a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 637, referente ao período de 17 a 23 de setembro de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefone: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 10 de dezembro de 2016

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Coronel Carlos Lyra, um orgulho timbaubense

Carlos Lyra, Delmiro Gouveia, e Gustavo Paiva constituíram o trio pioneiro da industrialização em Alagoas.


         O Coronel Carlos Benigno Pereira de Lyra, industrial, filho do capitão João Alves C. Pereira de Lyra e de Feliciana Maria de Araújo Pereira de Lyra, nasceu em Timbaúba, no dia 13/02/1859, e faleceu em São José da Laje, AL, em 11/06/1924, onde foi sepultado.  A foto que ilustra esta matéria está afixada na sacristia da Igreja Matriz de São José, em São José da Laje, AL. 
       Carlos Lyra implantou em 1894 a Usina Serra Grande e em 1897 concluiu a implantação da Usina Apolinário, ambas em São José da Laje, além de outras obras relevantes naquela cidade: a hidroelétrica, uma ponte sobre o rio Canhoto, o imóvel da Prefeitura e a Igreja Matriz, cuja construção foi concluída após sua morte.
     Com o seu falecimento, as usinas, as fazendas e o jornal Diario de Pernambuco, também de sua propriedade desde 1913, não sofreram solução de continuidade, permaneceram para perpetuar a obra de um grande timbaubense.
    Abaixo, trechos do questionário publicado no “Timbaúba Chic”, de 30/12/1922.
Sua impressão sobre TimbaúbaA melhor possível. Seria a terra ideal se houvesse mais água e menos mosquitos.
Sua verdadeira vocaçãoCriar zebus
Sua maior felicidadeTer vivido
Sua maior desventura – É pensar que morro
Que terra desejaria habitar?A terra onde nasci
E em que época?Época do milho
Seus planos futurosViajar, ao céu de preferência
Como desejaria morrer - De maneira alguma
Sua divisão – Ser timbaubense.
---------

Fonte de pesquisa: Timbaúba Ontem e Hoje, volume II,  Lusivan Suna. Edições A Província, 1996.

*****


TÚNEL DO TEMPO – Carnaval timbaubense de 1969.  Em pé, da esquerda para a direita:  Terezinha Maranhão, Tiana de Arruda Severo (médica ginecologista conceituada no Recife). Na primeira fila, ajoelhadas, da esquerda para a direita, Terezinha Guerra, Marizé Souza e Nilza Simões. ***** Naquele ano, uma das mais músicas mais tocadas foi “Casa de Bamba”, de Martinho da Vila, que dizia“Na minha casa / Todo mundo é bamba / Todo mundo bebe / Todo mundo samba. (...) / Se tem alguém aflito / Todo mundo chora / Todo mundo sofre / Mas logo se reza pra São Benedito / pra Nossa Senhora / e pra Santo Onofre (...) / Mas se tem alguém cantando / Todo mundo canta / Todo mundo dança / Todo mundo samba / E ninguém se cansa / Pois minha casa/É casa de bamba...” ***** (Imagem: acervo de Nilza Simões).

*****

Nenhum comentário: