a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 616, referente ao período de 23 a 29 de abril de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 99612.0904 (Tim) e (81) 99277.3630 (Claro) ***** WhatsApp: +55 81 99612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 26 de abril de 2014

MARGARIDA LYRA, CIDADÃ DO CÉU, A FLOR QUE NÃO MORREU

Daslan Melo Lima

PRÓLOGO

Margarida Lyra Barros - Foto: Fernando Machado
      A chuva que caiu na madrugada pernambucana da quarta-feira, 23 de abril, antecipou o pranto dos meus olhos. Às 05h20min, no Hospital Português do Recife, Margarida Lyra dos Anjos Barros perdeu a luta que travava contra um câncer de mama. Tranquila, educada e meiga, era considerada uma das mulheres mais elegantes da sociedade pernambucana, uma diva.


MARGARIDA LYRA, 
A MUSA DOS MEUS PRIMEIROS VERSOS

      Eu e ela nascemos na mesma cidadezinha alagoana, São José da Laje, às margens do Rio Canhoto, e fizemos o curso ginasial no mesmo educandário, o Ginásio São José. Eu morava na Rua do Rosário, e ela frequentava muito a casa da minha vizinha Tânia Lúcia de Oliveira, a Lucinha , filha do camionheiro Antônio Carlos e Maria do Carmo de Oliveira, a Dona Nenê. Margarida era uma garota simples, educada, bela, tranquila, filha de Olympio Lyra, conhecido como Major Nen, tabelião, e tinha oito irmãos, um deles, Milton Lyra, já falecido, foi  juiz do TRT da 6ª Região. 
       As pedras do Rio Canhoto e Margarida  foram as musas ingênuas dos meus primeiros versos.  Não me recordo do texto completo do poema que dediquei a ela, apenas de um pequeno trecho que dizia: Margarida, menina gentil e aplicada, / assiste frequentemente as aulas / e é a tal da petizada.
       Na nossa turma do curso ginasial havia três amigas com nomes de flores: Margarida Lyra, Maria Angélica Lyra e Magnólia Otávia Montenegro Pino. O Dr. Onildon Melo Guimarães, diretor, gostava de dizer: "as três flores estão sempre unidas, Angélica, Magnólia e Margarida." Detalhe: Magnólia faleceu de câncer há 15 anos.


Na São José da Laje dos anos 60, a simplicidade e a atitude de Margarida Lyra, produzida para uma festa carnavalesca. "Você só quer ser a esposa de Rocky Lane", dizia Angélica Lyra, com seu admirável senso de humor. (Foto: Acervo de Mauro Sélvio)




Rocky Lane  (1909-1973), cowboy do cinema americano e ídolo de histórias em quadrinhos 


São José da Laje, AL, no carnaval de um tempo que se foi, Margarida curtindo a folia ao lado de irmãos, amigos e amigas. Em cima do veículo, a terceira da esquerda para a direita. Abaixo, no centro, também em cima. (Fotos: Acervos de José Maria de Mattos e Angélica Lyra). Detalhe: Em ambas imagens, a garota da extrema esquerda é Magnólia Otávia.


------
São José da Laje, AL, janeiro de 2008, festa do 8º Enncontro de Lajenses. Acima, Margarida. Abaixo, ela, eu e Angélica Lyra. ***** Fotos: José Maria de Mattos.

            
MARGARIDA LYRA, 
DE SÃO JOSÉ DA LAJE PARA O RECIFE
      
      Margarida veio morar no Recife após a conclusão do curso ginasial. Foi interna da  Associação Cristã Feminina e aluna do Colégio Agnes Erskine. Formou-se em Direito pela Faculdade de Olinda e trabalhou durante 25 anos no TRT, Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região, onde se aposentou como diretora.  Margarida era casada com Joezil Barros, presidente dos Diários Associados do Nordeste, conglomerado de empresas de mídia do qual faz parte o Diario de Pernambuco, e deixou uma filha, a arquiteta Rafaella Lyra, fruto do seu primeiro casamento. Rafaella, esposa do empresário Murilo Ramos, está grávida do primogênito.
    

