a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 638, referente ao período de 24 a 30 de setembro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 20 de agosto de 2016

SESSÃO NOSTALGIA - As rainhas da beleza brasileira de 1954

Daslan Melo Lima

             A baiana Marta Rocha, Miss Brasil e vice-Miss Universo, foi, sem dúvida alguma, a beldade feminina brasileira mais comentada e admirada de 1954. Uma espécie de lenda que perdurou por muitos anos e que ainda é notícia. A revista Mundo Ilustrado, Ano II, nº 98, de 15/12/1954, no entanto, leva-me para o túnel do tempo ao encontro de outras jovens maravilhosas que venceram quatro concursos muito disputados em 1954. Quem foram elas?

----------

Sônia Maria Carneiro, Miss Elegante Bangu


Sônia Maria Carneiro adorava a poesia de J.G.de Araújo Jorge (1914-1987) e a música de Dorival Caymmi (1914-2008). O prêmio pelo primeiro lugar foi uma viagem a Paris com direito a acompanhante.
----------

Elfriede, A Mais Bela Desportista de São Paulo


Milhares de pessoas estiveram presentes no Ginásio do Pacaembu na eleição da Mais Bela Desportista de São Paulo. Elfriede, do E.C. Pinheiros, ficou em primeiro lugar e ganhou um apartamento no valor de duzentos mil cruzeiros e outros presentes. Áustria, a segunda colocada, defendeu a Associação Desportiva Floresta, recebendo, entre outros prêmios, dez dias de estadia no Hotel Amazonas. Angélica, terceiro lugar, representante da Sociedade Esportiva Palmeiras, recebeu um aparelho de televisão. ***** Detalhes: a revista não cita os nomes completos das concorrentes. O nome da vencedora aparece escrito como Elfriede e também como Elfrides. Na realidade, trata-se de Elfriede Helene Gomide Witecy (1937-2011), que se tornou atriz famosa de teatro, televisão e cinema com o pseudônimo de Geórgia Gomide
----------

Avany Fonseca, Miss Cinelândia 


Nos salões do Hotel Glória, Rio de Janeiro, então Distrito Federal, capital do País, dez garotas disputaram o cobiçado Miss Cinelândia, cujo prêmio maior era um contrato para ser atriz de cinema. As dez finalistas foram: Norma Bengell,  Mirian Nogueira Pércia, Avany Fonseca, Jeanete Yendler, Lígia Beatriz Carotenuto, Sônia Maria Bissolati, Gina Monti, Olga Scoleder, Ana Bela e Yvone Solange.  Venceu Avany Fonseca, que recebeu a faixa das mãos de Marta Rocha. ***** Duas das dez finalistas tornaram-se grandes atrizes: Norma Bengell (1935-2013) e Mirian Nogueira Pércia (Myrian Pérsia), mãe da atriz Tânia Boscoli, fruto do seu casamento com o ator Jardel Filho (1928-1983).  ***** 

----------

Lígia Beatriz Carotenuto, Rainha do Algodão Brasileiro


O concurso Rainha do Algodão Brasileiro exigia como condição inicial falar inglês. Sob a coordenação de O Globo e supervisionado por duas senhoras americanas que vieram ao Brasil exclusivamente para esse fim, o evento foi realizado no Copacabana Palace. A gaúcha Lígia Beatriz Carotenuto, a vitoriosa,  tinha sido terceira colocada no Miss Brasil e uma das dez finalistas do Miss Cinelândia. O primeiro lugar  lhe rendeu uma viagem aos Estados Unidos. Nas fotos, a Rainha do Algodão Brasileiro aparece sendo cumprimentada por Herbert Moses (1884-1972), advogado, jornalista e presidente da Associação Brasileira de Imprensa,   e  por Ana Khoury (1913 - 1994), fundadora da Rádio Imprensa FM, a primeira emissora em modulação de freqüência do País. ***** Detalhe: Por lapso, o sobrenome de Lígia Beatriz aparece na revista escrito como  Caratenuto

----------
          Além da beleza daquelas rainhas de 1954 e do glamour de uma época, fico impressionado com os prêmios valiosos dados às beldades. É como se o Brasil daquele tempo não conhecesse crise alguma e fosse feliz, bem mais feliz. 

*****

Um comentário:

Edgar Bartolomeu disse...

Prezado Poeta / Missólogo,

Estou de volta às suas belas e ilustrativas postagem. Gostei muito das vencedoras de 1954, tendo como ícone a bela Martha Rocha, milhões de anos luz mais bonita do que a Martha Vasconcellos, desleixada, deixou-se engordar. Quanto a Sônia Maria Carneiro, admiradora da poesia de J.G.de Araújo Jorge (1914-1987), tem péssimo gosto para a literatura, esse dito poeta, não passava de um sub-literato, quanto à música de Dorival Caymmi (1914-2008),mostrou o seu bom gosto para a música, essa é a família mais musical do país.
Sou seu admirador, aceite a minha opinião sobre a MU 1968, a pessoa pública é passiva, também, de críticas, seja imparcial, publique o meu comentário.
Mudando de assunto, a nossa raça negra este ano está muito bem representada no Miss Brasil 2.016, vamos torcer, tem pelo menos cinco "jambetes" com condição de vencer o concurso, pena Pernambuco não ter eleito a sua mulata.

Grande abraço.