Brasil. Sua bela silhueta, aliás, bem que compõe o cenário... Professora, diplomada, funcionária do Instituto dos Comerciários, Maria Teresa é uma moça de muita personalidade. Na sua cidade, tem duas amigas inseparáveis que se chamam também Teresa e, com ela, formam um trio de grande prestígio social. São assim popularíssimas, em Maceió, “as três Teresas”. Uma delas, naturalmente, tinha que participar do concurso de Miss Brasil. Eis as medidas da Teresa que se sagrou Miss Alagoas: altura, 1,62; busto, 86; cintura, 58; quadris, 94; coxa, 56 e peso, 50 quilos.
--------------------

MISS BAHIASônia Santiago Mamede, descendente de sírios pelo lado paterno, é uma bonita morena de sorriso terno e 18 anos de idade. Sua vitória, elegendo-se Miss Bahia, foi tanto mais sensacional quanto se sabe que a “Boa Terra” foi um dos Estados onde o concurso ganhou mais amplitude e êxito. Basta dizer-se que concorreram ao título nada menos de 40 candidatas, da capital e do interior. A baiana Sônia teve assim a sua eleição valorizada pelo elevado número de competidoras, todas muito bonitas – conta-se – o que não é nenhuma novidade, em se tratando da Bahia. Ela já fora candidata no ano passado e se colocara em segundo lugar. Sônia Mamede fez muito sucesso, em São Paulo, no Rio e em Quitandinha. Suas medidas: altura, 1,64; peso, 55; busto, 88; quadris, 95; coxa, 55; tornozelo, 21.
--------------------

MISS CEARÁ - Maria de Jesus Holanda (Mazu, para os íntimos), morena de olhos e cabelos castanhos, 20 anos, foi ao seu dentista, em Fortaleza, numa tarde de abril. O dentista era o presidente do Clube dos Diários. E, como o assunto estava na ordem do dia, não perdeu a oportunidade e convidou a jovem cliente para representar o seu clube no concurso Miss Ceará. Mazu ficou surpresa, sorriu. Mas consultou papai, mamãe e... o namorado. Esse triunvirato aprovou a indicação por unanimidade. E foi por isso que ela desfilou na festa realizada a 19 de maio no clube mais bonito do Brasil, o Náutico Atlético Cearense. Naquela noite, um júri composto de jornalistas e damas da sociedade a elegeu Miss Ceará. Grande responsabilidade, porque isso significava suceder a Emília Barreto Corrêa Lima, que, no ano passado, fora consagrada Miss Brasil. Mas Mazu deu conta do recado. E muito bem. No desfile do Quitandinha, classificou-se entre as finalistas, no 4º lugar. Suas medidas: altura, 1,70; peso, 61; busto. 91; cintura, 66; quadris, 96; coxa, 57, e tornozelo, 22.
--------------------

MISS MARANHÃOMaria Alice Castelo Cordeiro, outra morena de 18 anos, foi a candidata do Maranhão. Veio do interior, da famosa cidade de Caxias, famosa não apenas por sua importância histórica, mas também pelas moças bonitas. Venceu brilhantemente o concurso em seu Estado, no desfile realizado em São Luiz, sobrepujando assim as candidatas da capital. Em São Paulo e no Rio, durante a semana de 9 a 16 de junho, em que as 22 misses estiveram juntas, Maria Alice revelou uma simplicidade encantadora, sem usar em nenhum instante, o que se chama “máscara”. Como Miss Maranhão, ela não deixou de ser Maria Alice, antes de tudo. Pouco expansiva, mas sempre simpática e afável, conquistou muitos admiradores. Seu objetivo imediato: estudar e terminar o curso de professora (no ano que vem). Suas medidas: altura, 1,61; cintura, 60; peso, 52; 84 de busto, 91 de quadris e 50 de coxa.
--------------------

MISS PARAÍBAMargarida Vasconcelos, 18 anos e cabelos louros, filha de fazendeiros, representou este ano a Paraíba. Como esse concurso de Miss Brasil destacou-se pelo número de beldades do interior, Margarida também não fugiu à regra, pois fora apresentada pelo município de Cabaceiras. Filha de fazendeiros tipicamente paraibanos, ela sempre desejara conhecer o Rio. A oportunidade se ofereceu com sua candidatura a Miss Brasil. “Tive, portanto, uma dupla satisfação, ao ser escolhida para representar o meu Estado” – disse ela, depois. No Rio, Margarida hospedou-se na bela residência da família de seu conterrâneo, o Deputado Drault Ernanny. Foi apresentada à sociedade carioca, numa concorrida recepção a que compareceram três governadores: os da Bahia, Rio Grande do Norte e Ceará, além do prefeito do Distrito federal. Fez muito sucesso, no concurso. Suas medidas: altura, 1,66; peso, 59; busto, 90; cintura, 61; quadris, 100; coxa, 61; tornozelo, 21.
--------------------

MISS PERNAMBUCONelbe Souza, morena, de 20 anos de idade, elegeu-se Miss Pernambuco como candidata de um dos mais populares clubes do Recife, o Náutico Capibaribe. Seu curioso nome vem da fusão do nome de seu pai, Nelson, com o da sua mãe, Beatriz. Depois de haver completado o curso ginasial, Nelbe, no momento em que foi eleita Miss, dedicava-se ao estudo de idiomas, principalmente o francês. Regressara, recentemente, de uma viagem à Europa e, também recentemente, ficara noiva (o casamento será ainda este ano). Ela é francamente das praias: em Recife, frequenta a de Boa Viagem, gostou das de Santos por causa dos jardins, achoiu Copacabana maravilhosa. Quando da eleição de Miss Brasil, em Quitandinha, ficou revoltada com a péssima demonstração do público, vaiando a candidata eleita. “Não se vaia uma moça.” – disse. E com razão. Suas medidas: altura, 1,70; peso, 60; busto, 91; quadris 94.
--------------------

MISS PIAUÌTeresinha de Jesus Alcântara, morena de longos cabelos castanhos e 18 anos de idade, foi o “anjo” do concurso. Angelical eram realmente a sua aparência, seu sorriso, até mesmo seu espírito. Foi através dela que o Piauí se fez representar, pela primeira vez, em um concurso de Miss Brasil. Começou muito bem. Teresinha vem do interior, da cidade de Altos, embora há muito tempo residisse em Teresina, capital do Estado. Ainda antes da festa do Quitandinha, observadores imparciais, que a viram em São Paulo e no Rio, chegaram a apostar em que ela seria finalista. O próprio público presente àquela festa há de ter pensado o mesmo, a julgar pelos entusiásticos aplausos com que saudou a passagem de Miss Piauí pela passarela, especialmente no desfile em vestido “soirée”. O júri, porém não entendeu assim, para surpresa geral. Mas Teresinha ficou sendo uma das candidatas de maior sucesso. Suas medidas: altura, 1,70; peso, 60; cintura, 64; busto, 91; quadris. 90; coxa, 51 e tornozelo, 21.
--------------------

MISS RIO GRANDE DO NORTEAmariles Gomes de Araújo, pertencente a uma das famílias mais conhecidas do Nordeste do País, veio também do interior, da pequena cidade de São Roque, para receber autêntica consagração na capital. E tanto isso é verdade que ela foi a candidata dos estudantes potiguares, conquistando, num pleito dos mais disputados, o título de Miss Rio Grande do Norte. Seus belos olhos verdes, seu sorriso simples e sua simpatia sem afetações constituíram um grande sucesso. Para as outras misses, suas colegas, revelou-se excelente companheira, sempre alegre e comunicativa. Na passarela do Teatro Mecanizado do Hotel Quitandinha, na noite de 16 de junho, quando da eleição de Miss Brasil, seu vestido, em Organdy Paramount, foi um dos mais bonitos. Suas medidas aqui estão: altura, 1,65; cintura, 53; coxa, 54; busto, 88: quadris, 89; peso, 50 e tornozelo, 21.
--------------------

