SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 499, referente à semana de 14 a 20 de setembro de 2014. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 9612.0904 (Tim) e (81) 9277.3630 (Claro) / E-mail: daslan@terra.com.br

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO

CARNAVAL PENHA QUEIROZ - Séria, com aquele ar de liderança, a mais forte característica de sua personalidade, a Dona Penha que atendia aos clientes da única banca de revistas de Timbaúba era a mesma Dona Penha que brincava o Carnaval como ninguém.  No volante de um jeep, ela circulava pelas ruas da cidade acompanhada dos seus amados netos, cenas antológicas que marcaram época. 
      A homenagem que o governo municipal rende este ano a uma das figuras timbaubenses mais emblemáticas vai ao encontro das atitudes culturais em preservar a memória de um povo. 
       Dona Penha foi convocada por Deus para uma nova missão em outra dimensão no dia 17/02/1998. Era uma terça-feira da semana pré-carnavalesca e ela iria completar 77 anos de idade no dia 28 de julho daquele ano. Desnecessário dizer que não houve carnaval para a família Queiroz  em 1998. C’ést la vie, assim é a vida, dizem os franceses. Catorze anos depois, a família Queiroz tem motivo para festejar como nunca o Carnaval 2012. Dona Penha é a “dona” do carnaval timbaubense. Exultante, em uma das moradas do Pai onde se encontra, os anjos estão ao seu lado cantando um velho frevo de Capiba.  E se aqui estamos, cantando esta canção / Viemos defender a nossa tradição / E dizer bem alto que a injustiça dói / Nós somos madeira de lei que cupim não rói.
 *****
ROTEIRO POÉTICO - O dia amanhece em Timbaúba. A entrada principal da cidade está decorada para o Carnaval. O vento sopra manso e as bandeirinhas amarelas não balançam, um frevo dançam.
 *****


  MEMÓRIA TIMBAUBENSE
Joel Monteiro de Araújo, Chupeta, uma legenda dos antigos carnavais de Timbaúba.
          Joel Monteiro de Araújo (1926-1992), carinhosamente conhecido como Chupeta, empresário do setor de transportes, fundador do Clube dos Motoristas de Timbaúba, hoje Motor Clube de Timbaúba, e sócio-fundador do Timbaúba Tênis Clube.   
        Joel Monteiro de Araújo foi um grande folião. Com muita atitude e coragem vestia-se de mulher na década de 1950, encantando a todos com seu espírito de carnavalesco autêntico, revolucionário, singular... Uma personalidade carismática, na verdadeira acepção da palavra.  Sua filosofia de vida se pautava em viver, viver cada momento, como um instante único, e nunca ficar com culpa de nada.  Para Ana Glória, sua filha, que cedeu estas imagens para PASSARELA CULTURAL, era fantástico o modo de viver daquele homem ímpar. Carnaval em Timbaúba era uma energia contagiante ao lado de Joel Monteiro de Araújo, o Chupeta, um nome que enriquece a memória timbaubense.
Um "pastoril" composto de homens vestidos de mulheres em plena Timbaúba da década de 1950. Joel Monteiro de Araújo é o primeiro da direita.

***** 

4 comentários:

DASLAN MELO LIMA disse...

E-mail enviado por Ana Glória
>>>>>>>>>>

Daslan:

Parabéns pela reportagem "Memória Timbaubense -JOEL MONTEIRO DE ARAÚJO(Dhupeta).

Com certeza, a Velha Guarda dos Carnavais de Timbaúba dos Mócos está feliz em relembrar aqueles momentos inesquecíveis.

Aqui em casa até o cachorrinho é folião. Brincar CARNAVAL em Timbaúba-PE é algo mais.

Feliz Carnaval!

Grande Abraço.
Obrigada por tudo!

Ana Gloria.

>>>>>>>>>>

ENEIDE LOPES disse...

Todo seu escrito é simplismente maravilhoso.Vc foca o que há de melhor, sou sua fã incondicional. Parabéns!!!Eneide Lopes

tranquelino disse...

Daslan,

Meu pai era um folião que participava de tudo no Carnaval. Durante o dia participava do corso com 1 dos onibus da Rodoviaria Monteiro. Ele convidava varias familia amigas para participar. Era uma alegria total com todos cantando musica carnavalesca. A noite ele participava do Baile de Carnaval na Liga Litero Atlética. A epoca do Pastoril que ele fundou, eu era muito pequeno, não me lembro desse acontecimento.

Agradeço a belissima reportagem feita por voce em homenagem ao meu pai de saudosa lembrança.

tranquelino disse...

Daslan,

Gostaria de complementar meu comentário anterior dizendo que a foto individual de meu pai não foi tirada no mesmo ano da foto do grupo, pois o modelo de fantasia é diferente. A foto individual foi tirada depois de 1953 (grupo)