a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 620, referente ao período de 21 a 27 de maio de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 99612.0904 (Tim) e (81) 99277.3630 (Claro) ***** WhatsApp: +55 81 99612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 12 de julho de 2014

SESSÃO NOSTALGIA – Margaret Gardiner, Miss Universo 1978

Daslan Melo Lima

     Era o final de uma quarta-feira fria e chuvosa, 26 de julho de 1978, no centro do Recife. Numa banca de revistas, o jornal paulista Noticias Populares estava  bem exposto, trazendo na capa a foto de Margaret Gardiner, Miss África do Sul, eleita Miss Universo dois dias antes, em Acapulco, México.  A chamada dizia:
Miss Universo é poetisa e tem livros publicados 
      Logo pensei: se depender de mim e dos seus admiradores, os livros da nova Miss Universo irão daqui a pouco para as listas dos mais vendidos do mundo. Segundo o Notícias Populares, as medidas de Margaret eram as seguintes: 1,76 de altura, 96 centímetros de busto, 71 de cintura, 96 de quadris e 61 quilos. 



     Margaret Gardiner, uma das minhas Misses Universo favoritas, nasceu na Cidade do Cabo, África do Sul, em 21 de agosto de 1959, filha de um gráfico e de uma dona de casa. Era modelo e, além das passarelas do seu País, já tinha desfilado nas de Paris, Argentina e Brasil, quando esteve em Foz do Iguaçu e Rio de Janeiro.


        Quando a revista Manchete saiu nas bancas falando da vitória de Margaret Gardiner, no que se refere à sua carreira literária, a informação dizia assim: Depois deste ano de Cinderela, ela pretende se dedicar à literatura, pois já tem um conto publicado na revista Darling, da África do Sul. Margaret Gardiner não se considera feminista: “Prefiro um homem que se encarregue do trabalho enquanto me torno escritora.” Antes ou depois do reinado, sem dúvida encontrará esse príncipe. Disse ainda a Manchete: Margaret tem o saudável físico de camponesa, embora tenha nascido na Cidade do Cabo.

           Em 1978, a África do Sul  vivia sob o regime do apartheid. Usando de diplomacia e inteligência, ao ser perguntada por um jornalista se seria capaz de casar com um negro, a Miss Universo 1978 respondeu: 
Casaria com qualquer homem que amasse.

          De hoje a 15 dias fará 36 anos que conservo as imagens acima num álbum de recortes. Margaret Gardiner atualmente é jornalista de televisão, radicada nos Estados Unidos,  esposa de Andre Nel, professor de Medicina na Universidade da Califórnia,  em Los Angeles. Conforme podemos constatar através das imagens abaixo, o tempo tem sido um ótimo aliado da sua beleza. As fotos são recentes e foram extraídas do Facebook.





  
      Neste final de sábado frio e chuvoso, enquanto encerro esta crônica, admiro a excelente forma física de Margaret Gardiner e fico meio chateado com o tempo. Acho que só eu estou envelhecendo. Por isso, em silêncio, declamo um trecho de Retrato, aquele poema famoso de Cecília Meireles (1901-1964). 

Eu não dei por esta mudança, 
Tão simples, tão certa, tão fácil: 
- Em que espelho ficou perdida  
A minha face? 

***** 


Nenhum comentário: