a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 638, referente ao período de 24 a 30 de setembro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 29 de outubro de 2016

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Dulce Cabral, “o coração é meu, pode chorar; o rosto é do próximo, deve sorrir”

>>> Educadora aposentada fala da sua trajetória e da alegria em ter educado gerações de timbaubenses


     Num velho casarão localizado na rua Maciel Pinheiro, reside uma das mais conhecidas e queridas professoras timbaubenses do passado. Seu nome: Maria Dulce Rodrigues Cabral, ou simplesmente Dulce Cabral. Nascida em 22 de setembro de 1939, filha do motorista de táxi João Cabral da Silva e da bordadeira Adilia Rodrigues Cabral, o nome de Dulce é uma legenda na história da educação timbaubense. 
      A infância foi feliz ao lado dos irmãos Ana Águida, Luiz Carlos e Rosa Célia.  O curso Pedagógico foi concluído em 1°/12/1957, na Escola Santa Maria. Lecionou  no Grupo Escolar D. Pedro II (hoje Colégio Cenecista) e nas escolas estaduais Elizabeth Lyra e Ana Eufrásia Cabral de Moura; além de ter conciliado essas atividades por alguns períodos como secretária nos cursos noturnos das escolas Jáder de Andrade e Professor José Mendes da Silva. Sua missão como educadora terminou em agosto de 1999, quando se aposentou, após 34 anos dedicados à educação.


     Sempre tranquila, Dulce confessa que adorava carnaval, que teve alguns namorados, que foi quase noiva e não casou porque não tinha de ser. Sentia-se plenamente realizada como professora. Não se queixa de saúde, o único problema e a hipertensão, mantida sob controle. Faz questão de dizer que adora a vida e o carinho incondicional dos sobrinhos e dos cinco sobrinhos-netos. “Viver é um presente de Deus. Adoro viver! ”, revela emocionada.

Pingue-pongue com Dulce Cabral

Um livro: A Bíblia
Um Filme: Dio Como te Amo
Cor: Azul. 
Santo de devoção: N.S. do Carmo
Programas de TV: Estou acompanhando as novelas “Haja Coração” e “Terra Prometida”. 
Uma saudade: Do tempo em que as mães dos alunos chegavam nas escolas com seus filhos e diziam para as professoras: “aqui a senhora é mãe deles”
Uma grande recordação: Dos “assustados”, onde eu dançava muito
Um sonho: Um mundo melhor e que todas as pessoas possam ter Deus no coração. 
O que a vida lhe ensinou: Procurar viver bem com as pessoas
Uma canção: Nossos Momentos, de Luiz Reis e Haroldo Barbosa
O segredo de uma vida longa:  Fé em Deus. Viver um dia de cada vez. Eis minha oração: “Senhor, obrigado pelo dom da vida. Renova minhas forças para cumprir minha missão por mais um dia."!
Um lema: Aquela frase atribuída a Santa Terezinha do Menino Jesus: “O coração é meu, pode chorar; o rosto é do próximo, deve sorrir. ”
_______

Por Daslan Melo Lima
Matéria publicada na revista TIMBAÚBA EM FOCO, outubro/2016
*****

     

Nenhum comentário: