a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 646, referente ao período de 19 a 25 de novembro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 13 de abril de 2013

SESSÃO NOSTALGIA-ESPECIAL, MISS BRASIL WORLD 2013

Por Daslan Melo Lima

PRÓLOGO 



          Atendendo a várias solicitações dos leitores desta secção, resolvi externar minhas impressões sobre o recente concurso Miss Brasil World, que até o início do ano era denominado  Miss Brasil Mundo, realizado no Hotel Protobello Resort & Safari, em Mangaratiba, Rio de Janeiro. Quero ressaltar que não assisti ao vivo ao evento, por isso serei breve em minhas considerações. Os meus pontos de vista têm como base exclusiva a transmissão da TV UOL. Das 37 candidatas que disputaram o cobiçado título, conheço pessoalmente apenas duas: Priscilla Durand, de Alagoas, o Estado onde nasci, e Taynara Gargantini, representante de Pernambuco, onde estou radicado há anos.
                                               O TOP 6
O Top 6 ladeado pela chinesa Wenxia Yu, Miss Mundo 2012, e pela carioca Mariana Notarangelo, Miss Brasil World 2012. Atrás, Priscilla Durand (Alagoas), Sancler Frantz (Ilha dos Lobos, primeiro lugar); Gabriele Marinho (Rio de Janeiro), Thainara Latenik (Santa Catarina, terceiro lugar); Luciane Freire Escouto (Rio Grande do Sul) e Raquel Benetti (Espírito Santo, segundo lugar). ***** Raquel Benetti, Miss Espírito Santo, pareceu-me a candidata ideal, mas acredito que o título de Miss Brasil World foi parar em boas mãos. ***** A Miss Rio de Janeiro World é alagoana e tem um título internacional em seu currículo: o Miss Teen World 2011, realizado no Texas, Estados Unidos.
                                                       ----------
                              DESTAQUES
 
 
MISS PARAÍBA - A paraibana Natália Taveira, quinta colocada no Miss Brasil Universo 2010,  foi mais uma nordestina a se destacar no Miss Brasil World 2013 conquistando uma vaga no Top 16.

 


----------
MISS ALAGOAS - A alagoana Priscilla Durand, que representou a Paraíba no Miss Brasil Universo 2011, ficou muito feliz com sua classificação no Top 6.
---------- 

MISS PERNAMBUCO - Taynara Gargantini, Top 16, representante de Pernambuco, usou um dos mais belos vestidos da noite, criação do estilista Leonardo Sandres, pernambucano radicado em Maceió.
----------
     AS "DENISES" DO MISS BRASIL WORLD
Denise Rocha de Almeida, Miss Brasília 1963, na capa da revista Manchete.
         Várias jovens que disputaram o Miss Brasil World já tinham participado de outros certames. Quando uma garota mostra perseverança na busca de um título de Miss, os missólogos que conheceram a época de ouro do  Miss Brasil referem-se a ela como "a Denise Rocha de Almeida”.  Vale a pena relembrar o porquê da expressão.  Denise Rocha de Almeida foi candidata ao Miss Distrito Federal 1959, representando o Flamengo, e ficou em segundo lugar. Quatro anos depois, em 1963, foi eleita Miss Brasília e conquistou o quarto lugar.

EPÍLOGO
 
Sancler Frantz, Miss Brasil World 2013.
                      Finalizando esta Sessão Nostalgia, desejo muito sucesso a Sancler Frantz. Que os ventos nacionais de Mangaratiba, testemunhas da sua vitória, unam-se em setembro aos ventos internacionais da  Indonésia, e que ela traga para o nosso país o título de Miss Mundo, tal como fez a carioca Lúcia Tavares Petterle há 32 anos. 


Lúcia Petterle, Miss Brasil Mundo 1971, na capa da revista Fatos & Fotos.

 *****


Um comentário:

Anônimo disse...

Olá Daslan e amigos do Passarela Cultural,

pareceu-me justa a vitória da gaúcha representante da Ilha dos Lobos eleita a nova Miss Brasil-Mundo.

Pelos menos no grupo das seis finalistas ela era a melhor. Agora, convenhamos,o formato do concurso é longo, cansativo, enfadonho e ultrapassado, embora reconheça os esforços e envie os parabéns à coordenação.
Porque não é nada fácil organizar um evento com tanta gente, considerando também a versão masculina do Mister Brasil.

Todavia, no meu entendimento, os promotores deveriam reduzir o número de participantes para dá mais agilidade aos desfiles.

Não deve ter sido fácil para quem ficou sábado à noite em casa acompanhando os desfiles até o resultado final. E olhe que eu só vi o concurso na terça-feira à tarde. Mas assim mesmo, cansei com tanto amadorismo.

Sobre o nível das candidatas, não dá para fazer uma avaliação precisa se formos considerar a presença de muitas "figurinhas carimbadas", velhas conhecidas de outros concursos.

Muciolo Ferreira, jornalista, Recife-PE