*****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ NO BLOG PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 741, referente ao período de 1º a 07 de março de 2019. ***** Editor: Daslan Melo Lima - Timbaúba, Pernambuco, Brasil. ***** Contatos : (81) 9-9612.0904 (Tim / WhatsApp). E-mail: daslan@terra.com.br

segunda-feira, 13 de maio de 2019

SESSÃO NOSTALGIA – A cápsula do tempo de Yolanda Pereira, Miss Universo 1930


Daslan Melo Lima, com base nas informações colhidas no site gauchazh.clicrbs.com.br e transcritas por Roberto Macêdo no Miss News, missnews.com.br

Foto: Gustavo Vara / Assessoria da Prefeitura de Pelotas
----------

      Uma cápsula do tempo foi descoberta na terça-feira, dia 7, em Pelotas, Rio Grande do Sul, em meio às obras de revitalização da Praça Coronel Pedro Osório, no Centro. O objeto, segundo pesquisadores, estava enterrado há 88 anos. Ficava próximo ao monumento em homenagem à pelotense Yolanda Pereira (1910-2001), Miss Pelotas, Miss Rio Grande do Sul, Miss Brasil e Miss Universo 1930, antes de a competição tornar-se oficial.

Inauguração do monumento à Yolanda Pereira, em 8 de novembro de 1931. À direita da coluna, Yolanda. No lado oposto, a pianista Guiomar Novaes. ***** Ramão Barros / Almanaque de Pelotas 1932.
----------

Postais com o rosto de Yolanda Pereira, Miss Universo 1930.
Acervo de Eduardo Arriada.
------------------

      A colocação da pedra fundamental do monumento foi realizada em 16 de outubro de 1931, data do aniversário de 21 anos da beldade homenageada, às dezessete horas. A solenidade foi aberta por um dos membros da comissão organizadora, M. Vieira Monteiro. A seguir, foi passada a palavra a Aristides Bittencourt, representante do subprefeito em exercício, que convidou a senhorinha Constancinha Pinto Pereira da Silva para leitura da ata de fundação.
      Historiadores consultados pela prefeitura de Pelotas afirmam que o objeto foi colocado na praça em 1931, para ser aberto 50 anos depois, mas caiu no esquecimento e nunca foi resgatado. Essa informação estaria em uma ata das homenagens feitas para a miss na época. Em 2012, ano do bicentenário de Pelotas, o pesquisador Guilherme Pinto de Almeida citou no livro Almanaque do Bicentenário de Pelotas a possível existência da cápsula. Ele fundamentou a pesquisa ao encontrar uma ata da época em que ela foi enterrada. Agora, por conta de uma reforma no paisagismo do local, funcionários da empresa que realiza as obras encontraram o objeto metálico enterrado e consultaram a prefeitura.
       Depois de oficialmente entregue à prefeita, Paula Mascarenhas, a cápsula do tempo foi encaminhada aos técnicos para limpeza e avaliação do melhor momento para a abertura. A conservadora e restauradora Fabiane Rodrigues Moraes foi chamada pela prefeitura para acompanhar o processo de retirada da cápsula.  Devido ao nível de umidade do terreno onde estava, o conteúdo que está dentro da caixa pode ter sido prejudicado.
        Pesquisadores usaram um raio X para ver o interior do objeto na tarde da sexta-feira (10). Segundo Fabiane Rodrigues Moraes, as imagens mostraram que a cápsula está cheia de líquido. A probabilidade é que, com as chuvas nestes 88 anos em que esteve enterrada, a caixa acabou enchendo de água, diz a pesquisadora. Ela acredita, pelas imagens, que nenhum objeto tenha se mantido inteiro dentro da cápsula.
----------

O "mistério" da "cápsula do tempo" 
Depoimento de José Rubens Silveira Acevedo


No dia 11, o meu amigo José Rubens Silveira Acevedo, ex-professor de História da UFPel, Universidade Federal de Pelotas, postou o comentário abaixo no Facebook. 

         Antes de desvendar o "mistério" da "cápsula do tempo" há tanto guardada debaixo da coluna erguida em homenagem à Yolanda Pereira, permitam-me que faça mais algumas digressões, como professor de História que fui a vida inteira, e como guia turístico que ainda gostaria de ser. Em primeiro lugar, considero uma preciosidade esta foto.  

Ramão Barros / Almanaque de Pelotas 1932.