      No dia 25/09/2011, o jornalista Fernando Machado postou em seu blog o perfil de consumidor da minha conterrânea.  
Um advogado que a história guardou – Ruy Barbosa. 
Um advogado que a história vai guardar – Sobral Pinto. 
Um parecer que gostaria de assinar – Concessão de direitos a trabalhadores. 
E um parecer que deu, mas que não gostaria de ter dado – Certidão, em dissídio coletivo no TRT- 6ª Região, negando direitos a trabalhadores. 
Qual a maior invenção do homem – A informática. 
Qual a pior invenção do homem – Armas mortíferas. 
Um livro de cabeceira – A Biblia Sagrada. 
Um escritor (a) – Lya Luft. 
Mal do século – As drogas. 
Bem do século – O avanço da ciência. 
Comida preferida – Frutos do mar. 
Um restaurante preferido – Bargaço. 
O que não pode faltar na sua geladeira – Frutas e iogurtes. 
Um filme inesquecível – Meia Noite em Paris. 
Um ator – Tony Ramos. 
Uma atriz – Fernanda Montenegro. 
Um compositor – Capiba. 
Uma música inesquecível – La Vie en Rose. 
Um cantor – Charles Aznavour .
Uma cantora – Edith Piaf. 
Que destino turístico do Recife recomendaria ao turista – O Instituto Ricardo Brennand. 
Com quem gostaria de se esbarrar pelas ruas do Recife – Com meu irmão Milton Lyra. 
A palavra mais bonita na linguagem jurídica – Conceder. 
E a mais feia – Negar.


MARGARIDA LYRA, 
A ELEGÂNCIA DE UMA DIVA

      Nos grandes eventos socioculturais do Recife, a presença de Margarida Lyra Barros era sempre destaque e certeza de que sua imagem estaria logo em seguida nas colunas sociais, tanto em blogs como nos jornais.


Margarida, para sempre Lyra, para sempre Barros - Foto: Fernando Machado

Joezil e Margarida - Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A 
Joezil, Margarida, Paula e Rômulo Albuquerque - Foto: Nando Chiapetta
Margarida e Joezil Barros - Imagem: Nando Chiapetta
Ao lado de Anna Maria Maciel, ex-primeira dama de Pernambuco - Foto: Fernando Machado
Celinha Batista, Margarida e Joezil Barros - Imagem: Nando Chiapetta
João Alberto, Joezil Barros e Margarida - Imagem: Paulo Paiva/DP/D.A Press


Margarida e Joezil - Foto: Fernando Machado


Margarida, Joezil, Beneval e Jaqueline Lyra - Foto: Nando Chiapetta 
Ana Lúcia Belo, Alice Souza Leão e Margarida Lyra - Foto: Fernando Machado
Claudia Alencar by Carina Duek e Margarida Barros by Calvin Klein, elegância em dose dupla - Blog do Fernando Machado.
Em clima de carnaval. Acima, Gisele Costa e Margarida. Abaixo, Mauro Alencar, Margarida, Cláudia Domingues Alencar e Joezil Barros - Imagens: blog do Fernando Machado

MARGARIDA LYRA, 
LA VIE EN ROSE

       Sua música preferida, La Vie en Rose, a bela canção de Edith Piaf, sua cantora predileta, diz: 


Olhos que fazem baixar os meus, 
um riso que se perde em sua boca. 
Aí está o retrato sem retoque
do homem a quem eu pertenço.
Quando ele me toma em seus braços, 
ele me fala baixinho,
vejo a vida cor-de-rosa. 
Ele me diz palavras de amor,
palavras de todos os dias, 
e isso me toca. 

Entrou no meu coração
um pouco de felicidade
da qual eu conheço a causa. 


É ele para mim, eu para ele.
Na vida, ele me disse,
jurou pela vida. 
E desde que eu o percebo, 
então sinto em mim meu coração que bate.
Noites de amor a não mais acabar, 
uma grande felicidade que toma seu lugar.
Os aborrecimentos e as tristezas se apagam. 
Feliz, feliz até morrer.


     A letra é da própria Edith Piaf (1915-1963) e a melodia de Louis Guglielmi (1916-1991). Lançada em 1946, La Vie en Rose continua encantando gerações. Na foto acima, clicada por Ricardo Fernandes/DP/D.A Press, a expressão de felicidade de Margarida ao lado do seu amado Joezil Barros, com quem viveu uma vida cor-de-rosa. Confira a música neste link:  https://www.youtube.com/watch?v=jax9gEL-NN8

MARGARIDA LYRA,
CIDADÃ DO CÉU

        
      O velório teve início às 14 h da quarta-feira, no Cemitério Morada da Paz, no município de Paulista, área metropolitana do Recife, onde no final da tarde o  Frei Damião Silva presidiu uma cerimônia religiosa. No dia seguinte, às 10h, foi realizado um momento ecumênico celebrado pelo padre Francisco Caetano Pereira, pároco da Paróquia Nossa Senhora da Piedade (Rua Capitão Lima, Santo Amaro, Recife) e pelo pastor Ney Ladeia, da Igreja Batista da Capunga, Recife. O rosto de Margarida estava maquiado e sereno.


