a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 633, referente ao período de 20 a 26 de agosto de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 6 de junho de 2015

SESSÃO NOSTALGIA - "A frieza tomou conta dos concursos de Misses", um desabafo de Edi Corrêa Leite

Daslan Melo Lima   


       O paulista Edi Corrêa Leite, ex-coordenador do concurso Miss Sorocaba, ao rever recentemente seu acervo de recortes de jornais e revistas, deteve-se numas matérias sobre o Miss São Paulo 1995, publicadas nos jornais Diario de Sorocaba e Cruzeiro do Sul do domingo, 26/03/1995. A nostalgia invadiu sua alma e ele enviou-me um e-mail que abaixo transcrevo como documento e reflexão.


         Em 1995, Sorocaba foi sede do concurso Miss São Paulo. A cidade recebeu as mais belas moças do estado e também as caravanas vindas de diversas localidades. Dia 24 de março, Ipanema Clube, 20 horas. Desde as 19 horas, caravanas e público presentes. O evento começou três horas depois do previsto. Mas assim que foi anunciado em alto som o início do concurso, quando as luzes se acenderam  no palco, a música tocou e as candidatas se apresentaram, o  público foi ao delírio esquecendo o atraso e o mau humor. Tudo isso porque o povo ainda amava os concursos de Misses e vibrava com entusiasmo pelas suas candidatas preferidas. A cidade de Rio Claro, representado pela bela Luíara Fiedler  Coelho, saiu-se  vencedora da noite. Era realmente a mais bela, dona de um porte elegante e de muita classe, semifinalista (top 10) no Miss Brasil 1995. Foi uma vitória fácil para a sucessora de Valéria Melo Péris,   Miss São Paulo 1994. Valéria tinha representado Campinas no ano anterior e além do título de Miss São Paulo conquistou também o de Miss Brasil 1994.
       
          Atualmente, observo que os concursos estão apáticos, sem vibração e interesse do público. Noto uma frieza muito grande. Não há empolgação nem mesmo de patrocinadores. Estão muito americanizados. É uma cópia dos americanos. Os concursos no Brasil nasceram e cresceram com a participação da grande massa popular. O povo amava muito suas misses e hoje as direções dos mesmos estão afastando o grande público que foi sua marca registrada. Parava o país. Concurso de Miss é como futebol. A grande massa popular tem que estar presente! Querem elitizar algo que é do povo. E isso vai afastando o público e os patrocinadores, pois esses deixam de ter interesse por algo que não tem retorno.
          
        As misses sempre mostraram a sua classe e elegância nas imensas passarelas dos ginásios. E o público ia ao delírio, jogando confetes e serpentinas. A imprensa escrita e falada marcava presença. Jornais e revistas estampavam fotos nas capas e dedicavam muitas páginas ao assunto.  Isso acabou. Pessoas que não sabem da importância do que era concurso de Miss estão afastando o interesse do povo e a audiência televisiva. Poucas pessoas se interessam em assistir ao evento pela televisão. As Misses são para desfilar em passarelas e não em palcos.
        
          A frieza tomou conta dos concursos de Misses. Até mesmo a despedida da Miss do ano anterior, que desfilava ao som da belíssima  “Valsa da Despedida”, mudou. Ela é chamada ao palco e  desfila sem faixa, como se fosse uma mulher comum, ao som de uma música com rítmo de rock. E nesse estilo, sem glamour, ela encerra o seu reinado. Lamentável.

          O interesse popular, da imprensa e dos patrocinadores voltarão se os concursos de misses voltarem a ter o formato do passado. A direção desses eventos deveria  fazer pesquisa, assistir aos vídeos antigos e conversar com pessoas que participaram da festa  nos áureos tempos para tirar conclusões. Se não voltar aos moldes antigos, com a participação da grande massa popular, estarão a cada ano perdendo mais interesse do público e patrocinadores em todos os aspectos. A audiência sempre será de um amargo traço.

----------
  


          Edi Corrêa Leite coordenou por oito anos o concurso Miss Sorocaba.  O primeiro foi em 1992, no qual saiu vitoriosa Flávia Cristiane Machado, acima, ao seu lado, eleita Miss São Paulo e  4ª colocada no Miss Brasil 1992. 
        Em seguida vieram:   Miss Sorocaba 1993, Erika de Oliveira Albiero, Miss São Paulo-Mundo,  vice- Miss Mundo Brasil 1993; Miss Sorocaba 1996, Vivian Lara Waldemarin, semifinalista no Miss Paulo 1996; Miss Sorocaba 1997,  Juliana Corrêa, Miss Imprensa no Miss São Paulo 1997;  Miss Sorocaba 1998,  Daniela Franzine, semifinalista no Miss São Paulo 1998; Miss Sorocaba 1999,  Luana Penafiel, Miss São Paulo 1999;  Miss Sorocaba 2001,  Vanessa Cantor, semifinalista  no Miss São Paulo 2001;  e Miss Sorocaba 2003,  Bianca Landulpho, semifinalista  no Miss São Paulo 2003.


Bianca Landulpho, Miss Sorocaba 2003, e Edi Corrêa Leite. Foi o último concurso promovido por Edi.
          Suas memórias foram focalizadas na  Sessão Nostalgia de 20/08/2011. Vide http://passarelacultural.blogspot.com.br/2011/08/sessao-nostalgia_20.html .  
         Apesar das saudades que Edi Corrêa Leite sente dos concursos do passado, ele ainda se interessa pelo assunto. Paixões são paixões, simplesmente paixões, não se explicam. Sempre estou a repetir isso. 

*****

2 comentários:

Anônimo disse...

Ginásios lotados, passarela, torcidas vibrantes...
Não alcancei a época de ouro dos concursos de misses, mas tenho certeza de que há um caminho para que um dia tudo aquilo volte.

C.Rocha de Floripa

Anônimo disse...


Daslan,

o concurso Miss Brasil perdeu o interesse do público porque está sendo mal conduzido com pessoas sem credibilidade, cujo único interesse é ganhar dinheiro cobrando pela participação das misses, o que não acontecia na época dos Diários Associados e nem na era Sílvio Santos.

Entreguem a coordenação à TV Globo para ver se ele não volta a ser prestigiado. Porque os coordenadores "picaretas" serão banidos.

Muciolo Ferreira