a *****

SEJA BEM-VINDO ! SEJA BEM-VINDA! VOCÊ ESTÁ EM PASSARELA CULTURAL, a sua revista on-line semanal, fundada em 02/07/2004. ***** Esta é a edição nº 629, referente ao período de 23 a 29 de julho de 2017. ***** Editor: Daslan Melo Lima ***** Timbaúba, Pernambuco, Brasil ***** Telefones: (81) 9.9612-0904 (Tim). ***** WhatsApp: +55 81 9.9612.0904 ***** E-mail: daslan@terra.com.br

sábado, 16 de março de 2013

SESSÃO NOSTALGIA - MARIA AMÁLIA FERREIRA, MISS AMAZONAS 1948

Por Daslan Melo Lima

           Após várias semanas dedicando este espaço exclusivamente à memória do concurso Miss Pernambuco, no que diz respeito às listas com os nomes das participantes, estou  de volta às  minhas crônicas para focalizar grandes misses do passado, ao sabor dos meus sentimentos, resgatando fatos e fotos de um tempo que se foi, para sempre se foi. Desde que passei a editar PASSARELA CULTURAL, reservando espaço para estes mergulhos no túnel do tempo, ninguém imagina quantos momentos emocionantes já vivi. Várias rainhas da beleza já fizeram contato comigo. Também, filhos, netos, parentes e fãs de algumas que se foram e das que continuam neste plano terrestre.

         Vejam que coisa fantástica aconteceu recentemente. Prestem atenção. Em 31/03/2012,  dediquei este espaço à memória do concurso Miss Brasil 1949,  conforme consta neste link, http://passarelacultural.blogspot.com.br/2012/03/sessao-nostalgia-seccao-em-construcao_31.html  . No dia 22 do mês passado, recebi o seguinte e-mail:

Prezado Daslan, boa tarde. 
Meu nome é Sylvio Ferreira Coelho da Rosa. Foi com grande satisfação que encontrei na sua publicação "Passarela Cultural" uma referencia de imagem da minha mãe Maria Amália Ferreira, Miss Amazonas 1948.  
Tenho o número  da revista Vida Doméstica que traz a minha mãe na capa, (no anexo). Você teria mais alguma imagem do concurso do Miss Brasil no Quitandinha mostrando as misses? Se você puder enviar eu ficaria imensamente grato! 
No anexo, também mando uma imagem da minha mãe em 1975, na minha formatura na Marinha. Ela morreu em 1º/03/2006,  com 83 anos, vítima de câncer nos intestinos, e ainda era linda! Foi sepultada no cemitério de São João Batista, no Rio de Janeiro. 
Admiro muito o seu trabalho de resgatar essa época de tanta beleza e glamour.
Um forte abraço!


         Fiquei emocionado com o  contato do Sylvio e com as belas imagens da sua mãe que ele enviou-me. Falei para ele que seria um prazer disponibilizar mais fotos, mas que só tinha aquela postada há um ano, foto acima. Propus que me fornecesse dados biográficos de Maria Amália Ferreira, a fim de elaborar uma matéria exclusivamente dedicada a ela e com as fotos do seu acervo. O Sylvio enviou-me ao todo quatro imagens e valiosos dados ora publicados.


          Maria Amália Durand Ferreira, ou simplesmente Maria Amália Ferreira, nasceu em 15/04/1922, em Manaus, Amazonas, filha de Benjamin Constant da Costa Ferreira e Aldeída Durand Ferreira. Estudou em Manaus, foi eleita Miss Amazonas 1948, ficou em quarto lugar no concurso Miss Brasil 1949, realizado no Hotel Quitandinha, Petrópolis,  em 12/06/1949, e depois fixou residência no  Rio de Janeiro. Casou aos 31 anos de idade com  o carioca Álvaro Freitas Coelho da Rosa, fiscal sindical do Ministério do Trabalho, com quem teve três filhos, Cynthia, Sylvio e  Solange. Maria Amália foi funcionária do TRE-Tribunal Regional Eleitoral e teve outras funções administrativas como funcionária pública. Mesmo idosa, o seu empenho era notável, conseguindo passar até em um concurso para uma faculdade. Seu histórico de atividades rendeu duas aposentadorias, o que hoje já não é muito comum. 


            Sobre as lembranças que Amália guardava de sua época de Miss Amazonas 1948 e quarta colocada no Miss Brasil 1949, o Sylvio revelou o seguinte:
               Minha mãe sempre lembrava com bom humor e orgulho dos tempos de Miss Amazonas, e dizia para nós visitarmos o Teatro Amazonas, onde fez declamações no palco após vencer o concurso estadual.  Declamações em público sempre a encantaram, independente do evento ou do tema. Para ela, ter sido miss valeu a pena, e foi muito orgulho para a família. Ela falava que uma moça morena muito bonita chamada Jussara Marques, Miss Goiás, tinha ganho o concurso, e ela, sem dúvida, aprovou. Mostrava interesse pelos concursos atuais e sempre assistia quando possível.

Maria Amália Ferreira, Miss Amazonas 1948, na capa de Vida Doméstica, novembro de 1949, uma  das mais importantes revistas brasileiras da época.

       Minha mãe era discreta e elegante. Sempre que possível achava um local que tivesse comidas típicas do Amazonas, que muito apreciava, mas também gostava de pratos cariocas. Minha mãe era de bom temperamento e extremamente religiosa, gostava de assistir filmes bíblicos, tanto se emocionava, como também contestava alguma coisa que não estava de acordo com o seu conhecimento. Ela viajava muito pouco, os lugares sempre eram próximos do Rio de Janeiro.

Maria Amália Ferreira, em 1975, aos 53 anos de idade.


                Ao encerrar esta secção dedicada a Maria Amália Ferreira, Miss Amazonas 1948, quarta colocada no Miss Brasil 1949, agradeço ao Sylvio Ferreira Coelho da Rosa, seu filho, por ter feito contato e compartilhado comigo este material valioso que agora vem a público através da Sessão Nostalgia de PASSARELA CULTURAL.

*****


4 comentários:

Roberto Macedo disse...

Bendita internet! Bendito Daslan! Parabéns!

Anônimo disse...

Impressionante a beleza desta mulher!
Um resgate extraordinário para a memória do concurso Miss Brasil.

C. Rocha de Floripa

Anônimo disse...


Uma miss de verdade e que só agora tive o prazer de conhece-la. Só mesmo o Daslan, o Roberto Macêdo, o Fernando Machado, para decobrirem essas preciosidades.

Muciolo Ferreira

Edson - M. Gerais disse...

Estória bonita e fotografias perfeitas! Valeu! Parabéns.