Frei Damião Silva ao lado do corpo de Margarida.
Foto: Fernando Machado
       Palavras do pastor Ney Ladeia: “Margarida tinha a certeza da vida eterna, pois aceitou Jesus como Salvador”. Palavras do padre Francisco Caetano Pereira"Margarida agora é cidadã do céu.  Estamos aqui para celebrar essa nova vida. Ela permanece viva em nossa memória afetiva.”

      No roteiro musical, “Jesus Alegria dos Homens”, de Johann Sebastian Bach (1685-1750), ao som de um violino, e o hino “Mais perto quero estar, meu Deus de Ti”, cantado por um trio de membros da Igreja Batista da Capunga. Esse hino, autoria de Sarah Flower Adams e Lowell Mason, foi a música que a orquestra do Titanic tocou na madrugada de 14 de abril de 1912, quando o famoso navio começou a afundar.

Mais perto quero estar meu Deus de ti!
Ainda que seja a dor que me una a ti, 
sempre hei de suplicar,
mais perto quero estar meu Deus de ti!
Andando triste, aqui na solidão, 
paz e descanso a mim teus braços dão. 
Nas trevas vou sonhar,  
mais perto quero estar meu Deus de ti!

Minh'alma cantará a ti Senhor! 
E em Betel alçará padrão de amor.
Eu sempre hei de rogar, 
mais perto quero estar meu Deus de ti! 

E quando Cristo, enfim, me vier chamar,
nos céus, com serafins irei morar. 
Então me alegrarei; perto de ti, meu Rei, meu Rei, Meu Deus de ti!   
   
        Você pode conferir uma interpretação desse hino clicando neste link:
 https://www.youtube.com/watch?v=DkR02PN1K8M  

MARGARIDA LYRA, 
A FLOR QUE NÃO MORREU




     Havia 110 coroas de flores enviadas por empresas, instituições, parentes e amigos. Várias delas partiram de entidades beneficentes, uma prova de gratidão para com sua benfeitora. Margarida: você sempre será uma linda flor”,  dizia a faixa da coroa enviada por Dina e Mario Gil.


MARGARIDA, 
A REPERCUSSÃO DE UM ADEUS
A emoção deu o tom às manchetes dos jornais pernambucanos
         
      Alguns depoimentos publicados no Diario de Pernambuco, edição de 25/04/2014:
Pedro Eurico, secretário da Criança e da Juventude do estado: "... além de elegante era muito solidária." 
Roberto Pandolfi, secretário de Finanças do Recife: "Margarida era uma amiga ímpar, de grande beleza interior..." 
Murillo Ramos, genro de Margarida: "Dela, ficam os exemplos de coragem e força. Margarida era uma pessoa extremamente amável e agregadora. Era muito ligada à família e deixa como legado sua simplicidade." 
Alice Souza Leão, artista plástica: "... Ela era muito companheira, de coração bom. Margô era iluminada. É uma perda irreparável." 
Fernando Mendonça, empresário: "... ela era muito transparante e solidaria. Quem a conhecia de perto via além da mulher vaidosa. Ela era muito humana e sincera, uma verdadeira dama." 
Jorge Pinho, médico: "A característica mais marcante de Margarida é que ela era muito companheira e tratava a todos da melhor maneira possível. Ela sempre tinha uma palavra de conforto para quem precisava."

     A Assembleia Legislativa de Pernambuco, em reunião de 23/04, aprovou o requerimento nº 3329/2014, do deputado Alberto Feitosa, um Voto de Pesar pelo falecimento de Margarida Lyra.

----------
ESTADO DE PERNAMBUCO
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA
Legislatura 17º Ano 2014
Requerimento Nº 3329/2014

Requeremos à Mesa, ouvido o Plenário e cumpridas às formalidades regimentais, 
que seja enviado um VOTO DE PESAR pelo falecimento, em 22 de abril de 2014, da 
Advogada Margarida Lyra dos Anjos Barros, esposa do presidente dos Diários 
Associados do Nordeste, Joezil Barros.
Da decisão desta Casa, e do inteiro teor desta proposição, dê-se conhecimento 
ao Sr. Joezil Barros, no endereço Praça Fleming, 77, apto 1201, Edf. 
Hockenhein, Jaqueira, Recife, CEP 52050-180; e à Sra. Rafaella Lyra, no 
endereço Praça Fleming, 77, apto 1201, Edf. Hockenhein, Jaqueira, Recife, CEP 
52050-180;
Justificativa
Pernambuco se despede de uma grande mulher!
Faleceu em 22 de abril de 2014 a advogada Margarida Lyra dos Anjos Barros, 64 
anos, casada com o presidente dos Diários Associados do Nordeste, Joezil 
Barros, deixando uma filha, a arquiteta Rafaella Lyra, casada com o empresário 
Murilo Ramos. 
Nascida em São José da Laje, em Alagoas, Margarida veio aos 15 anos para o 
Recife, tendo sido interna na Associação Cristã Feminina, concluindo os estudos 
secundários no Colégio Agnes Erskine. Formou-se advogada na Faculdade de 
Direito de Olinda, turma de 1978. Irmã do ex-presidente do Tribunal Regional do 
Trabalho, Milton Lyra, exerceu a função de secretária do TRT 6ª Região durante 
sete anos, passando por outros setores do órgão, aposentando-se com cargo de 
diretora. 
Adorava a vida, a família e o trabalho. Sempre que podia, fazia viagens, outro 
grande amor. De elegância peculiar e trato fino, era amada por onde passava. 
Pessoa inteligente, gentil e amável, conquistava de forma simples a admiração 
das pessoas de todas as classes sociais. Sua natureza cristã fez-lhe pessoa 
meiga e carinhosa, sempre pronta para uma palavra de amor e incentivo para os 
que lhe pediam ajuda e conforto.
Na certeza de Margarida Lyra ter um lugar reservado ao lado do criador, 
dirigimos ao seu esposo Joezil Barros e sua família nosso sinceros sentimentos 
de pesar.
Ante o exposto, solicito dos meus ilustres pares a aprovação deste requerimento.
Sala das Reuniões, em 23 de abril de 2014.
Alberto Feitosa
Deputado
----------
        Dezenas de conterrâneos, a maioria da minha geração, alguns ainda morando em São José da Laje e outros radicados no Recife e Maceió, através das redes sociais, manifestaram o seu pesar. Todos viviam elevando suas orações a DEUS, pedindo o restabelecimento da saúde de Margarida, internada há três semanas no Hospital Português do Recife. Os sintomas do câncer se manifestaram há dois anos e ela se submeteu a duas cirurgias no Hospital Sírio e Libanês, em São Paulo. 

EPÍLOGO

      Durante os momentos que estive no Morada da Paz, fiquei o tempo todo ao lado de Angélica Lyra, aquela do buquê de três rosas de que tanto o Dr. Onildon falava. 
      As vezes, diante da trajetória da minha caminhada, com seu erros e acertos, amores e desamores, custo a crer que este coração que bate no meu peito é o mesmo dos anos 60. Perguntei a Angélica: “O que restou dos nossos sonhos de criança?” Resposta dela: “Muita coisa, este sentimento que nos une aos valores daquele tempo.



     Quando o caixão com o corpo de Margarida Lyra entrou no crematório, fui para um dos jardins do Morada da Paz e fotografei um canteiro repleto de flores amarelas, flores essas abundantes nas praças de  São José da Laje do meu tempo de menino. Relaxei. O vento que soprava na ensolarada manhã azul de abril deu-me a certeza de que a essência de minha amiga, livre e leve, estava a caminho de uma nova missão em outra dimensão.

Margarida Lyra, sinônimo de classe, bom gosto e elegância - Fotos:  Fernando Machado.


Margarida Lyra dos Anjos Barros
* São José da Laje, AL, 02/06/1949
+ Recife, PE, 23/04/2014

      E agora, com licença, vou deixar que o menino que um dia eu fui fique quietinho, processando n’alma a partida de uma personagem que foi e é referência importante da minha infância alagoana em São José da Laje.

*****

3 comentários:

Josival disse...

Homenagem emocionante,completa, sincera e que nos leva ao verdadeiro sentimento de gratidão e amor às pessoas que verdadeiramente são flores plantadas por Deus nesse jardim chamado mundo.

Danielle Lyra disse...

Será sempre minha Rainha, mulher admirável, te amarei para sempre. Saudades, um dia nos encontraremos, neste mundo imponderável e verdadeiro, a Vida Eterna.

DASLAN MELO LIMA disse...

----------
Maria Angélica Lyra, de São José da Laje, AL, via Facebook, disse:
----------

Linda homenagem Daslan!
Vindo de você não poderia ser diferente, pois além de sua natural sensibilidade conta com a emoção das lembranças de nossa convivência, num período tão angelical de nossas vidas. Vivíamos sem a preocupação de nos identificarmos como crianças, adolescentes ou adultos, tudo dependia de cada momento - o importante era aproveitar, viver o que nos era proporcionado.