*****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ NO BLOG PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 741, referente ao período de 1º a 07 de março de 2019. ***** Editor: Daslan Melo Lima - Timbaúba, Pernambuco, Brasil. ***** Contatos : (81) 9-9612.0904 (Tim / WhatsApp). E-mail: daslan@terra.com.br

domingo, 16 de setembro de 2018

SESSÃO NOSTALGIA - Geórgia Quental, Miss Rio Grande do Norte 1962, sensação no treino do Flamengo

Daslan Melo Lima         


         Na primeira semana de janeiro de 1966, a revista Manchete circulou em todo o País trazendo na capa a famosa modelo Geórgia Quental, Miss Rio Grande do Norte, finalista (Top 8) no concurso Miss Brasil 1962. Ela trajava um vestido amarelo de uma coleção parisiense e ao seu lado estavam três jogadores de futebol: Silva, Jaime e Marco Aurélio, craques do Flamengo, Campeão do IV Centenário do Rio de Janeiro. 


Da esquerda para a direita: Silva, Geórgia, Jaime e Marco Aurélio.

       
      O objetivo da visita de Geórgia Quental ao treino do Flamengo, onde causou mais sensação do que Silva, Jaime e Marco Aurélio, foi posar para a matéria "Vida de Manequim", reportagem de Jacinto de Thormes e fotos de Hélio Santos. Em nove páginas, algumas modelos brasileiras famosas falavam do glamour da profissão. Detalhe: A palavra "manequim" na época era muito  popular para designar as mulheres que desfilavam nas passarelas da moda.
----------

Por onde andam as personagens daquela capa da Manchte?

Geórgia Quental

---------
Geórgia Quental em foto recente - Facebook

          Bomba no cinema nacional! Em 1963, estreia o filme Boca de Ouro, de Nelson Pereira dos Santos, baseado na obra de Nelson Rodrigues. De repente, uma grã-fina chamada Lúcia abre o vestido e mostra seus seios perfeitos para um bicheiro, interpretado por Jece Valadão. Quem é ela? Georgia Quental, a fenomenal. “Para mim, ela foi um símbolo da Canadá de Luxe na década de 1960”, diz Ruy Castro. (...) 
        Mesmo sendo top na Canadá de Luxe, a moça tinha o sonho de ser Miss Brasil. Em 1962, tentou, representando o Rio Grande do Norte. Não foi classificada entre as três finalistas. No mesmo ano deu uma entrevista para a revista Fatos e Fotos: “Diziam que os juízes estavam com medo que eu fosse me comportar mal nos Estados Unidos ou na Inglaterra. Vivem falando que sou maluca, que não tenho responsabilidade. De certo, acharam que eu não ia aparecer nos programas marcados para a Miss Brasil. Mas isso é injusto”.
          Georgia entrou na Canadá por meio de anúncio de jornal, para ajudar a mãe viúva no orçamento. Fãs tinha, de montão. (... ) Fechou a carreira como manequim muito bem, em Paris, já com quase 40 anos, desfilando para Pierre Balmain.
          Hoje é uma senhora sempre arrumada que pode ser vista (...) no bairro Peixoto, no Rio... Ainda continua a chamar atenção. 
----------
Fonte: "As musas da Casa Canadá, berço do glamour carioca nos anos 50 e 60". Por Renato Fernandes para a revista Joyce Pascovitc, agosto/2015.
----------
Detalhe: Geórgia de Lucca Quental, gaúcha de Porto Alegre, nascida em 23/04/1939, aspirava ser Miss Brasil desde 1958, quando era manequim da Casa Canadá, no Rio de Janeiro, então capital do Brasil. Geórgia e sua colega de trabalho Adalgisa Colombo decidiram disputar o Miss Distrito Federal 1958. Mena Fiala, dona da Casa Canadá, resolveu apoiar apenas uma candidata e optou por Adalgisa, que há quatro anos se preparava para isso. Adalgisa Colombo foi eleita Miss Distrito Federal, Miss Brasil e vice-Miss Universo 1958.
      Em 1962, no auge da sua carreira como modelo, Geórgia Quental não tinha abdicado do sonho de ser Miss e resolveu enfrentar os preconceitos. A maioria das garotas candidatas não se conformavam em ter uma modelo profissional como concorrente. Muita gente entendia que a concorrência era desleal, que uma profissional das passarelas não podia disputar um título de Miss. Geórgia se defendia: Se outros países apresentam modelos, por que não podemos fazer o mesmo?   Foi aí que, após ser impedida de concorrer ao Miss Brasília pelo Iate Clube, aceitou convite para disputar o Miss Brasil pelo estado do Rio Grande do Norte.