MISS SERGIPE Graciema Madureira de Melo, morena de olhos e cabelos castanhos, 22 anos de idade, foi a representante de Sergipe. E o que se pode dizer é que o pequenino Estado mandou uma grande Miss. Simples, sem qualquer atitude sofisticada e com um tipo bem brasileiro, Graciema impressionou muito bem no desfile da noite de 16 de junho, no Hotel Quitandinha. Sua simpatia, por outro lado, cativou todos os que a conheceram. Enamorada de sua cidade, Aracaju, Miss Sergipe declarou-se encantada com o Rio e com São Paulo. Cumpriu com rara pontualidade todos os pontos do exaustivo programa organizado para as misses nas duas capitais e, quando tudo acabou, não se mostrou cansada. “Ao contrário – disse – gostei muito.” Na eleição de Miss Brasil, Graciema desfilou com um belo vestido modelo de Organdy Paramount, um vestido colante, que fez muito sucesso. Suas medidas: altura, 1,59; cintura, 58; busto,79; quadris, 81; peso, 50; coxa, 51 e tornozelo, 21.
--------------------

          Naquele 1956, a meta maior do Presidente da República Juscelino Kubitschek de Oliveira, ou simplesmente JK (1902-1976), era construir Brasília. “50 anos em 5”, era o seu slogan, e estava obstinado a industrializar o Brasil recorrendo ao capital estrangeiro. A televisão brasileira se expandia, mas o rádio ainda era o maior veículo de comunicação. Entre as grandes celebridades brasileiras estavam os cantores Ivon Cury (1928-1995), Francisco Carlos (1928-2003) e Blecaute (1919-1983), além das cantoras Dolores Duran (1930-1959) e Emilinha Borba (1922-2005). Ademar Ferreira da Silva (1927-2001) voltou de Roma com a sua segunda medalha de ouro olímpica em salto triplo. Guimarães Rosa (1908-1967) publicou o livro “Grande Sertão: Veredas” e Mário Palmério (1916-1996) lançou o romance "Vila dos Confins".

          Naquele 1956, nove moças nordestinas saíram da terra do sol com seus sotaques em busca de um sonho, o de serem eleitas a Miss de todos os brasileiros. Voltaram com as lembranças dos aplausos e o orgulho do dever cumprido. E hoje, quando recordam tudo aquilo, as emoções de 1956 devem se renovar em suas mentes e em seus corações, como passagens inesquecíveis de um sonho, um mágico sonho.

*****

6 comentários:

DASLAN MELO LIMA disse...

Comentário de Muciolo Ferreira, jornalista, Recife, PE, via e-mail:
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Daslan,

a cada semana os missólogos são surpreendidos com seu rico acervo fotográfico e memória dos concursos de misses do passado.

A Sessão Nostalgia desta semana foi marcada com fotos e dados das nordestinas que disputaram o título de Miss Brasil 1956.

Confesso que a única miss que eu conhecia era a Nelbe Chateaubriand (nascida Souza). Vejo que tenho muito o que aprender ainda como leitor do Passarela Cultural.

Uma ótima semana.
Abraços,

Muciolo Ferreira

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Vera Lúcia disse...

Querido Daslan, faço minhas as palavras de Mucíolo Ferreira. A cada semana quando visito seu blog, fico surpresa e encantada com a riqueza de seus arquivos em homenagem às nossas queridas e belas misses. Parabéns pela iniciativa, sempre.
Abraços.

DASLAN MELO LIMA disse...

Recado para Muciolo Ferreira e Vera Lúcia
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Muciolo e Vera,

Grato por sua atenção.

Eu também tenho muito o que aprender ainda, tendo vocês e outros missólogos como leitores assíduos, emitindo opiniões, fazendo críticas construtivas, dando sugestões...

Um grande abraço.

Daslan Melo Lima
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Divanise disse...

Olá, não te conheço pessoalmente e de certo você tambem nao deve me conhecer, à exatos 10 anos saí de Timbauba e vim para São Paulo, moro em Caraguatatuba (litoral de SP)ameiii esse seu blog, pude ver pessoas queridas e saber das novidades de Timbauba! Ah bom se caso conheça minha familia: sou filha de Nise e meu pai conhecido como "Veio" (filho de Sr. Ales), sou sobrinha de Ivaldo (musico e cantor)! Beijão grande para você e agora vou ser visitante assidua do seu blog!
Até mais!

CissyMoura disse...

Conheço Graciema, a Miss Sergipe 1956. Continua bela. Você poderia entrevistá -la para que todos pudessem constatar o que estou afirmando.

felipe marques disse...

Daslan queria muito q vc fizesse fotografias das candidatas do certame ano , parabéns pelo trabalho. Aaaa...tenho muita vontade de conhecer alguma miss sergipe da epoca hj , resido em aracaju e não conheço nenhuma