      Nela, Yolanda Pereira, um ano depois de sua consagração como miss, tal como ocorre com a maioria das misses até hoje, mostra-se ainda mais bela, mais esbelta, mais refinada, em suma, em todo o esplendor de sua beleza. E, como não poderia deixar de ser, ela se encontra nesta foto em muito boa companhia. Atrás de Yolanda vê-se duas outras muito belas jovens que eu suponho terem sido das que também disputaram aquele Miss Pelotas, não por escolha de uma comissão julgadora, mas pelo voto popular através de cupons que acompanhavam cada exemplar do hoje mais que centenário jornal Diário Popular. A sua esquerda, de passagem por Pelotas, sua conterrânea Zola Amaro, talvez a única soprano brasileira a ser contratada como "prima donna" pelo Teatro Scala de Milão. A sua direita, o médico Dr. Alcindo Simões, que viria a dar seu nome a uma rua, a uma escola e a um hospital da cidade, que morava em um dos mais suntuosos palacetes de Pelotas, cujo interior vim a conhecer logo após seu falecimento, sem descendentes, quando foi colocado à venda o fabuloso acervo em móveis e objetos de seu interior.
      E por falar em belas e antigas residências da cidade, também é digna de ser vista aquela em que morou Yolanda Pereira até casar, defronte à praça da Catedral, há poucos anos inteiramente restaurada. Esta fica bem próxima de onde residiu a primeira Mais Bela Gaúcha eleita, a pelotense Cladys Caruccio, morena linda de origem italiana, que devia ter disputado o Miss Brasil com Marta Rocha, mas que renunciou, ao que dizem, por pressão da mãe. muito religiosa. Esta, pelo que corria depois na cidade, para compensar o que fizera com a filha, teria sido, quase duas décadas depois, a principal incentivadora e orientadora de Rejane Costa a que esta viesse a disputar o Miss Pelotas.
       E agora, finalmente, o que mais interessa. Na verdade, parece-me não haver mistério quanto ao conteúdo da cognominada "cápsula do tempo", mas desinformação da emissora de TV que divulgou a descoberta de tal caixa. Embora esta tenha permanecido esquecida por várias décadas, a notícia de sua existência, bem como o que nela continha, foi descoberto por pesquisador pelotense de velhos jornais e almanaques da cidade. Embora a caixa ainda não tenha sido aberta, porque sua oxidação impediu que a chave funcionasse, através desse pesquisador, sabe-se que nela foram guardados exemplares de sete jornais doados por Yolanda Pereira que narravam sua trajetória como Miss, dentre eles a Noite, do Rio de Janeiro, que promoveu o Miss Brasil e o Miss Universo, o Diário de Notícias, de Porto Alegre, responsável pelo Miss Rio Grande do Sul, e o Diário Popular de Pelotas, distribuidor dos cupons que deram a vitória à Yolanda Pereira em Pelotas, através do voto popular.
      Ela também doou uma foto sua devidamente autografada, para ser guardada nessa caixa, junto ainda com clichês de moedas de prata que José Maria Withaker, Ministro da Fazenda na época, mandou cunhar com a efígie de Yolanda Pereira representando a figura da segunda república brasileira. Lamentavelmente, pelo peso dessa caixa ao ser resgatada, supõe-se que tenha entrado água nela, o que terá deteriorado os jornais e fotos nela contidos, e que teriam se constituído em uma valiosa documentação histórica sobre a trajetória de Yolanda Pereira como Miss Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil e Miss Universo.
      Para compensar esta provável perda, cabe-me comunicar mais uma vez que, em um pequeno museu existente na Biblioteca Pública de Pelotas, estão expostas as quatro faixas conquistadas por Yolanda Pereira, sendo que a de Miss Universo  é extremamente original porque nela foram bordados, em letras pequenas e coloridas, o nome de cada um dos países que disputaram esse Miss Universo realizado na cidade do Rio de Janeiro. Quem vier a Pelotas e quiser conhecer este pequeno, mas precioso acervo, para os aficionados nos concursos de beleza, estou à disposição para ciceronear e para solicitar prévia autorização para que essas quatro faixas possam ser fotografadas.
----------

    E para encerrar essa Sessão Nostalgia que fala de uma cápsula do tempo, eis um belo poema do gaúcho Mario Quintana (1906-1994), que tem por nome O TEMPO.

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. 
Quando se vê, já são seis horas! 
Quando se vê, já é sexta-feira! 
Quando se vê, já é natal... 
Quando se vê, já terminou o ano... 
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. 
Quando se vê passaram 50 anos! 
Agora é tarde demais para ser reprovado... 
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. 
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...

*****
P.S. - Últimas Notícias - 14/05/2019
     

        A caixa foi finalmente aberta nesta terça-feira (14). Dentro dela, entre outros itens, estão páginas de jornais com notícias sobre a primeira brasileira a receber o título de Miss Universo, Yolanda Pereira, em 1930. O mistério, no entanto, ainda não chegou ao fim. Como o interior está cheio d'água, os materiais depositados na "cápsula do tempo" ficaram submersos. A retirada dos itens de dentro da caixa pode levar de três meses a um ano.
Fonte:
https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2019/05/14/caixa-misteriosa-enterrada-ha-88-anos-e-aberta-em-pelotas.ghtml
Foto: https://gauchazh.clicrbs.com.br
----------

Nenhum comentário: