a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 624, referente ao período de 18 a 24 de junho de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 99612.0904 (Tim) e (81) 99277.3630 (Claro) ***** WhatsApp: +55 81 99612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 17 de maio de 2014

SESSÃO NOSTALGIA – JADILZA BERNARDO, AQUELA PROFESSORA DO INTERIOR, MISS PERNAMBUCO 1999

Daslan Melo Lima

       Depois do anuncio da quinta colocada, Joelma de Menezes, Miss Goiana, Miss Simpatia, veio o da quarta,  Wêidma Moura, Miss Itamaracá; em seguida, a terceira colocada, Renata Silva, Miss Altinho. Restavam apenas duas finalistas: Mirna Loureiro, Miss Clube Náutico Capibaribe, e Jadilza Bernardo de Carvalho, Miss Jataúba.  “Mirna! Mirna! Mirna!” Gritavam várias pessoas ao meu lado. Mirna ficou em segundo e Jadilza em primeiro lugar. 

Top 3 do Miss PE 1999 - Renata Silva, Miss Altinho, terceiro lugar; Jadilza Bernardo, Miss Jataúba, primeira colocada, e Mirna Loureiro, Miss Clube Náutico Capibaribe, segundo lugar.***** Coluna de João Alberto, Diario de Pernambuco, 31/03/1999 - Acervo DML/Passarela Cultural.
  

      Eu estava lá, no Clube Internacional do Recife, naquela noite de 27 de março de 1999, atento a tudo, observando vinte lindas jovens em busca de um sonho: ser eleita Miss Pernambuco 1999. Eu tinha coordenado o Miss Timbaúba e  torcia para que Gilvânia Aguiar conseguisse pelo menos um lugar entre as semifinalistas. Não conseguiu, embora tenha feito uma boa apresentação, no ano em que tive a satisfação, também, de conhecer Michella Marchi, Miss Brasil 1998, convidada especial para o evento.
 ----------
     No dia 31 de março de 1999, o Diario de Pernambuco circulou com a capa do caderno Viver totalmente dedicada à mais bela pernambucana daquele ano. “Uma miss atrás de patrocínio”, dizia a manchete. “Jadilza Bernardo de Carvalho. Este nome irá representar Pernambuco no concurso Miss Brasil 99, que será realizado no dia 7 de abril, na casa de shows Scala, no Rio de Janeiro. A professora caruaruense, de 19 anos, que concorreu ao Miss Pernambuco como representante do município de Jataúba, distante 93 quilometros de Caruaru, ainda não tem a dimensão do que o prêmio representará na sua vida. Quatro dias depois de vencer concurso, Jadilza Bernardo começa a arrecadar dinheiro para viajar. Por enquanto, a Prefeitura da cidade tenta levantar dinheiro  da viagem ao Rio. A taxa de inscrição no concurso nacional (R$ 2 mil) já foi paga pela coordenação do Miss Pernambuco. Agora, o próprio prefeito de Jataúba, Petrônio Siqueira, se mobiliza para conseguir junto aos empresários da região doações que paguem a viagem da equipe ao concurso Miss Brasil, além de estadia de quatro dias.”
       Foi nessa reportagem do Diario de Pernambuco, escrita por Ana Nogueira e ilustrada com foto de Heitor Cunha, que capturei os   textos que resgatam mais um capítulo da história do Miss Pernambuco.

Capa do caderno Viver - Diario de Pernambuco, 31/05/1999 - Acervo DML/Passarela Cultural

DIFERENÇA - Bem diferente das antigas candidatas – muitos diriam sem o glamour daquela época – a candidata atual diz que nunca teve a pretensão de participar de um concurso de miss. Antes do evento, sua rotina de professora do interior a obrigava a seguir uma certa disciplina, bem diferente das luzes da passarela. Jadilza acordava todos os dias às 5 h para viajar de ônibus ao município vizinho de São Caetano. Às 7h20, já estava na sala de aula com seus 18 alunos do Jardim II, da Escola Pequeno Príncipe.
     Ás 13h30, depois de mais uma hora de ônibus, estava de volta a sua casa, em Caruaru. Á tarde, depois de um breve descanso, escrevia nos 18 caderninhos as atividades dos seus alunos para o dia seguinte. No final da tarde, ajudava sua mãe nas tarefas domésticas. “As vezes saía para fazer algum trabalho de modelo ou recepção à noite”, conta Jadilza, que é uma das modelos da agência Phábrica, de onde saíram duas candidatas ao Miss Pernambuco.
      Filha caçula, junto com o irmão gêmeo, de uma família de sete filhos, Jadilza Bernardo tem na mãe sua grande amiga e incentivadora. Jadilza não queria participar do Miss Caruaru porque seu pai havia morrido em dezembro, lembra o produtor e empresário Reginaldo Cavalcanti. No concurso do município, há um mês, ela ficou em segundo lugar, mas a secretária de Ação Social e Turismo de Jataúba, Nena Pacheco, acreditou no seu potencial e a convidou para concorrer pelo município.
AGENDA CHEIA - O título modificou a antiga rotina e colocou a jovem de gosto simples, que adora dançar forró, bem no centro do furacão. Desde sábado, data do concurso, Jadilza Bernardo cumpre uma agenda lotada de compromissos que vão desde a a escolha de vestidos – que serão usados nos compromissos do Miss Brasil – e sessão de fotos a cerimônias com autoridades. Na segunda-feira, ela participou de um coquetel em Fazenda Nova, com a presença do governador Jarbas Vasconcelos.
      Os convites para trabalho já começaram a chover. “Quero aproveitar ao máximo o que o título pode me proporcionar, mas ainda é cedo para decidir. Meu empresário e eu vamos estudar as propostas”. Uma coisa é certa: os alunos da  Escola Pequeno Príncipe vão perder a professorinha de longos cabelos e olhos verdes. “Depois que tudo isso passar devo estudar Pedagogia e me dedicar ao ensino de uma vez”, acredita a miss.

Jadilza Bernardo de Carvalho, 19 anos, professora primária e modelo, 1m71, 56 quilos, Miss Jataúba, Miss Pernambuco 1999.

Sobre a importância do concurso - “Nunca acompanhei o Miss Brasil. Só assisti ao Miss Universo do ano passado, mas nem lembro quem foi a vencedora.”
Sobre o futuro profissional “Pretendo aproveitar ao máximo o título e tentar conciliar com a carreira de modelo. Já a de professora não vai dar para conciliar.”
Sobre o título de Miss Pernambuco 99“Para ser miss é preciso inteligência, humildade e não deixar o título subir à cabeça. O reinado dura apenas um ano.”
Sobre a imagem que tem de si – “Considero-me simpática, gosto do que vejo no espelho e bem educada sempre fui, graças a Deus.”
Sobre os hobbies prediletos “Gosto de ler romances, já li tantos que nem lembro os títulos. Adoro dançar forró, principalmente Magnificos, Mastruz com Leite, Sirano e Sirino, mas também adoro forró pé-de-serra.”
Sobre o figurino que usa Sou muito simples, mas gosto de me produzir também. Os vestidos de Jan Souza (que assina os modelos que ela vestirá no Rio) são verdadeiras obras de arte.”
Sobre a profissão de modeloUma das coisas boas de ser miss é que posso mostrar meu trabalho de modelo. Até agora não conheci a parte ruim, só o lado bom.”
----------
Produtor emplaca outra caruaruense – O produtor Reginaldo Augusto Cavalcanti, mais conhecido em Caruaru pelo nome da sua agência de modelos – Phábrica – é um dos responsáveis pelo bom desempenho da Miss Jataúba no concurso Miss Pernambuco, realizado no Clube Internacional do Recife, na noite do último sábado. Segundo Cavalcanti, duas coisas são muito importantes para quem pretende um dia disputar um título da magnitude do Miss Pernambuco: postura corporal e um rosto bonito.
     “Saber pisar na passarela, ter classe e impor respeito através dos movimentos é fundamental, mas tenho observado que um rosto bonito ganha concurso sim, e isso é uma realidade mundial”,  afirma o produtor. Ele lembra que a Miss Pernambuco do ano passado, Adriana Cabral, também veio de Caruaru. “Ela já havia trabalhado comigo antes”, conta. No concurso desse ano, além de Jadilza, Reginaldo também ajudou a produzir as misses Altinho (Renata Silva) e Caruaru (Lucineide Pimentel).
      Segundo Cavalcanti, 70% das modelos usadas em campanhas publicitárias de Caruaru saem da agência Phábrica. “Não costumo dar cursos para modelos. Tenho olho clinico. Para trabalhar comigo, é preciso que eu tenha simpatia pela pessoa. Em momento nenhum a condição social influi na minha escolha.”     
      Ele tem uma teoria simples para justificar a importância que dá a elegância. “Você pode usar artifícios para disfarçar pele e cabelos ruins, mas a má postura, a falta de classe, não há como disfarçar. A elegância de Jadilza saltou olhos  na passarela.”, atesta Reginaldo.

-----------
POR ONDE ANDA JADILZA BERNARDO



Jadilza Bernardo reside em João Pessoa, PB, está casada, tem uma filha, professa a religião evangélica e é coordenadora pedagógica de um educandário. 
A beleza da eterna Miss Pernambuco 1999 permanece no sorriso, na simplicidade e na forma de encarar a caminhada com muita fé em Deus. (Fotos: Arquivo Pessoal)
Quinze anos separam as cinco fotos acima da imagem abaixo. Em cores, Jadilza atualmente. Em preto e branco, Jadilza em 1999. 

---------------
      Depois daquele noite de março de 1999, voltei a encontrar Jadilza Bernardo em 2001, no Palladium, em Caruaru, palco do concurso Miss Pernambuco 2001. Ela soube exercer o seu reinado com muita dignidade”, eis a frase elogiosa que ouvi seguidas vezes, dita por pessoas anônimas referindo-se a Jadilza Bernardo. “Ela está ali, simples e linda”, apontavam para uma mesa a poucos metros da minha.
      Quinze anos depois, muita gente ainda tece elogios àquela professora do interior que se tornou Miss Pernambuco 1999, “ela soube exercer o seu reinado com muita dignidade.”

******

Um comentário:

Anônimo disse...

Que bom saber que ela está cada dia mais bela.
Assisti Jadilza ser a segunda colocada no Miss Caruaru e em seguida conquistar o primeiro lugar no Miss PE.
Eu também estava lá, no Clube Internacional do Recife.

Maravilhosa homenagem.

Francisco C. Vieira/Recife-PE