----------

Silva

----------

          Walter Machado da Silva, o Silva, que ficou conhecido no Rio de Janeiro pelo apelido de Batuta, trabalha hoje como organizador de eventos no Flamengo e ainda bate uma bolinha nos masters do rubro-negro. Em 2006, formou-se em Direito e passou a exercer a profissão de advogado. Silva, que nasceu em Ribeirão Preto (SP) no dia 2 de janeiro de 1940, começou a carreira no São Paulo FC. Foi para o Botafogo de Ribeirão e logo despertou o interesse do Corinthians, que o contratou em 1962. Deixou o Corinthians em 1964 para jogar no futebol carioca. Passou primeiro pelo Flamengo e depois pelo Vasco da Gama e Botafogo, por empréstimo. 
     Em 1967, Silva jogava com a camisa do Santos ao lado dos jogadores Pelé, Clodoaldo, Carlos Alberto Torres entre outros. Times pelos quais passou: São, Paulo, Batatais, Botafogo SP, Corinthians, Flamengo, Barcelona (Espanha), Santos, Flamengo, Racing, Vasco, Rio Negro, Atlético Júnior (Colômbia), Tiqueres Flores (Venezuela) e Seleção Brasileira. Silva foi um dos jogadores convocados pelo técnico Vicente Feola para a Copa da Inglaterra em 1966.

      A vida de Silva inspirou Marcelo Schwob a escrever sua biografia.  
---------- 
Fonte de pesquisa sobre Silva, Jaime, Marco Aurélio e suas fotos atuais:  terceirotempo.bol.uol.com.br.
----------

Jaime

----------

       Jayme Pimenta Valente Filho, o ex-zagueiro Jayme do Flamengo, nasceu no Rio de Janeiro em 20 de junho de 1942. Antes de jogar no Clube de Regatas Flamengo, ele foi jogador de vôlei e Campeão Carioca pelo Sírio-libanês,  em 1958.  Após parar com a bola, tornou-se treinador de futebol. Dirigiu a seleção do Marrocos e clubes do mundo árabe. Comandou também o Mengão em 29 jogos entre 1977 e 1978, além do América, seleção do Catar, seleção do Congo e seleção Olímpica do Brasil. 
      Atualmente segue residindo em sua cidade natal onde é um bem sucedido executivo no campo universitário. Em 2008, trabalhava como diretor e professor do Instituto de Educação Física e Desportos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).  Jornalista formado pela ECO - Escola de Comunicação da UFRJ, com passagens por emissoras como TV Globo, TV Educativa e Jornal O Dia.
       Jayme defendeu com orgulho na Universidade do Porto, em Portugal, sua tese de doutorado em preparação física intitulada "Mario Jorge Lobo Zagallo, entre o Sagrado e o Profano, uma história de vida".  
----------

Marco Aurélio

----------

        
             Marco Aurélio, o Marco Aurélio Saldanha Rocha, goleiro do Flamengo entre 1964 e 1971, onde conquistou o título do IV Centenário, mora hoje na cidade de Maringá, Paraná. Lá, Marco Aurélio, que nasceu em São Paulo no dia 10 de dezembro de 1940, e atualmente está aposentado. Também foi proprietário de uma escolinha de futebol, em Maringá-PR, e trabalhou como funcionário público estadual, atuando como Secretário Estadual de Esportes.
        No estado do Paraná, Marco Aurélio foi revelado pelo Clube Atlético Paranaense, onde teve como companheiro o famoso Vanderlei. O ex-arqueiro também teve passagem pelo Bahia. Um fato interessante é que Marco Aurélio foi o último goleiro profissional a sofrer um gol de Garrincha com a camisa do Botafogo.
         Marco Aurélio é casado com Neusa Maria Lopes Rocha, pai de três filhas (Vanessa, Michelle e Francielle) e avô de Larissa , filha de Vanessa.
----------

                O trio Misses, Futebol e Carnaval, nesta ordem ou não, já foi o que havia de mais popular no Brasil.  Certas coisas permanecem no inconsciente coletivo por décadas e décadas. Enquanto houver alguém apaixonado pelo assunto, eternas serão as Misses, o Futebol e o Carnaval. 

*****


Mais Geórgia Quental em PASSARELA CULTURAL, clique:

Um comentário:

Anônimo disse...


Mais um belo resgate da memória das três paixões dos brasileiros nas décadas de 50 e 60 - Misses, Futebol e Carnaval. Pena que delas só restam o Futebol e o Carnaval.

Gostaria muito de encontrar Geórgia Quental fazendo exercício na academia ao ar livre do bairro Peixoto, em Copacabana. Porque chamaria a moradora da área, Zayra Pimentel, Miss Pernambuco 1957, para juntar-se a ela. Renderia boas histórias e muitas risadas com os "contos e causos" que as duas têm para contar, e Daslan transformar numa Sessão Nostalgia.

Muciolo Ferreira