*****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ NO BLOG PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 741, referente ao período de 1º a 07 de março de 2019. ***** Editor: Daslan Melo Lima - Timbaúba, Pernambuco, Brasil. ***** Contatos : (81) 9-9612.0904 (Tim / WhatsApp). E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 20 de julho de 2019

DE TIMBAÚBA PARA O MUNDO - Memórias do GTERB e do Teatro de Bolso João Feliciano


 >>>>>  Na década de oitenta, um grupo e um teatro marcaram época na cena cultural timbaubense.



           No dia 19 de abril de 1986, na praça Carlos Lyra, 11, segundo andar, com a presença de Luiz Marinho Falcão Filho, Reinaldo de Oliveira, Diná Oliveira e Geninha Rosa Borges, personalidades ligadas ao TAP, Teatro de Amadores de Pernambuco, foi inaugurado o Teatro de Bolso João Feliciano. A noite foi um marco em Timbaúba, ocasião onde houve apresentação e quadros da peça A Capital federal, de Artur Azevedo, montada pelo TAP, e um quadro da peça Triângulo Escaleno, que ficou em temporada.  
         O Teatro de Bolso Joao Feliciano foi fundado pelo GTERB, Grupo de Teatro Recreios Benjamin, no consultório do dentista Dierson  Leal, contando com a participação do citado e das seguintes pessoas: Luiz Marinho  Falcão Filho, Hugo Caldas, Givaldo Braz de Macedo, José Teodorico de Castro Neto, Gilvan Silva, Caetano Marinho e Edilson Lopes. A diretoria ficou assim constituída: Presidente de Honra Perpétuo: Luiz Marinho Falcão Filho; Presidente: Dierson Leal;  Secretário: José Teodorico de Castro Neves; Tesoureiro: Givaldo Braz de Macedo; Diretor artístico: Hugo Caldas; Conselho Fiscal: José Gilvan Silva, Edilson Lopes e Caetano Marinho.  
        De 1983 a 1988,  foram produzidos os seguintes espetáculos: Capitão Flúor no Reino dos Desdentados, de Luiz Marinho; Rua do Lixo, 24, de Vital Santos, participante do Festival de Teatro Amador do Agreste, em 11/11/1984 ; Triangulo Escaleno, de Silveira Sampaio; Berimbau de Ouro, de Carlos Falcão; O Ovo de Colombo;  O Estranho, co-produção com o Grupo Teatro Espontâneo, de Antônio Bivar; Ser Mãe, três quadros de autores diversos; e Lili, de Caetano Marinho, que participou do Festival de Teatro de Bolso promovido pela Fundação de Cultura Cidade do Recife, em 1986,  obtendo indicação de atriz revelação para Shirley Dinoá.
      O palco do Teatro de Bolso João Feliciano foi uma vitrine digna para muita gente talentosa, a exemplo de Aparecida França, Caetano Marinho, Daniel Oliveira, Dierson Leal, Edvaldo Melo, Elisabeth Bezerra, Givaldo Braz de Macedo, José Carlos Araújo, José Honório, Luciano Lira, Normando Menezes e Vera Rosado, entre outros. O GTERB promoveu outras atividades culturais:  apresentação de violeiros, exposições de artes plásticas e coordenou o stand cultural da XIII Exposição de Animais e Produtor Derivados de Timbaúba, em 1990.
     Em janeiro de 1988, Dierson Leal transferiu-se para o Recife, por motivos profissionais. Era o começo do fim do GTERB e do Teatro de Bolso João Feliciano. Missão cumprida. Eles tentaram manter acesa, embora tênue, a chama da arte em Timbaúba. 
------------
Fonte: 
Timbaúba Ontem e Hoje, Volume I, Lusivan Suna, Edição do Autor, 1992
----------
Esta matéria é destaque na página de História da revista TIMBAÚBA EM FOCO, junho/2019, edição 98.

*****

Nenhum comentário: